Coleção Grandes Compositores 13/33: Antonio Vivaldi (1678-1741)

O décimo terceiro volume da Coleção Grandes Compositores, nos traz alguns dos mais famosos trabalhos do Padre Ruivo. Confesso que já tive vontade de me livrar dessa coleção de uma vez por todas, postando vários volumes de uma vez só e sem me preocupar em escrever algum texto sobre o compositor, mas pensei melhor e decidi que vale a pena fazer cada postagem individualizada. Infelizmente o 33º volume não vai poder ser postado, pois trata-se de Villa-Lobos, e acho que já é notório os problemas que tivemos com as postagens de obras do maior compositor das Américas.

Um grande abraço a todos!

Excetuando-se talvez o amor romântico, nenhum assunto inspirou mais os músicos do que as delícias da natureza. Ao longo dos séculos, grande número de compositores tentou traduzir em melodias os seus encantos: a Sinfonia Pastoral de Beethoven, La Mer de Debussy, as evocações florestais de Bruckner, Mahler e Sibelius, são apenas alguns dos exemplos mais famosos desse rico legado de músicas inspiradas na natureza. No topo dessa lista, ou bem perto dele, encontra-se  o quarteto de concertos para violino de Antonio Vivaldi, conhecido como As Quatro Estações, Op. 8.

Já adulto, na Itália das primeiras décadas do século XVIII, Vivaldi cultivava o concerto acima de todas as outras formas musicais. Compôs mais de 400 trabalhos desse tipo, tendo incorporado a eles uma grande variedade de timbres e efeitos instrumentais, assim como um estilo expressivo e ajustado de inventividade melódica. Nas Quatro Estações, Vivaldi utilizou esses recursos com o que se poderia chamar de finalidades pictóricas, para imitar fenômenos naturais como o vento, a chuva e o canto dos pássaros, bem como atividades humanas, como a dança e a caça. Para eliminar quaisquer dúvidas a respeito dessas alusões auditivas, ele chegou a registrar frases descritivas nas partituras das Estações, nos lugares correspondentes.

Além disso, quando publicou as Quatro Estações, em 1725, Vivaldi prefaciou cada concerto com um poema resumindo o programa ou “enredo” da música. Esses versos, sem dúvida, contribuíram muito para o rápido sucesso dos concertos. Durante sua vida, a obra foi fartamente executada em toda a Europa e recebida com entusiasmo. Consta que ninguém menos que o rei Luís XV, da França, solicitou a inclusão do concerto Primavera nas audições parisienses.

Cada um dos concertos que compõe as Quatro Estações foi composto segundo o esquema de três movimentos (rápido-lento-rápido) que Vivaldi adotara para esse tipo de composição. Dentro desse esquema bastante convencional, no entanto, os detalhes musicais não deixam de evocar a natureza e suas criaturas.

Fonte: Encarte do álbum.

Uma ótima audição!

.oOo.

Coleção Grandes Compositores Vol. 13: Antonio Vivaldi

DISCO A

Concerto Nº 1 em Mi, RV 269 “Primavera”
01 Allegro 3:30
02 Largo 2:28
03 Allegro 3:56
Solista: Christopher Hirons

Concerto Nº 2 em Sol Menor, RV 315 “Verão”
04 Allegro non molto 5:28
05 Adagio – Presto 2:03
06 Presto 2:44
Solista: John Holloway

Concerto Nº 3 em Fá, RV 293 “Outono”
07 Allegro 5:03
08 Adagio molto 2:22
09 Allegro 3:09
Solista: Alison Bury

Concerto Nº 4 em Fá Menor, RV 297 “Inverno”
10 Allegro non molto 3:23
11 Largo 2:01
12 Allegro 3:08
Solista: Catherine Mackintosh

Concerto Nº 5 em Mi Bemol, RV 253 “La Tempesta di Mare”
13 Presto 2:48
14 Largo 2:35
15 Presto 3:40
Solista: John Holloway

Concerto Nº 6 em Dó, RV 180 “Il Piacere”
16 Allegro 2:55
17 Largo 2:21
18 Allegro 2:46
Solista: Alison Bury

Academia de Música Antiga, Christopher Hogwood

DISCO B

Concerto para Cordas em Sol “alla rustica”, RV 151
01 Presto 1:08
02 Adagio 1:01
03 Allegro 1:31

Concerto para Oboé e Violino em Si Bemol, RV 548
04 Allegro 3:44
05 Largo 3:21
06 Allegro 2:10
Oboé: David Reichenberg – Violino: Simon Standage

Concerto em Dó “con molti stromenti”, RV 558
07 Allegro molto 5:21
08 Andante molto 1:45
09 Allegro 2:55
Flauta-doce: Philip Picket, Rachel Beckett
Chalumeau: Colin Lawson, Carlos Riera
Violino: Simon Standage, Micaela Comberti
Bandolim: James Tyler, Robin Jeffrey
Tiorba: Nigel North, Jakob Lindberg
Violoncelo: Anthony Pleeth

