Ludwig van Beethoven (1770-1827) – Variações sobre uma Valsa de Diabelli

Postamos aqui, em versão CD, a respeitabilíssima gravação que o Príncipe Salinas possui em DVD. É um espanto e só perde mesmo para a versão de Pollini… Brincadeira, claro! Mas é verdade! É minha opinião! Vou lutar por ela! HAHAHAHA! Tenho mais de 50 anos e sei quão produtivas são essas briguinhas. Mas discutir e provocar é bom, né Príncipe? Concordo. As Diabelli são do período final e mais perfeito e maravilhoso de nosso Ludwig van: o dos indispensáveis quartetos, das primordiais últimas sonatas e da capital Nona Sinfonia. Se amanhã, lá pelas 10 da noite, não tivermos 100 downloads, desisto do blog. Um dia, posto o Pollini endiabrado das Diabelli. Por ora, fiquem com o pianista mais futuroso em atividade.

Note bem, Príncipe, Anderszewski nasceu em 4 de abril de 1969. 4 de abril é o dia de aniversário do Sport Club Internacional e 1969, o ano da inauguração do Beira-rio, onde o São Paulo morreu em 2006. Note bem, Príncipe, é um sinal…

Ludwig van Beethoven – Diabelli Variations

1. 33 Variations on a Waltz in C major by Diabelli Op.120: Tema: Vivace 0:54
2. 33 Variations on a Waltz in C major by Diabelli Op.120: Variation I: Alla marcia maestoso 1:53
3. 33 Variations on a Waltz in C major by Diabelli Op.120: Variation II: Poco allegro 0:54
4. 33 Variations on a Waltz in C major by Diabelli Op.120: Variation III: L’istesso tempo 1:33
5. 33 Variations on a Waltz in C major by Diabelli Op.120: Variation IV: Un poco più vivace 1:02
6. 33 Variations on a Waltz in C major by Diabelli Op.120: Variation V: Allegro vivace 0:59
7. 33 Variations on a Waltz in C major by Diabelli Op.120: Variation VI: Allegro, ma non troppo 1:56
8. 33 Variations on a Waltz in C major by Diabelli Op.120: Variation VII: Un poco più allegro 1:14
9. 33 Variations On A Waltz In C Major By Diabelli Op.120: Variation VIII: Poco Vivace 1:30
10. 33 Variations on a Waltz in C major by Diabelli Op.120: Variation IX: Allegro pesante e risoluto 1:48
11. 33 Variations on a Waltz in C major by Diabelli Op.120: Variation X: Presto 0:40
12. 33 Variations on a Waltz in C major by Diabelli Op.120: Variation XI: Allegretto 1:28
13. 33 Variations on a Waltz in C major by Diabelli Op.120: Variation XII: Un poco più mosso 0:59
14. 33 Variations On A Waltz In C Major By Diabelli Op.120: Variation XIII: Vivace 1:05
15. 33 Variations on a Waltz in C major by Diabelli Op.120: Variation XIV: Grave e maestoso 6:20
16. 33 Variations on a Waltz in C major by Diabelli Op.120: Variation XV: Presto scherzando 0:38
17. 33 Variations on a Waltz in C major by Diabelli Op.120: Variation XVI: Allegro 0:59
18. 33 Variations On A Waltz In C Major By Diabelli Op.120: Variation XVII: Allegro 1:03
19. 33 Variations On A Waltz In C Major By Diabelli Op.120: Variation XVIII: Moderato 2:18
20. 33 Variations on a Waltz in C major by Diabelli Op.120: Variation XIX: Presto 1:02
21. 33 Variations on a Waltz in C major by Diabelli Op.120: Variation XX: Andante 2:56
22. 33 Variations on a Waltz in C major by Diabelli Op.120: Variation XXI: Allegro con brio 1:35
23. 33 Variations On A Waltz In C Major By Diabelli Op.120: Variation Xxii: Molto Allegro (Alla ‘Notte E Giorno Faticar’ Di Mozart) 0:52
24. 33 Variations On A Waltz In C Major By Diabelli Op.120: Variation Xxiii: Assai Allegro 0:52
25. 33 Variations On A Waltz In C Major By Diabelli Op.120: Variation Xxiv: Fughetta. Andante 3:45
26. 33 Variations on a Waltz in C major by Diabelli Op.120: Variation XXV: Allegro 0:48
27. 33 Variations On A Waltz In C Major By Diabelli Op.120: Variation Xxvi: Allegro 1:06
28. 33 Variations On A Waltz In C Major By Diabelli Op.120: Variation Xxvii: Vivace 1:03
29. 33 Variations On A Waltz In C Major By Diabelli Op.120: Variation Xxviii: Allegro 1:02
30. 33 Variations On A Waltz In C Major By Diabelli Op.120: Variation Xxix: Adagio, Ma Non Troppo 1:18
31. 33 Variations on a Waltz in C major by Diabelli Op.120: Variation XXX: Andante, sempre cantabile 3:13
32. 33 Variations On A Waltz In C Major By Diabelli Op.120: Variation Xxxi: Largo, Molto Espressivo 6:33
33. 33 Variations On A Waltz In C Major By Diabelli Op.120: Variation Xxxii: Fuga. Allegro 3:43
34. 33 Variations On A Waltz In C Major By Diabelli Op.120: Variation Xxxiii: Tempo Di Menuetto, Moderato (Ma Non Tirarsi Dietro) 3:52

