14 comments / Add your comment below

  1. A arte de falar por 45 minutos e não dizer nada. Pessoalmente, considero esse tipo de blábláblá filosófico puro charlatanismo.
    Eu detesto Olavo de Carvalho, mas quando ele fala dos filósofos da USP, eu tenho que concordar.

  2. Eu tive aula com o safatle no curso de Filosofia da Usp. Concordo plenamente com o que o Rafale disse acima.
    E o pior de tudo não é ouvir 45 minutos de blablabla, mas um semestre inteiro, e passar pelo desespero de entregar um trabalho final…

  3. Ah, esses neofefelechianos… Que decepção. Não tem a sofisticação e a erudição de um Antonio Candido ou um Alfredo Bosi, tampouco o pendor para os holofotes de uma Marilena Chauí. rss

  4. Notem que eu disse que odeio o Olavo de Carvalho. Mas ele faz críticas ao que eu considero má filosofia, a filosofia charlatã da USP, da Marilena Chaui etc. Essas críticas, geralmente são bem feitas e necessárias.

  5. Eu vi, mas é o mesmo discurso.

    Todo olavette vem falar da filosofia da USP e sabe-se lá o que mais, só que a maioria é um discurso papagaiado desse astrólogo recalcado. Independente do mérito intelectual da Marilena Chauí – que ganhou notoriedade muito pela militância etc. – tem muita gente muito boa lá. Me pergunto se quem questiona isso faz em base no que: publicações, pesquisa, enfim, o que? Porque me parece que é um discurso em grande medida vazio.

  6. Ótimo post e excelente sugestão Gilberto.
    Onde eu poderia conseguir mais videos deste tipo?
    Eu não sou musico mas tenho muito interesse em ESTUDAR e me aprofundar nestes assuntos relacionados a história da musica senão eu vou ficar discutindo sobre Olavo e Chaui a minha vida inteira.

  7. Benedito: o youtube é uma ótima solução. Procure pelos vídeos das aulas do Leonard Bernstein, por exemplo. São todos em inglês, mas alguns tem legendas em espanhol, como estes:
    http://www.youtube.com/watch?v=elyVRmlPCE0
    http://www.youtube.com/watch?v=EI5-ndLxtqc

    Charlles: eu adorei o seu texto, e ri muito com o aspirador.

    Aos outros: se vocês acham que ele passou 45 minutos sem falar nada, então vocês provavelmente estiveram este tempo todo de ouvidos fechados. Tentem usar fone de ouvido. Sobre ele dizer o nome da peça errada, eu nem vou me dar ao trabalho de verificar se isto está correto ou não, eu só acho uma pena ser este o primeiro comentário de alguém após assistir ao vídeo. Comentar para se auto-afirmar é algo triste. Me lembra uma história que meu professor me contou sobre um flautista que se orgulhava de ter tocado uma nota errada num concerto com o Villa-Lobos regendo e o Villa não ter notado.

Deixe uma resposta