Johannes Brahms (1833-1897) – Quarteto para Piano, 2 Violinos, Viola e Violoncelo, Op.34

Talvez hoje, o blog P.Q.P. Bach acabe. Talvez F.D.P. me chame para um duelo a fim de limpar sua honra. É que ele fez upload deste arquivo e ele o deixou ali. Deixou, deixou, deixou e deixou. Deixou até que eu não agüentar mais e postar! Pura sacanagem, entendem? É que a Lais Vogel disse que era maravilhoso ouvir Pollini tocando Brahms e eu simplesmente resolvi atropelar meu companheiro de blog, oferecendo a vocês uma postagem, bem, de outrem. Não me queira mal, FDP, e se quiseres escolher as armas, proponho bexiguinhas d`água ou arremesso de CDs. Desculpe, mas não sou sempre confiável.

O Op.34 de Brahms é daquelas obras-primas pela quais este blog deveria ter começado. A versão de Pollini com o Quartetto Italiano é de ajoelhar e pedir para que não acabe nunca mais.

Ah, e essa coisa que tal e qual pianista é melhor para tal e qual autor… Acho melhor reduzir isso a obras… Eu reduziria a movimentos. Acho empobrecedor que alguém diga que Schubert TENHA de ser com Brendel, por exemplo (e, veja bem, eu amo Alfred Brendel) ou que Bruckner escreveu sua obra exclusivamente para Jochum. Na minha opinião, a melhor Wanderer que possuo é com Vladimir Feltsman. Deveria me suicidar?

Quarteto para Piano, 2 Violinos, Viola e Violoncelo, Op.34

1. Allegro Non Troppo–Poco Sostenuto–Tempo I
2. Andante, Un Poco Adagio
3. Scherzo. Allegro–Trio
4. Finale. Poco Sostenuto–Allegro Non Troppo–

Maurizio Pollini
Quartetto Italiano

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

25 comments / Add your comment below

  1. (risos)

    PQP se você acabar o blog por isso, serei vítima de atroz remorso!

    Não faça uma coisa dessas.

    Ademais, fui eu quem solicitou no forum “pedidos”, esta interpretação do op.34!!

    E confesso a você… Estou ainda me refazendo… O primeiro movimento me arrancou lagrimas… e o resto da obra me levou a esquecer as preocupações com que me vejo envolvida no momento!

    Ah! Só um adendo, embora a fotografia do CD aí não mostre, esse registro faz parte da coleção “The originals”, que são as gravaçoes lendárias da DG!

    Tenho chegado a conclusão que essa Coletânea realmente não é marketing… é coisa fina e rara!

  2. Prezado PQP,
    Eu estava apenas esperando o momento certo para postar este cd. Se vc não reparou, minhas últimas postagens foram dedicadas ao violino, e ontem, por “insistência” de Clara Schumann, postei aquele Gershwin.
    Outra questão: na verdade, esta minha gravação faz parte também da Complete Edition da DG, e fo dali que a tirei. Infelizmente, não possuo o cd original. Embora alguns menosprezem estas integrais, elas trazem verdadeiras raridades, que não encontraríamos tão facilmente.
    Laís, vc encontrou o quinteto op. 111?

  3. FDP, peço-te sinceramente desculpas por atrapalhar teu planejamento. Acho que não gostaria se tu postasses um de meus arquivos… Mas foi irresistível e tive um ataque ao ver este tesouro há dias ali parado e a coisa ficou pior depois de ouvi-lo.

    Não faço mais, OK?

  4. Esta gravação é boa. Mas a gravação desta obra com Perahia e o Quarteto Amadeus, na minha opinião, é insuperável!!!
    Pena que eu só tenha esta gravação em vinil… (por acaso vcs tem ela por aí?)

  5. Opsss, desculpe minha desatenção…
    Fiz referência ao Opus 25 e não ao Opus 34 em questão.
    Assim mesmo eu suplico por esta obra (a Opus 25!!). Bitte.

  6. Estranha coincidência e eu ouvia este cd quando abri agora o computador e postei lá na comunidade no topico ”O que vc ouve hoje” , o ”QUINTETO PARA PIANO” e não Quarteto; PQP muito preocupado em defender seu queridinho Pollini, errou o nome da obra …eheheheh…cuja maior gravação é do Busch com Serkin…eheheh….Ecos da ”Truta”, acho eu!
    A integral destas obras com o AMADEUS eu tenho, e é irregular, algumas extraordinárias outras apenas boas, na média, muito boa 4 estrelas em cinco.
    Os pianos trios com os CAPUÇON , Renaud e Gautier ao violino e cello respectivamente e acompanhados pelo extraordinário Nicholas Angelich , são TOP nos pianos Trios, selo Virgin!
    Alban Berg nos Quartetos e congêneres para cordas são também extraordinários se bem que o Busch parece ser a grande referência antiga destas obras.

  7. FDP, encontrei o quinteto!

    Um amigo nosso, o Luiz, colaborador la da comunidade disponibilizou o Quinteto com o Amadeus Quarteto com o Quarteto amadeus.

  8. Eu acho que quase todo mundo está dizendo que a sua gravação é melhor… Eu concordo com o Mário que a gravação Gilels + Amadeus é melhor, mas também não é tanta diferença.

  9. Sem dúvida que tanto a Opus 25 quanto a Opus 34 são duas maravilhas do mestre hamburguês.

    Mas tem um coisa que me incomoda quando ouço o quinteto: Ela não foi concebida originalmente para esta formação.

    Sem querer monosprezar a obra em fá menor, reparem que os instrumentos não tocam de maneira tão indepedente como no Opus 25. (Mas claro, antes ela era uma sonata para dois pianos!)

  10. Essa do Gilels + Amadeus ainda não conheço, e deve ser uma perola!

    A que eu tenho mesmo é a do Rubinstein que foi postada aqui.

  11. Gilels com o Amadeus é o da integral , não? Existe um do Amadeus com Curson que ainda vem com a TRUTA, aliás impossível não se lembrar da Truta neste quinteto Brahmsiano;assim como os trios remetem a Beethoven.
    PQP você não vai corrigir o título? Do disco , PQP …ehehehe….aquele que o Inter garfou do Tricolor não tem mais jeito!

  12. Caros blogueiros
    Tem como revalidar esse link?
    É que ultimamente eu to meio “doente” nesse quinteto e gostaria de conhecer outras versoes. Tenho ouvido a do Kodaly Quartet com Jeno Jando que é de arrasar também.
    Fui acometido desse mal depois de ouvir um concerto semana passada, vai demorar pra passar.
    Tem um remedinho ai?

Deixe uma resposta