Piotr Anderszewski, piano


BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

29 comments / Add your comment below

  1. Só posso sentir-me muitíssimo lisonjeado. Já vi atendimentos rápidos, mas nem fast-food é assim. Fiz o pedido às 19h17 (ver post do Stravinsky, Prokofiev, Webern e Boulez). Eis que 13 minutos depois vejo-o atendido. É demais.

    Se este não é o melhor SAC da internet eu não sei o que pode ser.

  2. Caro Sr.

    Escrevo sugerindo a troca de servidor pois não consigo baixar mais nada pelo Rapidshare.

    Inventaram agora uma forma de inibir os downloads grátis, usando letras misturadas com gatos, Daí tem-se que descobrir quais os gatos que estão para baixo ???!!!

    Tratamento odioso este dado a “liberdade” de baixar grátis – típica coisa do Império Capitalista Americano mais uma vez forçando-nos a pagar para quem já tem muito.

    Grato pela compreensão.

  3. Admito que cedi e tenho uma conta Premium do Rapidshare. No entanto, a combinação “conta Premium + blog P.Q.P. Bach” tem se mostrado campeã, como comprovam os meus 15GB de mp3 de música clássica (>90% do blog).

    Sei que é caro (nem tanto, na verdade), mas recomendo muito uma conta Premium. Poucas coisas são gratuitas e excelentes, infelizmente.

  4. Bom agora posta aí a segunda melhor gravação das Diabelli a do SV.Richter…ehehe…vai dizer que não gosta do Richter…se tem mais de 50 gosta!

  5. Anders diz no dvd que as Diabelli são maiores que as do seu pai,PQP, as Goldberg, porque o material melódico inicial do Bach era muito bom , aquela sarabanda que já constava dos Caderrnos de Anna Magdalena, agora difícil mesmo, como diz ele, é tirar leite de pedras como fez o BETO , com aquela valsinha michuruca…eheheh…ainda vou postar o debate nas comunidades para ver o circo pegar fogo…ehehe

  6. Tranquilo PQP faltam só dois títulos mundiais e um Nacional para o Colorado alcançar o TRICOLOR …coisa fácil…eheheh…ou você acha que Falcão e Carpegiani nascem todos os dias…pergunte para a Laís …só na outra encarnação….ahahah…e isto se você acreditasse em reencarnação, como é agnóstico…..

  7. Essa coisa de agnóstico é bichice, coisa de Richarlyson. Eu sou é ateu!

    O Anders tem razão ao dizer que o material de Bach era raríssimo e a Diabelli ralíssima. Mas quem quis sofrer foi o Ludwig, não temos nada a ver com o masoquismo alheio.

