J. S. Bach (1685-1750): Variações Goldberg em gravação pirata com Angela Hewitt

Hoje, um amigo escreveu no Facebook:

— Aliás, música limpinha cada vez menos me interessa. Tirando João Gilberto e Bach…

E eu respondi:

— Idem. No mesmo sentido, cresce minha preferência por gravações ao vivo. Hoje, no PQP, entrará uma gravação pirata das Goldberg ao vivo onde a Angela Hewitt erra bastante. E daí? A qualidade da interpretação e o contexto concertístico estão inteirinhos lá. É sensacional.

Encontrei esta gravação no rapidlibrary, espécie de index do rapidshare. Fiquei desagradavelmente surpreso ao ver que ela vinha numa faixa só. E felicíssimo ao ouvi-la. Trata-se de uma gravação amadora de boa qualidade, feita num concerto. Adoro gravações ao vivo e sem tratamento. A plateia tossindo é horrível, mas o importante, é claro, é a música, e nela Angela Hewitt toca e erra maravilhosamente. Há variações onde ela se perde MESMO, prova que mesmo os pianistas mais geniais têm seus momentos de absoluta bocabertice. Já a interpretação, a concepção, reafirma Hewitt como a maior pianobachiana viva. Na minha opinião, IM-PER-DÍ-VEL !!!

Ah, vêm aí 9 gravações de Hewitt. Todas da Hyperion. Um tesouro.

J.S. Bach (1685-1750): Variações Goldberg, BWV 988, em gravação ultra pirata com Angela Hewitt

1. Aria
2. Variation 1
3. Variation 2
4. Variation 3
5. Variation 4
6. Variation 5
7. Variation 6
8. Variation 7
9. Variation 8
10. Variation 9
11. Variation 10
12. Variation 11
13. Variation 12
14. Variation 13
15. Variation 14
16. Variation 15
17. Variation 16
18. Variation 17
19. Variation 18
20. Variation 19
21. Variation 20
22. Variation 21
23. Variation 22
24. Variation 23
25. Variation 24
26. Variation 25
27. Variation 26
28. Variation 27
29. Variation 28
30. Variation 29
31. Variation 30
32. Aria da capo

Angela Hewitt, piano

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

PQP

0 comments / Add your comment below

  1. I am always curious to see where my uploads travel. This lovely recording originated at my blog (ceolnasidhe.blogspot.com) and judging by the number of downloads it has travelled far!
    Although my blog is less extensive than yours (!), there are some interesting things there. You are welcome to visit.

    r

  2. O Souza Lima teve um “branco” no meio de um concerto de Grieg, mas, sem perder a classe, ficou improvisando até lembrar as notas. Quando lembrou, retomou normalmente.

    E o Arnaldo Cohen, em certo concerto, pediu permissão da platéia para tocar de novo o prelúdio nº 16 de Chopin, porque ele mesmo achava que tinha saído catastrófico.

    Segundo o mesmo Cohen, David Oistrakh já pediu permissão da platéia para repetir uma obra (acho que foi um movimento do concerto duplo do velho Johannes).

Deixe uma resposta