Antonio Carlos Gomes (1836-1896): Todas as óperas [links atualizados em 2017]

E dá-lhe, Carlos Gomes!

(portado originalmente em 19 de junho de 2012)

Caso você tenha perdido, conheceu o P.Q.P.Bach há pouco tempo, aproveite pra ver as óperas do Carlos Gomes. Estão todas aqui, o que é para nós um grande orgulho.

E Carlos Gomes foi genial! Nenhum compositor posterior a ele conseguiu tirar-lhe o título de maior compositor operístico das Américas. E para nós, brasileiros, é inevitável entendê-lo como o grande nome da música erudita da segunda metade do século XIX gerado no seio desta pátria.

E são belíssimas as óperas de Nhô Tonico. Se você ouvi-las todas, em sequência, perceberá que Carlos Gomes foi num crescendo de qualidade técnica e melódica. Não é à toa que era o segundo compositor mais executado na Itália de seu tempo, atrás somente do imbatível Verdi.

Aqui as temos:
1. A Noite do Castelo (gravação de 1978 – Benito Juarez)
2. Joanna de Flandres (trechos)
3. Il Guarany (gravação de 1959 – Armando Belardi)
3. Il Guarany (gravação de 1994 – John Neshling)
4. Fosca (gravação de 1973 – Armando Belardi)
4. Fosca (gravação de 1997 – Luís Fernando Malheiro)
5. Salvator Rosa (gravação de 1977 – Simon Blech)
5. Salvator Rosa (gravação de 2004 – Maurizio Benini)
6. Maria Tudor (gravação de 1978 – Mario Perusso)
6. Maria Tudor (gravação de 1998 – Luís Fernando Malheiro)
7. Lo Schiavo (gravação 1959 – Santiago Guerra)
8. Odalea/Condor (gravação 1986 – Armando Belardi)
9. Colombo (gravação de 1964 – Armando Belardi)
9. Colombo (gravação de 1997 – Ernani Aguiar)

Ouça! Deleite-se sem a menor moderação!

Partituras e outros que tais? Clique aqui

“Humm! Gostei das óperas desse moço Carlos Gomes!”

Bisnaga

14 comments / Add your comment below

  1. Sinto-me honrado em poder ver Carlos Gomes em primeira mão aqui nesse blog que tem muito de respeito e dedicação. Certa vez fiz um comentário sobre o supracitado musico/compositor de possíveis postagens, até com a intenção de disponibilizar os arquivos que tenho do mesmo (amante que sou) e recebi uma navalha na carne que não tenho coragem de mostrar seu conteúdo mas fico maravilhado em ver que o mundo gira e as ideias e opiniões mudam. Parabéns e continue assim, inovando e trazendo aos neofitos conhecimentos e deleites. Namaste.

  2. Posso discordar de muito do que é dito e postado neste blog, mas mesmo eu devo me curvar frente ao excelente trabalho de divulgação da música erudita brasileira que o PQP Bach faz. Imagine, todas as óperas de Carlos Gomes! – isso sim é um tesouro, não essas musiquetas artificiais sem nexo atonais do séc. XX que ora são postadas. Grande trabalho e grande blog, PQP! E Ave ao grande Bach!! =)

  3. Olá! Primeiramente quero parabenizá-los pelo belíssimo site!
    Sou um jovem apreciador da música clássica brasileira. A pouco tempo despertei-me para a música clássica, portanto ainda sou leigo, mas não deixo de ser um grande ouvinte.
    Como todo bom campineiro que ouve música de verdade, é claro que não poderia deixar de ser um admirador das obras de Carlos Gomes. E pesquisando suas Óperas pela internet, apenas uma não encontrei gravação em áudio, foi “Minha Campinas”. Nem mesmo aqui a encontrei. Vocês poderiam me ajudar onde posso encontrá-la, se é que existe alguma gravação? Acho que foi a única obra de Carlos Gomes que ainda não ouvi.
    Desde já agradeço!

    1. Opa! Temos um aficcionado em Carlos Gomes aqui! Que bom!
      Ricardo, eu recomendaria que você visitasse o Museu Carlos Gomes. Eles têm organizadas as gravações e as partituras dele. Se você não encontar lá, é muito difícil que encontre em outro lugar. Por sorte, o acervo dele está muito bem cuidado. O museu é um ramo do CCLA (Centro de Ciências Letras e Artes de Campinas)
      O Site do museu é este: http://ccla.org.br/ccla/museu_carlos_gomes.
      O CCLA (e o museu) ficam no centro de Campinas, na Rua Bernardino de Campos, 989. Funciona de segunda a sexta das 14 às 18h e o telefone é o (19)3231-2567.

      Boa pesquisa.

  4. Iniciativa fantástica!

    Pena que a maioria das gravações tem qualidade bem fraca. Mesmo o Salvator Rosa de 2004 é tão ruim quanto a gravação de 1977!! Reflexo do triste ostracismo em que Carlos Gomes caiu – imerecidamente. É um cara cujas óperas merecem mais, muito gravações.

Deixe uma resposta