Johannes Brahms (1833-1897) – String Quintet in F major, Op. 88 e String Quintet in G major, Op. 111 (CD 3 de 5)

Dizer o quê? Comentar o quê? Não há necessidade nem disso nem daquilo. A obra camerística de Brahms é uma das coisas mais belas que já foram escritas em toda a história da música. É a mistura da melancolia correta com a técnica exata. Destaca-se neste CD o opus 111. É uma obra tardia do velho Brahms. Uma curiosidade: conta-se que após ter escrito esse Quinteto, Brahms decidiu parar de compor e até preparou um testamento. Entrementes, alguém como ele não poderia ficar parado. Esse fato teria se dado lá pelos anos de 1890. O que acontece é que após ter encontrado o clarinetista Richard Mülhfeld, e, encantado com o instrumento para sopro, resolve escrever inúmeras obras para o clarinete. Sorte a nossa! Resta-nos apreciar essas maravilhas. Seguem dois quintetos neste registro – o opus 88 e o opus 111. Uma boa apreciação!

Johannes Brahms (1833-1897) – String Quintet in F major, Op. 88 e String Quintet in G major, Op. 111

String Quintet in F major, Op. 88
01. I. Allegro non troppo ma con brio
02. II. Grave ed appassionato-Allegretto vivace-Tempo I – Presto
03. III. Finale. Allegro energico

String Quintet in G major, Op. 111
04. I. Allegro non troppo, ma con brio
05. II. Andante, un poco Adagio
06. III. Scherzo. Allegro – Trio
07. IV. Finale. Poco sostenuto

Amadeus Quartet

BAIXAR AQUI

Carlinus

14 comments / Add your comment below

  1. “É a mistura da melancolia correta com a técnica exata.” Disseste bem, Carlinus, e eu ainda acrescentaria que é música para os ocasos, para densidades de finais de tarde. E diria mais: diria que os quintetos de Brahms, incluindo o para piano e o para clarinete, são os melhores quintetos de toda a literatura musical. Bem, eu sou suspeito para falar de Brahms. Mas que são, são.

  2. Caminho nessa cidade de vocês a um bom tempo, sempre a baixar, admirando a paciência dos membros… Também sempre calado, mas hoje resolvi escrever, ainda dá tempo de entrar no Circo?

    O primeiro motivo: Essa integral de Brahms é, com perdão, FUDEROSA.
    Esse homem transmitia uma paixão, um desejo nas músicas!
    No entanto, cá estou menos para elogiar o Velhinho do que agradecer a vocês.

    O segundo motivo: Um antigo post dos quartetos bartokianos feito pelo PQP. Consegui comprar a gravação do Tokyo e devo dizer que minha vida agora é outra.

    Um obrigadaço!

  3. Caminho nessa cidade de vocês a um bom tempo, sempre a baixar, admirando a paciência dos membros… Também sempre calado, mas hoje resolvi escrever, ainda dá tempo de entrar no Circo?

    O primeiro motivo: Essa integral de Brahms é, com perdão, FUDEROSA.
    Esse homem transmitia uma paixão, um desejo nas suas músicas!
    No entanto, cá estou menos para elogiar o Velhinho do que agradecer a vocês.

    O segundo motivo: Um antigo post dos quartetos bartokianos feito pelo PQP. Consegui comprar a gravação do Tokyo e devo dizer que minha vida agora é outra.

    Um obrigadaço!

  4. Camarada,

    Há tempos procuro peças de Brahms para coro. Mas não to conseguindo achar. Há uns 10 anos escutei, na casa de um amigo, coisas maravilhosas… mas ficou só na lembrança! Vc conhece algo???

    abração!

  5. Sou novato nesse mundo da Música Erudita, e por isso tento permear por todos os compositores, buscando alguma experiência. Mas confesso que Brahms é um grande empecilho nesse caminho que tento trilhar. Ele me prende! Fico dias e dias a ouvir apenas suas composições, sem nenhum pesar.

    Muito obrigado pelo post, Carlinus. Penso que agora tenho a obra de Câmara completa desse Grande.

Deixe uma resposta