  8. e olha temos ainda as Diabelli do Schnabel, considerado hours concours, e a do Gulda que eu estava esquecendo, mas esta tudo bem acho que está um degrau abaixo, acho.
    Já Schnabel é como Dario Pereira, todos sabem que foi o maior beque que pisou neste país, muito melhor que o perna de pau do Figueiroa que levou um baile do Jairzinho e Palhinha na Libertadores de 76, naquele histórico Inter x Cruzeiro.

  9. Impressionante, converse com pianistas profissionais e pergutem quem é o maior em Beethoven, a resposta será Schnabel, em 70% dos casos, seguido de Kempff…eheheh…

  10. Nunca ouvi a versão do Pollini mas possuo a do Brendel, achando-a magnífica…
    Mas afim de ouvir opiniões bem mais sábias que a minha, pergunto-vos pelas vossas, caso conheçam a gravação do Brendel.

    Agora, de todas as grandes gemas de Beethoven, penso que apenas falta a partilha da monumental Missa Solene.

    Atenciosamente e a desejar uma boa continuação de grandes postagens por aqui.

    P. S. E falando de sugestões… seria magnífica uma postagem de Arvo Pärt. Começando pelo excepcional CD da ECM “Tabula Rasa”… ou talvez o Alina. Ou qualquer outro!

  11. Putz!

    Não esperava ver as Diabelli tão rápido por aqui, afinal PQP havia feito uma vaga menção de postá-las no aniversário de Beethoven, ou seja, somente em 16 de dezembro.
    Já havia, inclusive, me armado com toda a paciência de esperar.
    Belíssima e esperada postagem, pode crer que um dos 100 downloads será meu.

    Sobre o Rapidshare, realmente uma bela sacanagem. Uma dica: não repitam os caracteres com cachorrinhos, somente os com gatinhos. Agora, sobre a possibilidade de adquirir uma conta Premium, não acho muito atraente, visto que o modo de burlar o site e fazer downloads à vontade é algo muito simples e conhecido de todos, não?

    Um outra coisa. Nâo sei se vocês viram na Folha Ilustrada, hoje:

    ALEMÃES DESCOBREM OBRA INÉDITA DE BACH.

    Pesquisadores descobriram na Alemanha as partituras de uma composição para órgão de J. S. Bach. Só os cinco primeiros compassos da obra eram conhecidos até a descoberta desta cópia – feita no século XIX por Wilhelm Rust, que editou os primeiros volumes da obra completa de Bach. Especialistas dizem não ter dúvidas de que são originais do compositor.

    Abraço a todos.

  12. PQP Bach, no seu e-mail estão os links pra download dos Concertos para Piano e Orquestra de Mozart, na interpretação de Daniel Barenboim e a Orquestra de Câmara da Inglaterra.

    Até mais.
    Sóstenes.

  13. ARNOLD SCHÖNBERG
    PETER SERKIN: PIANO
    DAS KLAVIERWERK (2001)
    320 KBPS
    Unlike Bartok or Debussy, Schönberg was not a pianist but a string player. This did not, however, prevent him from marking every important step of his evolution with a work for solo piano: first the progressive distance from tonality and its formal references (Opus 11 & 19), then the elaboration of the serial system (Opus 23/5) and finally ‘putting it into service’ (opus 25).
    From the use of harmonics (the right hand pressing down on the keys without striking the strings) in the first piece of opus 11, the brilliant, fragmented writing of the magnificent third piece, to the rarefaction of matter in the sound studies represented by the Six Pieces, opus 19, up to the dazzling Gigue of the suite, opus 25, Schönberg’s piano music offers a multiplicity of approaches that need not be jealous of that of his contemporaries.
    Drei klavierstücke, opus 11 (1909)
    1. I-Mäßig
    2. II-Mäßig
    3. III-Bewegt
    Sechs klein klavierstücke, opus 19 (1911)
    4. I-Leicht, zart
    5. II-Langsam
    6. III-Sehr langsam
    7. IV-Rasch, aber leicht
    8. V-Etwas rasch
    9. VI-Sehr langsam
    Fünk klavierstücke, opus 23 (1920-1923)
    10. I-Sehr langsam
    11. II-Sehr rasch
    12. III-Langsam
    13. IV-Schwungvoll
    14. V-Walzer
    Klavierstücke, opus 33 a & b (1931)
    15. I-Mäßig
    16. II-Mäßig langsam
    Suite, opus 25 (1921-1923)
    17. I-Präludium
    18. II-Gavotte, III-Musette
    19. IV-Intermezzo
    20. V-Menuett. Trio
    21. VI-Gigue

