.:interlúdio:. A primeira explosão jazzística de uma estudante de piano clássico: Nina Simone, Little Girl Blue (1958)

Nina Simone / Little Girl Blue[Postado originalmente em 18.10.2010]

Resolvi fazer minha primeira incursão no jazz neste blog. Como o colega PQP disse de si, não sou nenhum especialista nesse gênero: nem pensem em discutir comigo detalhes de estilos, gravações, nomes – mas, como em quase todos os campos, tenho minhas paixões também no jazz – e esta é provavelmente a maior. Não estranhem, portanto, que se trate de alguém que chegou a esse campo por uma porta lateral ou dos fundos, ou que fez qualquer caminho que não o mais usual em qualquer coisa: quase todas as minhas paixões são assim!

Nina Simone http://i33.tinypic.com/2rgjpsn.jpg

Miss Simone, ou melhor, Eunice Kathleen Waymon (com 36 anos na foto ao lado), começou com o piano aos 3 anos e fez um caminho de aprendizado clássico, como se nota das inflexões chopinianas da faixa 9 e sobretudo nas bachianas por toda parte, em especial na faixa 7.

Acontece que os recursos para bancar os estudos, pra variar um pouquinho, eram escassos, e Miss Waymon começou a levantar uns trocos tocando e cantando na noite – coisa que a senhora sua mãe pastora metodista fundamentalista não podia saber de jeito nenhum, pois apesar de não haver lido Drummond jamais consideraria isso uma solução, apenas uma quase-rima: com DEMON.

Foi assim que nasceu uma nova pessoa: Nina Simone – que levou uma vida tão cheia de aventuras e desventuras (pelo Caribe, África e França, inclusive impedida – acreditem – de voltar aos EUA por razões legais) que vocês deveriam procurar ler sobre ela em algum lugar.

Em 1958 sai então o primeiro disco dessa figura, então com 25 anos: Little Girl Blue. Estou dizendo porque todas as fontes dizem, mas não estranho se vocês duvidarem como eu duvidei: “isso não pode ser um disco de estreia!”

Não ouso dizer que seja um dos melhores discos da história do jazz porque, como já disse, não sou especialista e poderia ser apedrejado. Mas para mim, meu sentir pessoal, é um dos discos mais belos da história, ponto. Sim, yes, ja, oui: outros podem sentir diferente, mas eu sinto isso, digo há tempos e a impressão não parece querer mudar.

Mas como cada um é cada um, sugiro que vão sem nenhuma expectativa – como, aliás, acho que a gente devia ir sempre a qualquer coisa nova, não?

Nina Simone: Little Girl Blue (1958)
01 – Mood indigo [originalmente faixa 02]
02 – Don’t smoke in bed
03 – He needs ne
04 – Little girl blue
05 – Love me or leave me
06 – My baby just cares for me
07 – Good bait
08 – Plain gold ring
09 – You’ll never walk alone
10 – I loves you, Porgy [originalmente faixa 01]
11 – Central Park Blues
[Faixas-bônus – posteriores – incluídas na fonte utilizada]
12 – He’s got the whole world in His hands
13 – For all we know
14 – African mailman
15 – My baby just cares for me (extended version)

. . . . . BAIXE AQUI – download here

LINK ALTERNATIVO

Nina Simone
Nina Simone

Ranulfus

14 comments / Add your comment below

  1. Nina Simone é a prova que deus existe*, e esse disco é assombrosamente maravilhoso.
    Todo dia entro neste blog e todo dia fico mais encantado!! Obrigado!

    * J. S. Bach também.

  2. Concordo, concordo, PQP, mas pelo menos para ouvidos paulistas esse “Sou bi da América” ficou nem é ambíguo, é no mínimo antríguo, rsrsrs. (Ou INtríguo?)

    De qualquer forma, parabéns! 😀

  3. Caro Ranulfus:

    Fiquei surpreso quando li que este foi o primeiro disco dela, e que voz, hipnótica e segura! Eu ainda não ouvi todo o disco, a propósito Ranulfus, é uma conversão de LP para mp3 o post em questão? O chiadinho de fundo é característico. Como dizia, o pouco que ouvi já foi o suficiente para olhar para a foto dela e dizer “como você canta bem!”. Em alguns momentos, impressão passageira mas vale citar, fez-me lembrar Bola de Nieve. Alguém aí conhece?

    Espero que você tenha mais Nina-na-cartola Ranulfus.

  4. Belíssimo disco! Não o conhecia. Há uma versão bombástica de Little Girl Blue pela Janis Joplin, linda. Nesta música há uma curiosa música celta de fundo, na versão da Nina, tentei me recordar qual é mas não consegui (Loreena McKennitt).

    E também há uma versão apenas mencionada de You’ll Never Walk Alone pelo Pink Floyd em Meddley.

    Obrigado pelo post e pela música.

Deixe uma resposta