Benny Goodman: 16 Most Requested Songs

Primeiro uma ponte entre o erudito e o jazz, depois uma postagem mostrando exclusivamente o lado erudito de Goodman. Agora que tal algo totalmente jazzístico?!?!? O álbum traz 16 canções, com destaque para a melancólica e adorável Goodbye.

.oOo.

Benjamin David Goodman era filho de um alfaiate e sua família tinha poucos recursos. Começou seus estudos musicais na sinagoga que frequentava e na Hull House. Menino prodígio, fez sua primeira apresentação aos 12 anos, no Teatro Central Park de Chicago, e logo passou a tocar com músicos adultos.

Goodman estudou clarineta desde cedo, tendo formação musical clássica na época em que Chicago entrava na era do jazz, vindo de New Orleans. Em 1926, aos 16 anos, juntou-se à banda do baterista Ben Pollack, fundada dois anos antes, e com ela fez seu primeiro disco.

No início dos anos 1930, passou a participar de gravações com diversos grupos de jazz, entre os quais os de Red Nichols, Joe Venuti-Eddie Lang e Jack Teagarden, até poder formar a sua própria orquestra, em 1934.
Um programa de rádio divulgou a orquestra, que se tornou muito popular, sobretudo depois do sucesso obtido na apresentação no Palomar Ballroom de Los Angeles, em 1935, e no Congress Hotel de Chicago, entre 1935e 1936.

Goodman, com estilo, precisão e inventividade, foi reconhecido como O Rei do Swing e o mais genial clarinetista de todos os tempos. Sua fama não demorou a correr o mundo, iniciando a Era do Swing, que se estenderia por dez anos.

Sua orquestra foi o primeiro grupo de jazz a se apresentar em público integrando músicos brancos e negros (Teddy Wilson, Lionel Hampton, Cootie Williams e Charlie Christian).

No dia 16 de janeiro de 1938, Benny Goodman e sua orquestra foram consagrados no histórico concerto realizado e gravado no Carnegie Hall de Nova York. Nos anos 1930 e 1940, Goodman ajudou a projetar, além dos já citados, solistas como Harry James (trompete), Georgie Auld (sax tenor) e Jess Stacy (piano).

Sua orquestra tornou-se, em 1962, a primeira jazz band norte-americana a visitar a União Soviética. Como não podia deixar de acontecer, sua clarineta e sua orquestra seriam requisitadas pelo cinema, em vários filmes, como “Folia a Bordo” (1937), “Hotel de Hollywood” (1938), “Cavalgada de Melodias” (1941), “Noivas de Tio Sam” (1943), “Música, Maestro” (1946), entre outros, como “Entre a Loura e a Morena” (1943), com Carmem Miranda.

A história de sua vida foi contada no filme “The Benny Goodman Story”, com Steve Allen como Goodman, e o clarinetista atuando na trilha sonora.
Após 1945, Goodman limitou-se a tocar em grupos pequenos, além de ter atuado em orquestras clássicas como solista.

Por motivo de doença, de 1970 a 1985 faz um intervalo em sua atividade artística. Sua volta se deu no Kool Jazz Festival de Nova York, vindo a falecer pouco depois.

Fonte: http://educacao.uol.com.br/biografias/ult1789u344.jhtm

.oOo.

Benny Goodman: Most Requested Songs

01. Let’s Dance 2:34
02. Don’t Be That Way 4:26
03. Avalon 4:16
04. Flying Home 3:15
05. Memories Of You 3:13
06. Somebody Stole My Gal 3:04
07. Clarinet a la King 2:55
08. Jersey Bounce 2:56
09. Why Don’t You Do Right? 3:14
10. After You’ve Gone 2:33
11. Stompin’ At The Savoy 5:54
12. Sing, Sing, Sing 12:15
13. Symphony 03:08
14. Liza (All The Clouds’ll Roll Away) 2:55
15. How Am I To Know? 3:09
16. Goodbye 3:21

Benny Goodman e sua orquestra

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Benny Goodman e sua orquestra
Benny Goodman e sua orquestra

Marcelo Stravinsky

7 comments / Add your comment below

  1. Nem Pollini, nem Grimaud. Parece que o cara mais cultuado aqui do blog é Goodman – pelo menos, é unânime entre todos nós da equipe (faltam os voto de CDF e Bluedog para corroborar). E nós só estamos descobrindo isso agora.

  2. Sério que este cd custa apenas 10 centavos de dólar?
    Agora falando sério, há muito anos atrás assisti um festival de filmes de jazz em São Paulo, na verdade uma série de documentários, nos tempos do saudoso Free Jazz Festival, e definitivamente o melhor momento foi o de Benny Goodman. Chamá-lo de virtuose é quase chover no molhado, pena que o clarinete tenha perdido seu lugar no jazz, a partir do advento do bebop, dando lugar ao sax e ao trompete como principais instrumentos solistas.

  3. Delícia de música. Uma história triste envolvendo o clarinestista e seu pai, alfaiate e muito humilde. Os Goodman eam muito pobres e o prórpio Goodman foi direcionado à música na escloa da comunidade porque era uma maneira de ficar longe de encrencas. Quando começou a fazer sucesso, Benny sempre insistia que seu pai fosse ouvi-lo tocar; o pai dizia que quando tivesse um bom corte de pano faria um bom terno e iria. Finalmente conseguiu o pano mas infelizmente foi atropelado antes de cumprir o que havia prometido. Benny foi um músico espertíssimo. Deixou o mundo do swing quando percebeu que a Era havia passado. Levou bem a carreira, gravando música erudtia e trilhas sonoras. Sem dúvida, um dos grandes músicos do século XX e que levantou a bandeira da clarineta – como Mozart havia feito no século XVIII.

Deixe uma resposta