Gustav Mahler (1860-1911): Sinfonia Nº 6 / Hans Werner Henze (1926-2012): Sebastian im Traum

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Mais um disco extraordinário que reúne Mahler, o Concertgebouw de Amsterdam e Mariss Jansons, agora com a companhia de Hans Werner Henze, um grande e pouco ouvido compositor. E novamente a química funciona em outra gravação ao vivo. O Traum de Henze é mais um pesadelo que um sonho, mas é grande música, vale a pena conhecer. Para quem não conhece Henze: Hans Werner Henze foi um compositor alemão residente na Itália, conhecido por suas opiniões políticas marxistas que influenciaram sua obra. Trocou a Alemanha pela Itália em 1953, em razão da intolerância as suas posições políticas e a sua homossexualidade. Membro do antigo Partido Comunista Italiano, Henze produziu composições em homenagem a Ho Chi Min e a Che Guevara — o requiem intitulado Das Floss der Medusa (A balsa da Medusa), cuja estreia foi vetada em Hamburgo, em 1968. Henze compõe em vários estilos, tendo sido influenciado pela música atonal, Stravinsky, pela técnica dodecafônica, pelo estruturalismo e por alguns elementos da música popular, do rock e do jazz.

Gustav Mahler (1860-1911): Sinfonia Nº 6 /
Hans Werner Henze (1926-2012): Sebastian im Traum

1. Symphony No. 6 In A Minor: Allegro energico, ma non troppo 23:50
2. Symphony No. 6 In A Minor: Andante moderato 15:41
3. Symphony No. 6 In A Minor: Scherzo: Wuchtig 13:15
4. Symphony No. 6: Finale: Allegretto moderato 31:28

5. Sebastian Im Traum: I. BPM = Circa 80 4:45
6. Sebastian Im Traum: II. Ruhig fliessend 6:19
7. Sebastian Im Traum: III. BPM = 66 3:18

Amsterdam Concertgebouw Orchestra
Mariss Jansons

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Henze: mais afeito aos pesadelos do que propriamente aos sonhos.
Henze: mais afeito aos pesadelos que propriamente aos sonhos.

PQP

1 comment / Add your comment below

  1. Essa foi a primeira sinfonia de Mahler que eu ouvi. Gostei muito dela. Se pra algumas pessoas é loucura gostar de música “Trágica”, então podem me ter como louco. Uma coisa que me chama a atenção nessas capas é que umas apresentam o título do movimento em alemão, e outras em italiano. Será que Mahler colocava títulos em italiano em algumas de suas partituras?…
    Ah, esses dias achei na internet um artigo sobre o martelo usado na sinfonia:
    http://euterpe.blog.br/historia-da-musica/o-martelo-da-sexta-de-mahler

Deixe uma resposta