José Siqueira (1907-1985) – Concertino para Viola, Toada [link atualizado 2017]

MUITO, MAS MUITO BOM !!!

Quando, ouvindo aos apelos deste postulante que estava em pânico ao ver que seu acervo siqueirano estava findando, Harry Crowl afirmou que me passaria o Concertino para Viola de José Siqueira quase tive um tróço! Obra para viola escrita pela pena de um brasileiro é pra disparar o coração de um violista nacionalista como este que vos fala!

E o Concertino para Viola e Orquestra é obra para judiar do violista (coitado do Frederick Stephany): muitos tempos quebrados e sincopados, acordes inusuais e difíceis de se tocar, estruturação dos temas musicais complexa, ou seja, música para gente grande.  Música tensa, carregada, cheia de “atritos”, abrasiva até, se é que posso usar esse termo para descrever uma música. Coisa de fazer bonito frente a caras como Schnittke e Bártok! É daquelas que talvez não agrade na primeira audição e você tenha que escutar mais vezes para sentir na plenitude o imenso prazer que ela proporciona.

A postagem de hoje é curtinha: antes do concertino, apenas a bela Toada para Cordas, que já vos foi apresentada anteriormente em mais duas postagens. Hoje ela vem novamente regida pelo próprio José Siqueira, um pouco mais lenta e um pouco mais escura, mais cheia, numa orquestra maior. E está linda!

Agradecimento reiterado ao Harry Crowl que nos tem cedido solicitamente seus fonogramas do maestro José Siqueira!

Duas obras de caracteres bem diferentes, mostrando as facetas desse senhor compositor que foi o Zé Siqueira! Show! Ouça! Ouça!

José Siqueira (1907-1985)
Toada e Concertino para Viola

01. Toada para Cordas
02. Concertino para Viola e Orquestra

Frederick Stephany, viola
Orquestra Sinfônica da Rádio MEC
José Siqueira, regente

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE (33Mb)

Partituras e outros que tais? Clique aqui

Ouça! Deleite-se! … E não se esqueça de nos escrever umas letrinhas amigas…

Bisnaga

14 comments / Add your comment below

  1. Valeu, Bisnaga! Está sendo ótimo conhecer esse compositor brasileiro que até pouco tempo eu não conhecia nem por ouvir falar o nome. É realmente uma pena esse tempo que perdi, poderia tê-lo assistido ao vivo.

  2. Não sei quantos anos você tem, Vivelo, mas ele foi proibido de reger e compor em 1969 e se exilou na URSS. Voltou ao Brasil creio que na anistia, mas teve um AVC e ficou impossibilitado de comandar uma orquestra no fim da vida. Há dados muito tristes na biografia dele…

  3. Notícia boa: com as contribuições do maestro Harry Crowl e os arquivos que garimpei nos meus bolachões, acabou tendo mais coisa pra postar e teremos mais 5 postagens com obras de José Siqueira (nenhuma exclusiva dele): o contador dele chegará no 15 até o começo de outubro, com 5 das 15 postagens com material enviado por Crowl. Nosso repetitivo obrigado, Crowl!

  4. Olá, pessoal. Também não conhecia José Siqueira e seu irmão e foi uma surpresa muito boa saber da existência desses 2. Demais. Comecei com Candomblé e, agora, vou ouvindo tudo que possa encontrar dele(s) aqui no site de vocês.
    MAS FAÇO UM PEDIDO QUE PODE SE ESTENDER A MUITOS OUTROS QUE ESTÃO ADORANDO OUVIR OS IRMÃOS SIQUEIRA: há três posts cujos donwloads são da MEGAUPLOAD. Seria possível vocês RESSUSCITAREM esses links? Se possível, agradeço; se não, diante do trabalho de vocês e da peleja diária que têm para atualizar o site, também agradeço.

    Grande abraço, pessoal.

    renato
    http://www.tertuliaonline.com.br

    1. Rapaz, valeu, mas todas as postagens dos irmãos Siqueira estão disponibilizando os arquivos por Rapidshare e Mediafire… Não tem no Megaupload…

  5. Baixando já!!! Diante da grandeza da obra (um concertino para viola de um compositor brasileiro) e das suas observações, Bisnaga, não hesito. Pena que agora esteja com um bocado de pressa; terei um compromisso, não sei se vai dar tempo do download terminar. Mas, se não, é só fazer de novo, e daí eu deponho sobre a obra. Ah, e parece que passou meio batido, mas DEVEMOS AGRADECIMENTOS E ELOGIOS AO HARRY CROWL, gente!!! Afinal, que seria do Bisnaga sem os arquivos dele?

  6. Conheci pessoalmente o grande Maestro José Siqueira.Era amigo de meu pai, Jader Rezende e do meu tio Nilson Rezende.
    O vi reger várias vezes. Fundador da orquestra Sinfônica Brasileira, Professor Catedrático da atual UFRJ, na cadeira de composição.
    Tem uma vasta obra. possuo alguns discos do grande maestro.
    Sua esposa Alice Ribeiro foi uma excelente soprano.
    Regeu grandes orquestras no exterior.
    Uma pessoa simples, afável e um grande incentivador da música erudita no Brasil.
    Fundou, ainda,a Orquestra Sinfônica Nacional, a Ordem dos Músicos do Brasil e a Orquestra de Câmara do Brasil.
    Nasceu na Paraíba, na cidade de Conceição do Piancó.Aprendeu música já tarde, aos 19 anos. Foi trompetista da banda militar local. Veio para Rio de Janeiro onde completou seus estudos.
    Ao lado Villa-Lobos, Camargo Guarnieri e Francisco Mignone são os grandes mestres da música nacionalistra brasileira.

  7. Conheci pessoalmente o grande Maestro José Siqueira.Era amigo de meu pai, Jader Rezende e do meu tio Nilson Rezende.
    O vi reger várias vezes. Fundador da orquestra Sinfônica Brasileira, Professor Catedrático da atual UFRJ, na cadeira de composição.
    Tem uma vasta obra. possuo alguns discos do grande maestro.
    Sua esposa Alice Ribeiro foi uma excelente soprano.
    Regeu grandes orquestras no exterior.
    Uma pessoa simples, afável e um grande incentivador da música erudita no Brasil.
    Fundou, ainda,a Orquestra Sinfônica Nacional, a Ordem dos Músicos do Brasil e a Orquestra de Câmara do Brasil.
    Nasceu na Paraíba, na cidade de Conceição do Piancó.Aprendeu música já tarde, aos 19 anos. Foi trompetista da banda militar local. Veio para Rio de Janeiro onde completou seus estudos.
    Ao lado Villa-Lobos, Camargo Guarnieri e Francisco Mignone são os grandes mestres da música nacionalistra brasileira.

  8. caro Bisnaga… hoje acordei so ouvindo Jose Siqueira. muito obrigado pela divulgacao de tantas obras maravilhosas.

    fiqueir curioso em ver a partitura de Cangere, mas nao a encontrei em alguns dos links de partituras… sera que vc a tem?

    1. Quem me dera, Mário.
      A única forma com que mexo com música é postando aqui no PQP. A única informação que tenho é que as partituras do Siqueira foram doadas pela família à Escola de Música de UFRJ, onde ele foi professor e diretor…

Deixe uma resposta