.: interlúdio :.

Chico Hamilton é também uma lenda do jazz, embora relativamente pouco conhecido. Ainda assim, é um dos raros bateristas a quem se pode nomear e identificar de ouvido. Chico – não sei o porquê do apelido, mas de qualquer forma é melhor do que seu nome, Foreststorn – tocou com centenas de músicos ao longo de quase 70 anos de carreira (ainda em curso, veja-o em NY) e domina quase todos os estilos do jazz. No dia 22 de agosto de 1958, reuniu-se com seu quinteto – que incluía um jovem promissor chamado Eric Dolphy – e gravou 9 temas de Duke Ellington para a obra que seria nomeada, apropriadamente, de Ellington Suite. O registro ficaria conhecido por conter os primeiros solos gravados de Dolphy.

Para dissabor de muitos, o produtor da Pacific Jazz preferiu a segunda sessão, com Buddy Collette nos sopros, e enterrou a série com Dolphy. 25 anos depois as fitas foram encontradas por jazzófilos, e o registro foi recuperado – e é hoje trazido a vocês. Que sabem o que vão encontrar: temas suaves e midtempo de Ellington, o sax angular de Dolphy e a leveza certeira de Hamilton criando atmosferas sofisticadas.

Chicofront

Chico Hamilton Quintet – Original Ellington Suite (320)
Chico Hamilton: drums
Eric Dolphy: alto saxophone, flute, clarinet
Nate Gershman: cello
John Pisano: guitar
Hal Gaylor: bass
Produzido por Richard Bock para a Pacific

download – 66MB
01 In A Mellotone – 4’18
02 In A Sentimental Mood – 5’40
03 I’m Just A Lucky So And So – 5’09
04 Just A Sittin’ And A Rockin’ – 5’25
05 Everything But You – 5’16
06 Day Dream – 3’42
07 I’m Beginning To See The Light – 5’07
08 Azure – 3’13
09 It Don’t Mean A Thing – 4’19

Boa audição!

4 comments / Add your comment below

  1. Por tudo que conheço de Dolphy, achei bastante delicado de tua parte chamar seu sax de “angular”. Alguns solos do genial Dolphy permanecem em meus ouvidos como um som dissonante, inquieto e impossível de ignorar. A aceitar tua adjetivação, diria que os ângulos são muito agudos, não chegando nunca perto dos 90º.

    Vou ouvir com carinho, mas já gostei sem ouvir.

    Abraço.

Deixe uma resposta