Concerto para Dois Violinos em Sol, RV 516
10 Allegro molto3:49
11 Andante (molto) 2:04
12 Allegro 3:05
Violinos: Simon Standage, Elizabeth Wilcock

Concerto para Oboé em Lá Menor, RV 461
13 Allegro non molto 4:13
14 Larghetto 3:14
15 Allegro 2:38
Oboé: David Reichenberg

Concerto para Dois Bandolins em Sol, RV 532
16 Allegro 4:01
17 Andante 2:09
18 Allegro 3:51
Bandolins: James Tyler, Robin Jeffrey

The English Concert
Cravo, órgão e regência: Trevor Pinnock

BAIXE AQUI – DOIS DISCOS / DOWNLOAD HERE – TWO DISCS

Marcelo Stravinsky

18 comments / Add your comment below

  1. Bah, Hogwood e Pinnock, meus intépretes favoritos do barroco… durante muitos anos minha versão favorita das 4 Estações era essa do Hogwood, com o excelente John Halloway, um especialista nesse repertório. Além disso, eu era fã, e ainda sou, das capas desses discos da EMI, lindíssimas e muito inspiradas.

  2. Ótima postagem.
    Só não baixo porque já tenho.
    Cara, já vi um cara ser gang-banged no orkut por ter dito que “As Quatro Estações” era a melhor “música clássica” de todos os tempos. O pior é que eu não só concordo com ele como amplio sua opinião: é uma das realizações artísticas mais completas que eu já vi.
    O amanhecer e os pássaros da primavera, as muriçocas do verão, os bêbados no outono já são fodásticos, mas o inverno é o melhor. Cara, quando o inverno vem chegando o ouvinte vai se arrepiando!!!! É fantástico! Adoro essa obra.
    Download obrigatório.

  3. O problema de obras-primas assim, é sempre o mesmo. Popularização excessiva!
    Alguém disse: Se alguém gosta de uma obra minha, isso é bom. Se ninguém gostar isso é ruim, mas se todos gostarem, isso é terrível! Não sei a quem é atribuído esse pensamento, talvez algum filósofo iluminista… Bom, não importa, só sei que concordo plenamente.

    1. Concordo em parte.
      De fato, quando uma grande obra é popularizada à exaustão, dá a impressão de que ela se desgasta e se torna menor, menos brilhante e pouco interessante. Mas isso,acho que é ilusório, pois a obra é valiosa por si mesma, independente da classificação que pessoas lhe atribuam durante os séculos.
      Por um lado eu acho maravilhoso uma obra como a música de Vivaldi ser apreciada por todos sem distinção, e isso é algo louvável nos tempos modernos. Mas por outro acho triste que essa mesma obra ganhe uma conotação popularesca só para se adequar às massas.

  4. Já baixei. Estou pondo no meu mp4 para ouvir a tarde inteira. Concordo com as duas opiniões acima… Legal é que dia 20 de março(se eu não estou enganado), a Orquestra Cidadã aqui do Recife vai tocar As Quatro Estações em alguma igreja por aqui… não me recordo se em Olinda ou aqui em Recife… Terei a oportunidade de ouvir agora, e em alguns dias, ao vivo! Belo post! Obrigado!

      1. Você tem razão e é coisa recente. Quase todos os meus arquivos no Mediafire foram marcados com status de COPYRIGHT. Ainda estou tentando sanar o problema. Pode demorar um pouco mais. Obrigado pela compreensão!

  5. sempre que possivel eu estou visitando o este site, e queria pedir cariosamente que se pudesse colocar as obras de Liszt, sendo 6 Études d’exécution transcendante d’après Paganini S.140 – primeira versão e 6 Grandes Études de Paganini S.140 – segunda versão, eu e muito fãns de Liszt ficariam muito grato.

    muito bom mesmo o materia do seu site. obrigado.

  6. Vou baixar logo essas versãos com instrumento de época. Gosto muito dessas orquestras. É interessante que meu primeiro CD há uns 25 anos foi as quatro estações com a London Synphony Orchestra – Claudio Abbaddo e o fantástico Gidon Kremmer.

  7. Olá, conheci o blog à pouco. Achei bastante interessante essa coleção para minha iniciação, ou talvez imersão, nesta dimensão da música. Muito triste essa barreira na publicação da obra do Heitor, no entanto eu agradeceria se tu postasse a lista de faixas do cd assim como seu respectivo texto. Claro, caso isso não te dê trabalho.

  8. “(…) Infelizmente o 33º volume não vai poder ser postado, pois trata-se de Villa-Lobos, e acho que já é notório os problemas que tivemos com as postagens de obras do maior compositor das Américas.”

    Basicamente, para que se poste o texto e as faixas do último volume,o do Heitor Villa-Lobos, mesmo que não seja possível o link com os mp3s. Eu ficaria muito grato.

  9. Bom, tenho 18 anos e não conheço muito sobre música erudita. Sei que quando ouço me sinto muito bem, principalmente Tchaikovsky,Liszt e Wagner. Espero ter um dia o conhecimento e essa afinidade que vcs tem por música clássica, que cada vez mais vem me fascinando.

Deixe uma resposta