    http://rapidshare.com/files/89188674/ASDK01.rar
    senha: MOODSWINGS

  14. Carteiro, as diabelli por Alfred Brendel é muito boa.

    Alias, Brendel é um especialista em Beethoven.

    Mas a versão de Pollini é sensacional. Ele consegue ressaltar nuances, detalhes, que a outros pianistas parecem passar desperecebidos, ou pelo menos de menor relevancia.

    Ouvi a versão de Anderszewski… Confesso que me surpreendi positivamente! Entretanto, embora eu não ganhe nada em defender o pianista italiano, tenho que colocar a sua interpretação em primeiro lugar.

    Engraçado principe… Tenho conversado com alguns pianistas, e muito deles consideram Pollini como o maior pianista vivo da atualidade, e um gigante do piano do século xx.

    Enviei ainda ontem a versão de Pollini da Hammerklavier a um amigo pianista; ele simplesmente me disse que não acreditava no que estava ouvindo.

    Chego a cogitar que no futuro o mundo musical vai referir-se a esse pianista, da mesma forma que hoje falamos de Oistrakh, Rubinstein, ou ainda mais remotamente: Schupanzigh, Joseph Joachim… etc

  15. Cá entre nós, Lais. Pollini só não é o maior do século XX ou da virada do século porque ainda não morreu. Espero que ele não se apresse para fazer isso. Está bom assim.

    Os MÚSICOS amigos meus são muitos. E eles destacam MP da mesma forma que os teus, e meus (nossos) ouvidos confirmam!

  16. Lais, agradeço a resposta.
    Tenho, de facto, de ouvir estas Variações pelo Pollini. Em relação a Beethoven, só ouvi a sua interpretação das últimas cinco sonatas para Piano (que descarreguei deste blog há uns meses) e estão magníficas.

  17. Anderszewiski ‘s Wigmore performance of the Diabelli excited rave reviews and this searching and finely recorded account is quiet simply the most outstanding , most thoughtful and impressively played version of the Diabelli Variations to have appeared for many years.

    The Penguin Guide=2008!

  18. O comentário da Penguin, sobre a gravação de Pollini , está postado lá atrás.
    A Penguin é o mais importante guia de música clássica do mundo contando-se do período clássico-romântico em diante, para trás,Barroco,renascentismo e medieval o mais importante é sem dúvida o Gramophone Classical Guide.

  19. E antes que me atirem pedras pelo fato de consultar guias, me desculpem, além dos guias as Revistas Gramophone e Diapason, alem de alguns outros críticos;fazer o quê? Desperdiçar dinheiro não posso, assim só vou na boa hoje em dia, não quer dizer que concorde com eles em tudo , são apenas referências, aliás como o PQP e o FDP , o Médico e o Monstro!

  20. Grande Sertão, Está tudo na mão de PQP Bach, torçam pra que ele deixe disponivel para os visitantes do blog.
    Eu já tenho, espero que vocês tenham também.

    Até mais.

  21. PQP Bach, não sei se ta acontecendo só comigo, mas no rapidshare aparece mais caracteres do que o permitido pra digitar na hora de iniciar o download, por conta disso não consigo baixar esse album.

    alguma coisa pode ser feita?

  22. Não sei o que te dizer, Sóstenes. Tenho uma conta paga no rapidshare e minha vida é bem tranqüila. Só posso te aconselhar a fazer o mesmo…

Deixe uma resposta