Johannes Brahms (1833-1897) – Sinfonia No. 4 em Si menor, Op. 98 (CD 3 de 3) – final

Vamos à última postagem da integral com as sinfonias de Brahms. Agora temos a monumental Sinfonia No. 4. Entre as 4 sinfonias de Brahms, a que mais gosto é a de número 1. Ela é trágica, tensa, cheia de uma massa orquestral que celebra a perfeição. Mas a número 4, reconheço, é a perfeição sinfônica de Brahms. É como se ele fosse treinando, burilando-se, aperfeiçoando-se nas demais e, na número 4, Brahms exatificasse a potencialização do sublime. Ele começou a composição da obra no ano de 1884, ou seja, um ano após ter concluída a magnificente número 3. O compositor concluiu a número 4 em 1885, numa fase de grande maturidade e proficuidade musical. Rattle conduz com autoridade. É uma trabalho digno de respeito. Boa apreciação dessa monumental Sinfonia No. 4 do meu querido Brahms.

Johannes Brahms (1833-1897) – Sinfonia No. 4 em E menor, Op. 98

01 Allegro Non Troppo
02 Andante Moderato
03 Allegro Giocoso, Poco Meno Presto, Tempo
04 Allegro Energico E Passionato, Più Allegro

Berliner Philharmoniker
Simon Rattle, regente

BAIXAR AQUI

Carlinus

6 comments / Add your comment below

  1. Como já disse aqui, Brahms é meu compositor favorito. E a 4, a favorita das sinfonias dele. Sinto ela como ainda mais trágica que a 1ª. É uma obra de profundidade raras vezes alcançada no universo sinfônico. Já me inspirou poemas. Absolutamente sublime.

  2. esta sinfonia é fenomenal! absolutamente sublime, como foi dito aqui em cima.
    ah! só para ajudá-los, saiu “sinfonia em Si menor”, mas na verdade é em “Mi menor”. sei que para alguns, isso não fará a menor diferença… mas sei lá, né? é como colocar o número de opus errado.
    aliás, vejo que de vez em quando vcs escrevem as tonalidades de modo bilingue. E menor, G maior… (fica parecendo cardápio, que a gente lê “nhoque” escrito em dois idiomas ao mesmo tempo). sei que estou sendo chato, mas só gostaria de ajudá-los… Do(C), Ré(D), Mi(E), Fá(F), Sol(G), Lá(A), Si(B). Sharp (sustenido), flat (bemol). Em alemão: Dur (maior), moll (menor), e H é Si, enquanto B é si bemol.
    nossa… compliquei, né? não me levem a mal

  3. A minha sinfonia brahmsiana favorita é a Terceira, mas é indubitável que a Quarta é a maior do ciclo. E essa gravação do Rattle é surpreendemente boa…!

Deixe uma resposta