Antonio Carlos Gomes (1836-1896): Óperas – (5) Salvator Rosa (2004-Benini) [link atualizado 2017]

175 anos do nascimento de Antonio Carlos Gomes

Se você entrou no P.Q.P.Bach algumas vezes hoje, vai ver que o post foi mudando, foi crescendo. Ele já havia ido ao ar quando pude acrescentar o texto. Coisas que acontecem depois do carnaval, quando colocamos a vida em ordem…
Sem mais delongas e desculpas em andrajos, apresentamos a vocês nesta semana mais uma versão da ópera Salvator Rosa, de Antonio Carlos Gomes, esta, uma luxuosa montagem ocorrida no Festival del Valle D’Itria em 2004, sob a batuta de Maurizio Benini, contando a história (romanceada) do pintor, ator e poeta italiano (1615-1673). Acredito que seja a gravação mais recente de uma ópera de Gomes.
Uma coisa que me dá uma ponta de ânimo é ver que, mesmo havendo poucas execuções e gravações da obra de Nhô Tonico, elas vêm ocorrendo com uma frequência maior de uns 15 anos pra cá, muito por conta das comemorações do centenário de falecimento do compositor, em 1996, que ajudaram a tirar um pouco a poeira que há tempos vinha cobrindo e obscurecendo sua belíssima obra: tivemos aí as gravações búlgaro-brasileiras d’O Guarani, Maria Tudor, Fosca e duas desta Salvator Rosa, ambas italanas, além da restauração das partituras e montagem da nunca gravada Joanna de Flandres (e, pouco antes, a montagem de Neshling com Plácido Domingo para O Guarani). Ainda é pouco, se compararmos com nomes grandes, como Verdi, Wagner ou Puccini, mas há pequenos avanços e ver que as montagens foram feitas no exterior dá-me o conforto de perceber que o nome de Antonio Carlos Gomes tem recebido um pouco mais do merecido reconhecimento que lhe é devido, afinal, em seu tempo era o segundo operista mais executado e assistido na Itália, atrás somente de Verdi, que reinava absoluto no cenário operístico de então.
Já afirmei na postagem passada que Salvator Rosa foi um tremendo sucesso em sua estreia. Reafirma Marcus Góes:

Tal foi o sucesso do “SALVATOR ROSA” em 1874 em Gênova, que foi com essa ópera que a Scala de Milão abriu sua temporada no mesmo ano. Gomes se tornou figura popular da capital lombarda. Todos falavam de sua vasta cabeleira, apelidaram-no de “testa di leone” (cabeça de leão), os restaurantes ofereciam pratos “à Carlos Gomes” e uma taça de sorvetes “Peri e Cecilia” com sorvetes de chocolae e creme lado a lado. Os humoristas diziam que quem então fazia música em Milão era um índio…

Sobre a peça em si não irei comentar muito, pois tanto já foi dito na postagem anterior. Posso lhes afirmar que esta montagem é muito boa! Boa orquestra, grandes solistas, apenas com aqueles problemas advindos da gravação ao vivo, o que não compromete o todo, ou seja, uma grande ópera de Carlos Gomes numa ótima apresentação, portanto, IM-PER-DÍ-VEL!!!

Salvator Rosa (1874)
Antonio Carlos Gomes (1836-1896)
Libreto: Antonio Ghislanzoni
Baseado na novela Masaniello, de Charles Jean-Baptiste Jacquot

Ato I – 01 Sinfonia
Ato I – 02 Mia Piccirella
Ato I – 03 Vero Figliuol do Napoli
Ato I – 04 All’armi! Addio Io Vuol!
Ato I – 05 Forma sublime, etérea
Ato I – 06 Salvator! Celaveti Figute
Ato I – 07 Via l’arte e l’alegria
Ato I – 08 Delle truppe rispondi
Ato I – 09 Padre, a te il grido innalzasi
Ato I – 10 Quel dolce resguardo m’ha beato il cor!
Ato II – 11 È desso! È proprio desso!
Ato II – 11 È desso! È proprio desso!
Ato II – 13 Di Masanielo il mensagier
Ato II – 14 Sulle rive della Chiaia… L’acento dell’amor
Ato II – 15 Per questa augusta imagin del Dio
Ato II – 16 A festa! A festa!
Ato II – 17 Poichè vi piace udir
Ato II – 18 Largo! Largo a Masanielo
Ato II – 19 Povero Nacqui, e ai perfidi
Ato II – 20 Viva! Viva! Su! Accorriamo!
Ato II – 21 Dov’è l’eroe del popolo
Ato III – 22 Le tazze Colmiamo
Ato III – 23 Strane parole mormorar le intensi
Ato III – 24 Di quelle sale il lezzo uccide
Ato III – 25 Là sù quel fragil legno
Ato III – 26 Si cerchi Masanielo
Ato III – 27 D’aura di luce ho d’uopo
Ato III – 28 Alla infelice suora sol rea d’amor
Ato III – 29 Sola il mio bianco crine
Ato IV – 30 Serenata
Ato IV – 31 Purchè ci sia del vino
Ato IV – 32 Al Ballo alle mense la notte
Ato IV – 33 Salvator! Libero sei!
Ato IV – 34 Ah! Ti trovo, Gennariello!
Ato IV – 35 Padre, in quela chiesa una strage si compie

