P. I. Tchaikovski (1840-1893): Concerto para Violino e Souvenir d’un lieu cher – Repostado com divisão de faixas

Este concerto veio pré-instalado em minha mente. Quando me dei por gente, Tchaikovski, Beethoven, Chopin e Mozart já estavam em minha memória. Meu pai realizou a instalação quando eu era um bebê. Ele não parava de ouvir música, mais ou menos como eu comecei a fazer depois… Então, cada nota deste Concerto para Violino é conhecida de mim há décadas e posso asseverar que a gravação da bonitinha Janine Jansen é efetivamente MUITÍSSIMO BOA, como vocês podem ver abaixo. Quando a mulher é gostosa, a gente diz, né? Pois olha, essa aqui não é como aquela pianista francesa. Janine é boa e toca bem… Quero dizer, é bonita e muito boa com os dedos… Ou… É tesuda e hábil. Tem carinha bonita, belos pechos e é sensível. É sexy e eufônica, sinfônica, polifônica, pornofônica, linda. E é um baita disco!

Janine Jansen

Tchaikovski: Violin concerto op.35
1 Allegro moderato
2 Canzonetta (Andante)
3 Finale (Allegro vivacissimo)

Tchaikovski: Souvenir d’un lieu cher
4 Meditation
5 Scherzo
6 Melodie

Janine Jansen (Violin)
Mahler Chamber Orchestra
Daniel Harding

Janine

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

PQP

23 comments / Add your comment below

  1. Bem eu já a vi na televisão e eu não acho ela tão bonita quanto esta foto que tu postastes, ela deve ter sido retocada pelo computador; mas empáfia a parte, ela toca mito bem.

  2. Amigão : Primeiramente parabens pelo ótimo gosto musical e pelo blog tranbordando cultura e delicias. Queria saber se vc ´pode postar ou sabe onde encontrar pra baixar as SInfonias do dinamarques Niels Wilhelm Gade. Obrigado desde já.

  3. Este concerto é uma jóia! E é interessante como as gravadoras usam a aparência…vejam o cd do “The Red Violin Concerto” do Joshua Bell…na capa, o cara esparramado na cadeira numa posição insinuante, o violino ao lado. Ai…ai…nem precisa ouvir o cd talvez.

    Enfim…parabéns pelo post, PQP! Lembro-me do meu entusiasmo para com este concerto quando o ouvia pela primeira vez.

  4. O Concerto para Violino de Tchaikovsky é uma obra maravilhosa, de um lirismo sem precedentes. Escutá-lo me emociona de tal modo que chego a ficar arrepiado. Imagino como seria extasiante poder apreciá-lo ao vivo, como já o fiz com a sua Sinfonia Nº 5, com a Orquestra Sinfônica Brasileira e Isaac Karabichevsky.

  5. A gravação é realmente boa, surpreendente, e o photoshop violento que fizeram na foto da menina é melhor ainda.

    Não que a menina seja feia, longe disso, mas com essas técnicas dá pra transformar a Marília Gabriela na Karina Bacchi.

    Em resumo, existem violinistas muito mais gostosas, e ela é tão boa violinista que nem precisa ser tão gostosa quanto na foto.

  6. Este op. 35 do Tchaikovsky possui um lirismo único que encanta a todos desde o primeiro acorde dado pelas cordas. O violinista para tocá-lo deve possuir um “quê” especial, fato; além claro de ser um virtuosi.

    Já tive a oportunidade de assisti-lo ao vivo duas vezes: é fantástico: aquele segundo movimento faz qualquer um ser nefelibata.

    Aconselho aos que puderem ouvi-lo com a grade de pautas da orquestra completa; ajuda muito a entender e ouvir partes que não são tão óbvias.

    Falando da gravação: está gravação é bom, sim. Mas ainda prefiro a gravação feita pela Julias Fischer a feita pela Janine. Sim, Fischer exagera às vezes na velocidade (um allegro vivace com ela é um molto vivace con fuoco fácil, fácil), mas ela tem um lirismo encantador.
    Claro, gravações feitas por Jascha, Oistrakh, Kogan, Perlman, …, sempre são sucessos.

    Outra coisa que acho muito interessante é o uso que Tchaiko faz dos instrumentos dando uma carinha russa para concerto. Algo que me chama atenção é o apoio constante dos baixos em muitos momentos, dando um clima gostoso, que lembra o próprio “Nutcracker” eventualmente.

    Só ouvindo de novo para sentir todo aquela boa vibração do op.35!

    Inté
    Rafs

    PS.: a) A Fischer é muito bonita e gostosa, confesso. (apesar de não ser lá muito minha praia)
    b) PQP, se quiser que eu lhe mande o cd da Fischer tocando, é só me mandar um e-mail (musicandso@gmail.com) avisando.

