In memoriam Leon Fleisher (1928-2020): Johannes Brahms (1833-1897) – Concertos para piano, Opp. 15 & 83 – Variações sobre um tema de Händel, Op. 24 – Valsas, Op. 39

Escrever sobre um artista tão universalmente amado como Leon Fleisher, que deixou nossa mascarada distopia no último 2 de agosto, sempre parecerá supérfluo. Suas credenciais para a fama são óbvias a todos os que o puderam conhecer, e seu imenso legado fala por si só. Ademais, o colega René Denon já lhe fez aqui uma  belíssima homenagem, e certamente mais oportuna que a minha.

Não lhe farei exéquias, portanto. Uma carreira imensa e fecunda como a de Fleisher, aspergindo grande música ao longo de sete décadas, ao deixa pouco espaço para prantos. Devemos, claro, celebrá-la com música, e é com a música de Brahms, compositor pelo qual o jovem Leon tinha uma afinidade que parecia inata, que saudamos o primeiro ato de sua vida artística: o ex-menino prodígio, aluno de Schnabel, que estreou no Carnegie Hall sob Monteux aos dezesseis anos e aos trinta, já virtuoso consumado, vai a Cleveland encarar o genial tirano George Szell e com ele realizar os concertos de Brahms duma maneira que só posso reagir com améns.

Johannes BRAHMS (1833-1897)

Concerto para piano e orquestra no. 1 em Ré menor, Op. 15

1 – Maestoso
2 – Adagio
3 – Rondo. Allegro non troppo

Leon Fleisher, piano
Cleveland Orchestra
George Szell, regência

Variações e fuga para piano sobre um tema de Händel, Op. 24

4 – Aria
5 – Variation I
6 – Variation II
7 – Variation III
8 – Variation IV: Risoluto
9 – Variation V: Espressivo
10 – Variation VI
11 – Variation VII: Con vivacità
12 – Variation VIII
13 – Variation IX: Poco sostenuto
14 – Variation X
15 – Variation XI
16 – Variation XII
17 – Variation XIII: Largamente, ma non più
18 – Variation XIV
19 – Variation XV
20 – Variation XVI
21 – Variation XVII: Più mosso
22 – Variation XVIII
23 – Variation XIX: Leggiero e vivace
24 – Variation XX
25 – Variation XXI
26 – Variation XXII
27 – Variation XXIII
28 – Variation XXIV
29 – Variation XXV
30 – Fuga

Leon Fleisher, piano

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Concerto para piano e orquestra no. 2 em Si bemol maior, Op. 83

1 – Allegro non troppo
2 – Allegro appassionato
3 – Andante
4 – Allegretto grazioso

Leon Fleisher, piano
Cleveland Orchestra
George Szell, regência

Dezesseis valsas para piano, Op. 39

5 – No. 1 em Si maior: Tempo giusto
6 – No. 2 em Mi maior
7 – No. 3 em Sol sustenido menor
8 – No. 4 em Mi menor: Poco sostenuto
9 – No. 5 em Mi maior
10 – No. 6 em Dó sustenido maior: Vivace
11 – No. 7 em Dó sustenido menor
12 – No. 8 em Si bemol maior
13 – No. 9 em Ré menor
14 – No. 10 em Sol maior
15 – No. 11 em Si menor
16 – No. 12 em Mi maior
17 – No. 13 em Dó maior
18 – No. 14 em Lá menor
19 – No. 15 em Lá maior
20 – No. 16 em Ré menor

Leon Fleisher, piano

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE


A legendária estreia de Leon Fleisher no Carnegie Hall, tocando o primeiro concerto de Brahms sob a batuta de Pierre Monteux, que só teve o seguinte para dizer do rapaz: “a descoberta pianística do século”

Vassily

6 comments / Add your comment below

  1. Caros blogueiros: hoje soube, graças ao blog O ser da Música, que estavas de volta, o que me deu uma grande alegria. Por muitos mais anos! Se algo estiver errado com esta mensagem, atribua-o ao Google Translate.

  2. Caríssimos blogueiros, tal como o amigo aí de cima, graças ao O Ser da Música, soube do retorno de vocês!!!
    Sem poder acessá-los desde o nono CD das sinfonias do Shosta pelo Ashkenazy, padeci de carência musical aguda. Toda essa abstnência me fez imaginar um enólogo que perde a chave de sua preciosa adega: sedento, vira e revira sem sucesso a própria casa; invade fora de hora a de amigos na vã esperança de tê-la por lá esquecido – igualmente sem sucesso…está seguro que novas garrafas estão sendo, somehow, acrecentadas e fica só imaginando quando poderá voltar a degustar seus borgonhas, bordôs, brunellos, riojas, etc…, etc…
    Que coisa boa esse reencontro e quanta coisa especial nesses novos posts.
    Vida longa para o blog e muita gratidão

  3. Só mais uma coisa: acho que costumava haver uma janelinha no canto superior esquerdo para procurar um compositor ou intérprete. Se vocês colocassem de volta, seria muito bom. Obrigado desde já.

    1. Juliowolfgang, um amigo aqui alertou-me que a posição do ícone de busca (a tal lupa(zinha)) pode variar de localização na página do blog, dependendo do navegador usado. Caso você ainda esteja tendo dificuldades em iniciar o campo de busca, tente usar outro navegador, se não for inconveniente.
      Forte abraço e cuide-se!
      René

Deixe uma resposta