Haydn (1732-1809): As Seis Grandes Missas (CD 3 de 3)

As Missas que fecham a coleção de Gardiner são esplêndidas. a Missa de Teresa e a Missa em Tempo de Guerra são obras-primas. Se a segunda é reflexiva, a primeira é cheia de melodias arrebatadoras e inesquecíveis, tanto que este que vos escreve não ouvia a Teresa há vinte anos e começou a cantá-la como se a tivesse ouvido ontem. Aqui, novamente, não se nota muita distinção entre religioso e profano. As Missas de Haydn são carregadas de elementos profanos e nelas se sente a sombra do sinfonista, que se revela no contraste entre os solistas e o coro e no estilo concertante. São sinfonias corais. Belíssimas sinfonias corais.

Disc 3:

Mass for soloists, chorus, organ & orchestra in B flat major (“Theresienmesse”), H. 22/12
1. Kyrie – Kyrie 5:03
2. Gloria – Gloria 2:35
3. Gratias – Gratias 6:56
4. Quoniam – Quoniam 2:51
5. Credo – Credo 1:51
6. Et incarnatus – Et incarnatus 3:44
7. Et resurrexit – Et resurrexit 4:03
8. Sanctus – Sanctus 2:16
9. Benedictus – Benedictus 6:17
10. Agnus Dei – Agnus Dei 2:30
11. Dona nobis pacem – Dona nobis pacem 3:58

Missa in Tempore belli, for soloists, chorus, organ & orchestra in C major (“Paukenmesse”), H. 22/9
12. Kyrie – Kyrie 4:45
13. Gloria: Gloria in excelsis Deo – Gloria: Gloria in excelsis Deo 2:40
14. Gloria: Qui tollis peccata mundi – Gloria: Qui tollis peccata mundi 4:39
15. Gloria: Quoniam tu solus sanctus – Gloria: Quoniam tu solus sanctus 2:23
16. Credo: Credo in unum Deum – Credo: Credo in unum Deum 1:10
17. Credo: Et incarnatus est – Credo: Et incarnatus est 3:57
18. Credo: Et resurrexit tertia die – Credo: Et resurrexit tertia die 4:16
19. Sanctus – Sanctus 2:21
20. Benedictus – Benedictus 5:47
21. Agnus Dei – Agnus Dei 2:58
22. Dona Nobis – Dona Nobis 2:53

Monteverdi Choir
English Baroque Soloists
John Eliot Gardiner

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Gardiner
Gardiner: uma Teresa impecável.

PQP

6 comments / Add your comment below

  1. Para mim a Theresienmesse é a mais homogênea das seis missas, brilhante do começo ao fim, plena de homenagens a Mozart, enfim… creio ser a mais fabulosa das seis… Obrigado pela postagem desse conjunto!

  2. Cumpádi PQP, seu comentário sobre as missas Haydn (“… cheia de melodias arrebatadoras e inesquecíveis, tanto que este que vos escreve não ouvia a Teresa há vinte anos e começou a cantá-la como se a tivesse ouvido ontem. Aqui, novamente, não se nota muita distinção entre religioso e profano…”) acaba de matar para mim a charada das missas do nosso JOSÉ MAURÍCIO, com seus clarinetes chorões (no sentido brasileiro). Afinal, não era justamente Haydn o modelo plenamente assumido por José Maurício?

  3. Theresienmesse é o motivo pelo qual comecei a me interessar por esse mundo fantástico das missas… Por ser ateu ficava um pouco “distante”, rs. A arte é realmente algo maravilhoso. Assim como esse blog! Parabéns!

Deixe uma resposta