  7. eu nem notei a gostosura como vocês estão dizendo, pra mim só o que importa é o espírito e a musicalidade. poderia ser o perman ou um cão… o que importa é o espírito a transcendência a musicalidade a abstração… kkkk
    abraços

  8. Tchaikovsky

    Piano Concerto No. 1 in B flat minor, Op. 23

    1 Allegro non troppo e molto maestoso – Allegro con spirito 19:44
    2 Anantino semplice – Prestissimo – Tempo I 06:40
    3 Allegro con fuoco 06:59

    4 Piano Concerto No. 3 in E flat major, Op. post. 75 15:59

    Tchaikovsky / Taneyev

    Pieces (2, andante & finale), for piano & orchestra, Op. post. 79 (completed by Taneyev, also arr. for 2 pianos)

    5 Andante 11:14
    6 Allegro maestoso 08:30

    Konstantin Scherbakov: Piano
    Russian Philharmonic Orchestra Orchestra
    Dmitry Yablonsky: Conductor

    http://rapidshare.com/files/312805094/Konstantin_Scherbakov.rar.html

    Aproveite PQP – se você tiver, coloque também a Sinfonia reconstituída que chamam de sétima – é a mesma música, mas com tratamento diferente. Abraço…

  9. é interessante fazer algumas comparações auditivas entre interpretações diversas de mesmas peças. claro que essas comparações não servem pra muita coisa, a não ser pra se dizer que se gosta ou não desta ou daquela. como diz minha avó, há gosto pra tudo… mas estive ouvindo a jansen e o heifetz tocando este concerto. fico pensando; depois da gravação do eifetz, o que mais alguém poderia fazer de diferente? um solista não tem muitas opções interpretativas num concerto. ninguém consegue aproximar-se da naturalidade com que heifetz toca. mesmo que se consiga a mesma velocidade, nunca se chega na “tranquilidade” do cara. então a gente sempre ouve essas gravações com uma certa condescendência, como se pensando: tá certo, ninguém é um heifetz mesmo”. e esses intérprets sempre insistindo em tocar as mesmas coisas. não é que não goste de ouvir. é que os paradigmas para concertos consagrados são tão elevados que é quase impossível fazer algo que fique pra posteridade. se minha opinião fosse válida, se ao menos meu cachorro me ouvisse, eu diria pra todos esses intérpretes talentosos que investissem no século XX pra frente. há ainda tanta coisa que carece de novas perspectivas.

  10. Curioso o dostoievsky fazer estas considerações a respeito de interpretações consagradas… dia desses, ouvindo outra jovem talentosa e bonita, Julia Fischer, tocando este mesmo concerto de Tchaikovsky, comentei via msn com o mano PQP: ela até que toca direitinho, mas ainda prefiro o Oystrakh, ao que PQP respondeu: coitada da mocinha, FDP, não dá pra fazer estas comparações. Sim, trata-se de outra interpretação consagrada, por um gigante do violino do século XX, e claro que nunca em sã consciência eu iria fazer estas comparações, são décadas que os separam, nem a Fischer nem a jansen tinham nascido ainda quando Heifetz e Oystrakh morreram, e claro, a naturalidade com que este dois excepcionais instrumentistas tocavam este concerto vinha da maturidade, experiência, talento, entre outros fatores que o tempo traz. Por isso não temo em afirmar que estes jovens músicos tem sim de encarar estes petardos, pois podem se apoiar nas décadas de interpretações consagradas, para poderem se desenvolver tecnicamente e também daqui há algumas décadas tocarem com a mesma naturalidade e espontaneidade.

  11. Dostoievski: A qual a gravação do Heifetz você se refere? Eu tenho ele naquela gravação de 1956, com a Sinfônica de Chicago sob a regência do Fritz Reiner. Na minha opinião, é difícil alguém superar essa gravação magnífica do velho Heifetz tocando esse maravilhoso concerto do Tchaikovski. Adoro Oistrakh e os demais (Kreisler, Menuhin, Stern, Milstein, Perlman, Accardo, etc), mas o Heifetz se supera nessa gravação!!!

  12. Olá. Parabéns por este acervo absurdo que este site disponibiliza para as pessoas que desejam descobrir a Boa Música. Vocês se dedicam de corpo e alma como poucos fazem. Só tenho que agradecer. E muito. Além disso, foi aqui onde eu tive o primeiro contato com a Música Clássica (de maneira definitiva) através deste Op. 35 de Tchaikovsky, com a performance desta magnífica holandesa (musicalmente falando, é claro. Pra mim, a beleza até ajuda, mas não é tão necessária).

    Aliás, falando em Jascha Heifetz, o que vocês me recomendam de gravações dele pra começar, por favor?

    Obrigado.

  13. Prezado J. Paulo França,
    Logo que começamos o blog, postei uma série de gravações do Heifetz e do Oistrakh. Dê uma fuçada por lá. Te garanto que qualquer uma daquelas gravações vale a pena.

  14. sim, mas aquela pose “sexy” …
    o minimo que se pode dizer é que é cafona…
    extraordinario mau gosto colocar aquilo num cd…
    a pose é ridícula, com aquele violino pendurado de lado…

Deixe uma resposta