Jean Sibelius (1865-1957): Sinfonias Nº 4 e 7 / Valsa Triste

Antes de qualquer coisa, vou esclarecendo que admiro muitíssimo a obra do finlandês Jean (Johan Julius Christian) Sibelius. Suas sinfonias, poemas sinfônicos, suítes, aquele fantástico concerto para violino, assim como suas obras de câmara — sonatas (tão bem interpretadas por Glenn Gould) e quartetos — sempre estiveram próximos de meu CD Player. Já foi um autor popularíssimo, hoje não é mais. A obra que me parece ser seu ponto mais alto, o poema sinfônico Tapiola, recebe poucas gravações. Não entendo.

Aqui o temos com Karajan e a Filarmônica de Berlim, o que não é garantia de nada. Karajan gravava tanto que era impossível acertar sempre. Se ele acerta no ângulo ao dar à Sinfonia Nº 4 todas as soturnas trevas que ela merece — com seu belo solo inicial de violoncelo, aqui maravilhosamente tocado — , erra na Nº 7 e volta a fazer um golaço na Valsa Triste. Depois que Mravinski, em fevereiro de 1965, gravou a sétima, tudo deveria ter mudado. Mravinski (e também Sibelius!) fez com o trombone levasse à frente toda a música, dando-lhe enorme destaque. Karajan permaneceu numa concepção antiquada da obra, mesmo tendo-a registrado três anos depois do russo. O trombone está no mesmo nível dos outros instrumentos e, quando ouvimos a Filarmônica de Berlim, parece que alguma coisa no aparelho de som não está funcionando. Cadê o solo? O Alex Ross deve ter detestado essa gravação da sétima.

Na Valsa Triste não há como errar. Belíssima peça de concerto, foi, ao lado do Bolero de Ravel e do Pássaro de Fogo de Stravinski, o carro-chefe do filme de Bruno Bozzetto Música e Fantasia (Allegro Non Troppo, 1976).

http://youtu.be/P8Oc_J1Lu-o

Jean Sibelius: Sinfonien 4 & 7 / Valse Triste

Sinfonie Nr. 4 Op. 63
1. Tempo molto moderato, quasi adagio
2. Allegro molto vivace
3. Il tempo largo
4. Allegro

Sinfonie Nr. 7 Op. 105
5. Adagio
6. Meno adagio
7. Poco rallentando al Adagio
8. Presto – Poco a poco rallentando al Adagio

9. Valse Triste Op. 44

Berliner Philharmoniker
Herbert Von Karajan

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Sibelius
Sibelius: bom disco, mesmo com algum sofrimento sob as mãos pesadas de Karajan

PQP

14 comments / Add your comment below

  1. Ufa!! Até que enfim mais obras de Sibelius. Está faltando mais sinfonias no blog. Todas as Passions, Missas, Madrigais etc., sejam de Bach, Rameau ou outro compositor Renascentista ou Barroco já, com o perdão da palavra, “deram no saco”!!!

  2. Pqp, teu blog continua uma maravilha…
    porém… poxa, meses pedi humildemente a postagem das Missas Luteranas e Motetos do meu amado Bach… vc disse q ia postar e até agora nada…
    aliàs, dou até uma outra sugestão… que tal o Cravo Bem Temperado de Bach (na versão original para cravo) ? é obra indispensável do repertório bachiano.

    e, respondendo ao cara acima, obras de Bach nunca enchem o saco, Rameau sim, Vivaldi sim, Handel sim, mas Bach não.

    Abraços

  3. Com relação às (inúmeras) gravações de Karajan, de fato há várias que não acrescentam nada ao universo da Música, e que são um desserviço ao compositor de dada obra (a última integral das sinfonias de Beethoven, gravadas na década de 80, são um exemplo). Mas não foi só Karajan que gravou obras cuja qualidade deixou a desejar. Outro regente, Abbado, antes de ser titular da Filarmônica de Berlim, também possui gravações sofríveis. As sinfonias nº40 e 41de Mozart, com a Sinfônica de Londres, lançadas em CD aqui lá pelos anos 90, selo Galleria, eram péssimas. Um CD dele com gravações da Sinfonia Pastoral, Abertura Egmont e Fantasia Coral, de Beethoven, lançado pela DG, com ele à frente da Filarmônica de Viena (!!!) também eram decepcionantes. A Sinfonia “rastejava” de tão lenta, idem a Abertura. Isso sem contar o registro baixissimo, que exigia aumentar o volume muito acima do costume e “mexer” no equalizador. Agora, após anos de experiencia, acertou a mão e está entre os meus regentes favoritos.
    Enfim, muitas vezes um regente conceituado, por alguma razão, “pisa na bola”, deixando-nos decepcionados ou, se não conhecemos outras gravações, a impressão de que “é ruim”.

