Chick Corea (1941) – Corea.concerto – Spain for Sextet – Piano Concerto nº1

Minhas próximas postagens serão dedicadas a dois gênios do piano no jazz, Chick Corea e Keith Jarrett, dois intrumentistas que, no correr das 4 décadas de suas carreiras, quebraram barreiras e rótulos, e mostraram a que vieram em discos memoráveis, verdadeiros clássicos do Jazz. Mas também excursionaram pela música clássica, e são alguns destes discos que pretendo mostrar, para fechar com duas séries únicas, imbatíveis no meu entender.
Mas comecemos com Chick Corea. Este cd tem uma proposta interessantíssima, e muito bonita. Começa com o grande clássico do pianista, “Spain”, em uma versão para Sexteto de Jazz e Orquestra, e conclui com seu Primeiro Concerto para Piano e Orquestra. Eu sou fascinado por “Spain” desde os tempos do Return to Forever, e esta versão está muito interessante, eletrizante na verdade, e mostra toda a versatilidade de Corea e Origin , o super sexteto que o acompanha  desde os anos 90. Aguardem pois trarei mais material dessa turma no correr destes dias.Eis o comentário do editorialista da amazon.com sobre esse cd:

Amazon.com
The resurgence of pianist Chick Corea in the 1990s seemingly knows no bounds, as is demonstrated by his
Corea.Concerto. Blending Corea’s thrilling regular jazz sextet, Origin, with the London Philharmonic Orchestra, this disc is Corea’s second journey into classical music, after The Mozart Sessions with conductor and vocalist Bobby McFerrin. But Corea.Concerto is Corea’s first original symphonic work and it’s a mightily impressive debut. The disc is split into two major pieces: a bombastic, new arrangement of Corea’s classic “Spain,” first recorded in 1972 with Return to Forever and here featuring lengthy showcases for the members of Origin, and Corea’s new “Piano Concerto No. 1,” modeled after Mozart’s piano concertos and featuring the Philharmonic with Origin bassist Avishai Cohen and drummer Jeff Ballard. Of the two, “Spain” is perhaps more satisfying, only because it gives more room for the members of Origin to shine and because the unusual blend of jazz sextet and symphony orchestra is achieved here to a greater effect. There are moments in Spain’s “Opening and Introduction” when Corea attains a wonderful fusion of Latin rhythms, big orchestral blocks of sound that recall composers like Edgar Varese and have a jazz harmonic sensibility. The “Piano Concerto” is a more strictly classical piece that wears its Mozart influence on its sleeve, with melodies spun back and forth between piano and orchestra. –Ezra Gale

Chick Corea (1941) – Corea.concerto – Spain for Sextet – Piano Concerto nº1

(01) Spain- opening and introduction
(02) Spain- theme
(03) Spain- conclusion
(04) Concerto #1 part one
(05) Concerto #1 part two
(06) Concerto #1 part three

Performed by London Philharmonic Orchestra
with Original Dixieland Jazz Band, Armando Anthony (“Chick”) Corea
Conducted by Steven Mercurio

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

FDP Bach

8 comments / Add your comment below

  1. Legal, boa essa série, FDP.
    Eu, todavia, como jarrettiano devoto, acho que CCorea não se compara; ninguém se compara a ele. Apontava-se Brad Mehldau como sucessor. Fui vê-lo (com Joshua Redman, em Mannheim, fabuloso) e quase acreditei. Poucas semanas depois, vi Jarrett na Salle Pleyel, solo. Foi o concerto mais fabuloso de minha vida, algo mais que supercalifragelisticexpiledocious. Sairá brevemente em CD, junto com algo do concerto de Londres.
    Depois do CC, vejamos, pois, quais Jarretts vêm aí.

  2. Mesmo eu também sendo um jarretiano de carteirinha e devoto, me permita discordar de você, FM, acho que os dois são do mesmo nível, a diferença é que em determinado momento de suas carreiras seguiram rumos diferentes. Muito torcem o nariz para a fase elétrica da Corea Electric Band, e realmente tem algumas coisas meio chatas ali no meio, mas de bobo o Corea não tem nada, e vale a pena ouvir os discos de sua banda acúsitica, com gente do naipe do mesmo Patitucci que o acompanha na fase elétrica, Steve Gadd, entre outros. Vale a pena, mesmo.
    Com relação ao Brad Mehldau, este realmente é um excepcional pianista, tenho acompanhado com atenção sua carreira. Realmente lembra Jarrett em seus momentos mais introspectivos e cerebrais.

  3. Gosto muito do trabalho do Chick Corea, ao meu ver a melhor fase dele é em meados da década de 70 com os álbuns The Leprechaun, My Spanish Heart e Mad Hatter que contavam com fascinantes músicos tais como: Steve Gadd(um dos bateristas mais criativos e respeitados da história), Eddie Gomez, Anthony Jackson e Gayle Moran.

    Abraço

  4. FM, você me deixou curioso sobre essa gravação do concerto de Mozart. Vou ver se consigo maiores informações, e de preferência, o próprio concerto.

  5. Meu caro,
    Procurando o dificílimo Halvorsen, recém descobri este teu inacreditável blog. Muito obrigado por tornar disponível uma tão incrível coleção. Vim seco pra baixar estes raros Corea e tive a ingrata surpresa de descobrir que os três links se esgotaram. Você poderia fazer algo por este seu seguidor neófito? Abração

Deixe uma resposta