Fryderyk Franciszek Chopin (1810-1849): Baladas, Berceuse, etc. (link revalidado por PQP)


Hoje, Chopin está completando 200 anos de nascimento. Portanto, nesta semana, estarei fazendo uma série de postagens em homenagem ao genial pianista, que revolucionou a arte de tocar piano, e que também ajudou a a desenvolver a linguagem pianística, levando-a a um nível até então desconhecido.

A data de seu aniversário ainda é uma incógnita, alguns defendem o dia 22 de fevereiro, enquanto que outros comemoram no primeiro dia de março. Controvérsias à parte, o que importa é comemorarmos seus duzentos anos, e isso está acontecendo em diversos países, principalmente em sua Polônia natal, que está tendo apresentações diárias de sua obra, com os mais renomados artistas da atualidade. Estarei reproduzindo um texto retirado de uma biografia no site http://www.chopin.plbiography_chopin.en.html.

Fryderyk Franciszek Chopin, the Polish composer and pianist, was born on 1 March 1810, according to the statements of the artist himself and his family, but according to his baptismal certificate, which was written several weeks after his birth, the date was 22 February. His birthplace was the village of Zelazowa Wola near Sochaczew, in the region of Mazovia, which was part of the Duchy of Warsaw. The manor-house in Zelazowa Wola belonged to Count Skarbek, and Chopin’s father, Mikolaj (Nicolas) Chopin, a Polonized Frenchman, was employed there as a tutor. He had been born in 1771 in Marainville in the province of Lorraine in France, but already as a child he had established contacts with the Polish families of Count Michal Pac and the manager of his estate, Jan Adam Weydlich. At the age of 16, Mikolaj accompanied them to Poland where he settled down permanently. He never returned to France and did not retain contacts with his French family but brought up his children as Poles.

In 1806, Mikolaj Chopin married Tekla Justyna Krzyzanowska, who was the housekeeper for the Skarbek family at Zelazowa Wola. They had four children: three daughters: Ludwika, Izabela and Emilia, and a son Fryderyk, the second child. Several months after his birth, the whole family moved to Warsaw, where Mikolaj Chopin was offered the post of French language and literature lecturer in the Warsaw Lyceum. He also ran a boarding school for sons of the gentry.

The musical talent of Fryderyk became apparent extremely early on, and it was compared with the childhood genius of Mozart. Already at the age of 7, Fryderyk was the author of two polonaises (in G minor and B flat major), the first being published in the engraving workshop of Father Cybulski. The prodigy was featured in the Warsaw newspapers, and “little Chopin” became the attraction and ornament of receptions given in the aristocratic salons of the capital. He also began giving public charity concerts. His first professional piano lessons, given to him by Wojciech Zywny (b. 1756 in Bohemia), lasted from 1816 to 1822, when the teacher was no longer able to give any more help to the pupil whose skills surpassed his own. The further development of Fryderyk’s talent was supervised by Wilhelm Würfel (b.1791 in Bohemia), the renowned pianist and professor at the Warsaw Conservatory who was to offer valuable, although irregular, advice as regards playing the piano and organ. (continua)

O PQPBach não poderia ficar longe destas comemorações, apesar de que nosso fundador não ser muito fâ do compositor. Mas somos democráticos aqui no blog. Por isso estou encarando, junto com o colega Marcelo Stravinsky, esta “responsabilidade”, claro que dentro de nossas modestas possibilidades de acervo e de, principalmente, tempo.

A primeira vez em que ouvi Chopin foi em um velho LP , destas coleções vendidas em banca de revistas. O famoso quadro de Delacroix ilustrava a capa do disco, que trazia, dentre outras obras das quais não lembro mais, a Balada nº1, e algumas Polonaises. A pianista era Bella Davidovich. Aquele disco com certeza abriu minha visão com relação à música. Foi paixão à primeira vista (ou audição). Aquela música era de uma profundidade e sensibilidade que calava fundo na alma da gente. A partir dalí comecei a ouvir música com outros ouvidos.

Vou me alternar entre os intérpretes. Vou de Rubinstein, Maria João Pires, Leif Andsnes, Pollini, Idil Biret, entre outros, mas creio que ficarei entre estes, talvez alguma coisa com o Kristian Zimerman, com o qual já postei os Concertos para Piano, e também Horowitz.

Esta primeira postagem traz as quatro Baladas, e mais algumas obras menos conhecidas. A intérprete é a pianista turca Idil Biret, que gravou a toda a obra para piano de Chopin para o selo Naxos. Trata-se de uma intérprete não tão conhecida aqui no Brasil, mas reconhecida como um dos grandes nomes da atualidade do piano romântico. Uma curiosidade: essa sua integral do selo Naxos até hoje é um dos best – sellers da gravadora, já tendo vendido mais de 2 milhões de cópias.

Vamos, portanto, ao que interessa.

Fryderyk Franciszek Chopin (1810-1849)- Complete Piano Music – CD 1 – Idil Biret

1. Ballade in G Minor, Op.23
2. Ballade for piano No. 2 in F major, Op. 38,
3. Ballade for piano No. 3 in A flat major, Op. 47,
4. Ballade for piano No. 4 in F minor, Op. 52,
5. Berceuse for piano in D flat major, Op. 57,
6. Trois nouvelles études, for piano, KK IIb/3,
7. Trois nouvelles études, for piano, KK IIb/3,
8. Trois nouvelles études, for piano, KK IIb/3,
9. Fantasy for piano in F minor/A flat major, Op. 49,
10. Galopp for piano in A flat major, KK IVc/13
11. Largo for piano in E flat major, KK IVb/5, CT. 49 (B. 109)
12. Funeral march for piano in C minor, Op. 72/2, CT. 50
13. Cantabile for piano in B flat major, KK. IVb/6, CT. 9 (B. 84)

Idil Biret – Piano

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

FDPBach

7 comments / Add your comment below

  1. Ótima iniciativa FDP!
    Em comemoração a esse dia, vou assistir novamente o filme de 1945, sobre a vida de Chopin, A Song to Remember (Título em português, À Noite Sonhamos).
    Feliz Aniversário Chopin!
    Excelente postagem FDP!

  2. Idil Biret é sensacional. Sua interpretação das mazurkas é um primor, e em todo o restante da obra ela tem um lirismo, sensibilidade e clareza exemplares, com personalidade.

    Dia 19 haverá concerto de Olinda Alessandrini no StudioClio, abrindo o Ano Chopin, coordenado por Tiago Halewicz, que acaba de retornar da Polônia com muito material. Segue-se grande programação ao longo do ano, incluindo filmes, almoços culturais, saraus e exposições.

  3. FDP, estava estranhando até agora não haver menção ao aniversáro do grande mestre, sobretudo, postagens com cds. Para quem não conhece sugiro um dia ir na Praia Vermelha no RJ e ver a lindíssima escultura de Chopin absorto em direção ao mar aberto. No próximo dia 13 a pianista Cristina Ortiz irá homenageá-lo na Sala Cecília Meireles no programa serão executadas Baladas e Scherzos. Abs, Soares

Deixe uma resposta