Franz Schubert (1797-1828): Sinfonias Nº 9 e 8 com Josef Krips

Sou um grande admirador da Nona de Schubert e nunca a ouvi ser tão bem tocada como neste espantoso CD da Decca. Som perfeito, interpretação perfeita, não obstante o fato de tratarem-se de gravações dos anos 50 e 60. Tenho uma ligação especial e triste com esta música. Quando voltei do enterro de meu pai, em 1993, vitimado por um primeiro, fulminante e estarrecedor enfarto, notei que havia um CD no aparelho de som, provavelmente o último que ele ouvira. Sim, claro, a Nona de Schubert. Krips: nascido em Viena em abril de 1902, Josef Krips foi apresentado a mim por FDP Bach. Ele parece ter sido destinado aos clássicos alemães e vienenses. Krips foi um dos poucos maestros que podiam reger em 1945 em Viena, pois nunca tinha trabalhado sob o regime nazista. Foi o primeiro a conduzir a Filarmônica de Viena e o Festival de Salzburgo no período pós-guerra. De 1950 até 1954, Krips foi o maestro principal da Orquestra Sinfônica de Londres. Depois disso, entre 1963 até 1970, ele comandou a Orquestra Filarmônica de Buffalo e a Orquestra Sinfônica de São Francisco. Em 1970, ele se tornou o maestro titular da Ópera Alemã de Berlim. Entre 1970 e 1973, foi o principal maestro da Filarmônica de Viena. Krips morreu em Genebra, Suíça em 1974, aos setenta e dois anos. A Oitava com a Wiener Philharmoniker foi a última gravação de Krips para a Decca e o disco que ora postamos faz parte de uma série de cinco relançamentos dedicados à arte de Josef Krips. Se vocês procurarem as avaliações dos críticos sobre este CD vão ler os maiores, deslavados e merecidos elogios.

Locais de gravação: Kingsway Hall, Londres, maio de 1958 (Symphony No. 9); Sofiensaal, Viena, Áustria, março de 1969 (Symphony No. 8).

IM-PER-DÍ-VEL !!!!!!!!!

Franz Schubert (1797-1828): Sinfonias Nº 9 e 8 com Josef Krips

Sinfonia N° 9, D. 944, A Grande
01. I. Andante – Allegro ma non troppo
02. II. Andante con moto
03. III. Scherzo (Allegro vivace)
04. IV. Allegro vivace

London Symphony Orchestra

Sinfonia Nº 8, D. 759, Inacabada
05. I. Allegro moderato
06. II. Andante con moto

Wiener Philharmoniker
Josek Krips

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE (RapidShare)

PQP

5 comments / Add your comment below

  1. A nona de Schubert também é uma de minhas preferidas. É um jorro de poesia da primeira à última nota! Daquelas músicas que fazem você sentir que sempre vale a pena continuar vivendo…

  2. Como mencionado pelo PQP, Krips foi um especialista no repertório clássico e romântico. Seu Mozart é estupendo.
    E sou suspeito de falar destas duas sinfonias, amo-as de paixão, e por razões que a própria razão desconhece, tenho uma queda maior pela Inacabada, cujo primeiro movimento é uma das maiores obras já compostas na história da música. Não conheço esta versão do Krips, mas deve ser realmente fora de série. Baixando…

  3. Vou baixar essa gravação correndo. Adoro essas sinfonias de Schubert. O segundo movimento da Nona é MAGNÍFICO.

    Krips já é meu conhecido principalmente por gravar os cinco concertos para piano de Beethoven com o Rubinstein e a Symphony of the Air (orquestra criada por ex-integrantes da Sinfônica NBC, após o fim desta última, ocorrido com a morte do Toscanini). Tenho esses concertos em vinil e em mp3 (obtidos na net).

  4. PQP, também sou apaixonado por essas duas obras, e tb considero o 1o mov da Oitava uma das maiores obras já produzidas em todos os tempos. Um dia entrava , 23hs, garoando, em Ouro Preto, Pça Tiradentes, e tocava no meu aparelho, no carro, o desenvolvimento desse primeiro mov da Oitava, com o Mackerras: que espetáculo, impressionante! Aliás, permito-me recomendar essa leitura de Mackerras para a Quinta, a Oitava e a Nona de Schubert, um cd duplo da Virgin Classics. Para mim a melhor leitura dessas obras. Mas estou baixando o Krips para ouvir…

Deixe uma resposta