Salvator Rosa – Mauro Pagano, tenor
Gennariello, jovem servo de Salvator – Sofiya Solovey, mezzo soprano
Duque dos Arcos, vice-rei de Napoli – Francesco Ellero D’Artegna, tenor
Isabella, sua filha – Francesca Scaini, soprano
Masaniello – Gianfranco Cappelluti, barítono
Conde de Bajadoz – Leonardo Gramegna, tenor
Fernandez, comandante das tropas espanholas – Salvatore Cordella, tenor
Bianca, dama espanhola – Annalisa Carbonara, soprano
Irmã Inês – Tiziana Spagnoletta, soprano
Fra Lorenzo, traidor – Emil Zhelev, baixo

Coro da Camera di Bratislava
Pavol Prochazka, regente do coro
Orchestra Internazionale d’Italia
Maurizio Benini, regente
Festival del Valle D’Itria
Palazzo Ducale, Martina Franca, 2004

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE (118Mb – 2CD, cartaz, info e resumo da ópera)
Ah, seja legal conosco: não deixe de deixar um comentário.

Ouça! Deleite-se!

Bisnaga

15 comments / Add your comment below

  1. Parabéns, Bisnaga por essa belíssima série de postagens que está fazendo 🙂
    Não tive tempo de escutar ainda (não terminei de escutar a Fosca).
    É muito bom que estejam gravando mais Carlos Gomes, pois suas óperas são belíssimas.
    Abraços.

  2. Parabéns, Bisnaga por esta excelente série de postagens que tu está fazendo. É muito bom poder ouvir Carlos Gomes e melhor ainda que estão começando a gravar ele mais. Suas óperas são belíssimas!
    Não escutei esta versão ainda, mas espero que seja muito boa =)
    Abraços.

  3. Vivelo,
    Quero agradecer imensamente seus constantes, assíduos, reiterados e carinhosos comentários nos posts aqui do PQP. Isso nos anima muito.
    Espero que continuemos te surpreendendo, pois o universo da música erudita é imenso e há muito ainda por se descobrir.
    Um grande abraço

    1. Bisnaga, voces são a alegria das minhas manhãs. Todos os dias tomo meu café apreciando as novidades, com especial carinho pelas obras brasileiras, muitas disponíveis só em LPs, em sebos. Os textos que acompanham algumas postagens nos ajudam a entender obra e compositor (eu pelo menos não conheço nada!), e exigem pesquisa para serem escritos. Aí vejo que há poucos comentários, o que é uma pena pois sei que os dls são muitos…, então deixo uma mensagenzinha, não tenho muito a dizer, só agradeço.

  4. Infelizmente não conhecia Carlos Gomes até agora. Descobrindo as obras dele postadas aqui no PQP Bach tratei de baixar as mais famosas, aquelas que todos me perguntam se eu conheço, e quando respondo que não assustam-se. Porque de fato é incompreensivel que um amante da musica brasileiro não conheça um compositor do nivel de Carlos Gomes. Valoriza-se muito os compositores da Europa e muitas vezes esquece-se que aqui mesmo no Brasil existem alguns que em nada perdem para os Europeus. É da natureza humana acreditar que o que está distante é melhor…
    Quero tambem agradecer pelo site, que tem tantos tesouros que, de outra forma, jamais chegaria em minhas mãos. Aqui no Brasil (não quero de forma nenhuma menosprezar o Brasil, amo o meu país e acho aqui sensacional) a cultura não é muito difundida, pelo menos não para a grande maioria da população. Isso se deve, em parte ou principalmente, ainda não sei, não à indiferença dos governantes, etc., mas ao desinteresse do povo. Existem exceções, pessoas que se interessam por arte e muitas vezes não encontram o que procuram. E voces do PQP Bach disponibilizam um acervo fabuloso para aqueles que querem. Dizem que quem procura acha. Esse site me faz ter quase certeza disso.
    Obrigado, mais uma vez.

  5. Olá,
    Gostaria de saber se seria possível ser refeito o upload do Salvador Rosa de 1977 e deste aqui de 2004 também. Os links não funcionam mais.

    Obrigado!

Deixe uma resposta