  4. Bachiano, pensei que aquilo fosse um apenas um desafio, não um pedido. Não obstante, estão na Montanha Mágica, subindo. Pego sempre os de cima da Montanha, as novidades entram embaixo.

    Sander, sobre o comment 1: tu és um dos mais “veteranos” clientes nossos. Deverias saber que 90% das reclamações que vão para o nosso SAC são solemente ignoradas… Nosso SAC é formado por gente mal educada e grosseira. Para trabalhar lá precisa ser homem, ter mais de 1,90m e no mínimo 100 kg. Outro requisito é o de nunca tomar banho e possuir mau hálito. Ah, e nosso guichê de reclamações abre às 11h23, fechando às 11h26, impreterivelmente.

    Mas, para que fiques um pouco mais feliz, te garanto uma integral das sinfonias de Nielsen e Sibelius não sei quando….

    Abraços.

  5. Sander, felizmente nem todos têm as mesmas opiniões que você.

    PQP, muito interessante essa postagem. Uma supresa, diria.
    Confesso que ainda desconheço a quarta sinfonia de Sibelius, embora aprecie muito a sétima.

    Enquanto baixa, darei uma olhada nos vídeos que selecionou.
    Abraços.

  6. Muito bom o post. Já estou a procura do filme pra assistir.
    Aguardo as sinfonias do Sibelius. Ah, e o concerto pra violino….

    Abraços

    Sander está de mau humor….rsrsrsrs

  7. Admito que falei caquinha.
    Afinal o blog é bachiano, logo…
    Ainda assim, espero por mais sinfonias.
    PQP, as sinfonias de Sibelius me interessam. Tanto que vou passar no SAC só pra deixar registrado. E ai dos caras se me ignorarem. ; )

  8. Realmente…Peço perdão por nao ter observado. Vou baixar assim q o rapidshare voltar. E ainda é o Heifetz, um dos meus preferidos. Vai ser a terceira interpretação do sibelius e já estou ansioso.

    abraços

  9. Entrevistei um violinista russo da Osesp esses dias e ele disse que o Mravinsky realmente era um absurdo, q a Filarmônica de Leningrado era uma das tops do mundo.

  10. Filme genial! Pena que esses filmes não fazem sucesso, pois vou ter de garimpar arduamente para encontrar essa relíquia. Até filmes famosíssimos como “Sonhos” de Aquira *** (não vou arriscar-me a escrever seu sobrenome) são difíceis de se encontrar.

  11. Akira e não Aquira! Ta bom que é Japonês, mas errar assim…
    Já que perdi tempo escrevendo essa bobagem vou completar com o sobrenome “Kurosawa” que deixei pendente no outro comentário.

  12. Amigos,
    Conheci recentemente esse bloog e muito tenho para estar satisfeito, bela iniciativa, pena – não estou reclamando – que o único serve seja o rapishare, horrível e sofrível para downloads, mas nem tudo pode ser perfeito! tenho escutado sibelius, violino concerto, mas gostaria muitíssimo de poder escutar novamente suas sonatas para violino e piano, não encontro nenhuma gravação, será que poderiam me ajudar?
    Ps: sobre a interpretação do Heifetz do sibelius, ela é boa, mas ele corre! parece que quer mostrar a todo o tempo que era o melhor do mundo. Gosto muito mais do Pearlman, simpatico, poético e profundamente virtuosistico, preenchendo assim o que todos procuram ao ouvir um violinista tocando, virtuosidade! Heifetz era muito bom, inclusive deu aulas a Pearlman, mas pearlman foi mais feliz nessa gravação em particular. Cito até um fato interressante, certo dia o Daniel Guedes esteve aqui em minha cidade para tocar Tchaikovsky, estava profudamente entusiasmado pela performance deste nosso ilustre violinista, mas decepcionou demais! ele é técnico, sabe o que está fazendo e é preciso na leitura da obra, mas não transmitiu nada! parecia que estava ali somente para pegar o caché, triste ida ao teatro, saí profudamente irritado pelo desrespeito ali perpetrado, deu em cima, descaramente , da violinista gostosa que estava bem em frente a ele, tudo bem, dê em cima, mas porra! durante toda a apresentação? olhando, fitando, comendo com os olhos? e música de qualidade que é bom nada! Sou de Aracaju/Sergipe ( menor estado do Nordeste do Brasil, não é bahia!)
    Abraços

Deixe uma resposta