P. I. Tchaikovski (1840-1893): Sinfonia No. 4 & Capricho Italiano

Foram lançadas gravações sensacionais da Quarta Sinfonia de Tchaikovski, nos últimos anos. Houve Barenboim, Fischer e esta aqui, da Harmonia Mundi, que é a melhor de todas. Gatti aborda o primeiro movimento de forma extremamente rápida — é urgente, apaixonado, mas também adequado. Tem graça, é balé. É uma interpretação emocionante, uma que dá à música um maior impacto, o que justifica ouvi-la novamente.

O modo Gatti também funciona muito bem no segundo movimento, que é interpretado como uma canção que permite que as melodias sejam ouvidas como se tivessem palavras. É bonito. Há virtuosismo das cordas no scherzo, e o final funciona bem, com o ritmo das cordas e sopros em suas trocas. A orquestra e dá o necessário à Gatti, tanto na sinfonia quanto no Capricho Italiano, que nunca se torna vulgar ou simplesmente agitado.

Tchaikovski: Sinfonia No. 4 & Capricho Italiano

1. Symphony No.4 in F minor, Op.36 – I. Andante sostenuto – Moderato con anima
2. Symphony No.4 in F minor, Op.36 – II. Andantino in modo di canzona
3. Symphony No.4 in F minor, Op.36 – III. Scherzo: Pizzicato ostinato – Allegro
4. Symphony No.4 in F minor, Op.36 – IV. Finale: Allegro con fuoco

5. Capriccio Italien, Op.45

Royal Philharmonic Orchestra
Daniele Gatti

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Apoie os bons artistas, compre suas músicas!

PQP

5 comments / Add your comment below

  1. Não gosto desse Gatti não.
    Fischer eu nunca ouvi, Barenboim se estiver falando da gravação com a Chigago, achei meio insípida.
    Das novas gravações de Tchaikovsky eu prefiro as 4-6 do Antonio Pappano e Muti, conhece?

  2. De todas as gravações da Quarta Sinfonia que já tive o prazer de ouvir, nenhuma me surpreendeu mais do que a versão de Gennady Rozhdestvensky: ele é rápido, mas sem ser apressado, envolvente, trágico, magnífico. O Primeiro Movimento ficou insuperável!
    Mas temos outras notáveis: Svetlanov, que nasceu para reger Tchaikovsky, Mravinsky (magistral), Karajan, Bernstein(excelente!),e ,dentre as menos conhecidas, a versão realizada por Andrew Litton é perfeita.
    Eu, particularmente, detesto o Gatti: fraco e sem emoção.

Deixe uma resposta