Por uma política judiciária educativa

saiu no G1:

Por ouvir rap alto demais, homem é condenado a escutar música clássica

Uma punição estranha para um homem condenado por ouvir rap alto demais em seu carro. Uma juíza da do condado de Champaign, em Ohio, determinou que o acusado, multado em US$ 150, poderia se livrar de parte substancial da multa caso aceite passar 20 horas ouvindo música clássica.

Andrew Vactor foi condenado por perturbar a tranquilidade na cidade de Urbana ao andar, em julho, com as janelas de seu carro abertas e o som do carro emitindo versos de rap no último volume.

Caso tivesse aceito a proposta da juíza, ele precisaria pagar apenas US$ 35 de multa. Vactor, no entanto, não aguentou ficar 15 minutos ouvindo Bach, Beethoven e Chopin.

Segundo ele, a música não era o problema. “Não tinha tempo para ficar cumprindo a pena. Decidi apenas pagar a multa”, afirmou. Vactor, 24 anos, afirmou que no dia proposto pelo juiz para a sessão de música clássica, ele teria que treinar basquete com sua equipe na universidade.

A juíza Susan Fornof-Lippencott disse que a idéia era obrigar Vactor a ouvir uma música que não fosse de seu interesse. Assim, ele se sentiria como boa parte dos moradores de Urbana, “obrigados” por ele a ouvir rap. “Ninguém gosta de ouvir algo forçado”, afirmou a juíza.

Blue Dog

10 comments / Add your comment below

  1. Mas a juíza Fornof-Lippencott é genial!

    Todo o apoio a ela!

    “Vactor, no entanto, não aguentou ficar 15 minutos ouvindo Bach, Beethoven e Chopin”.

    QUE IDIOTA!

  2. Isso é interessante hoje, num tempo de poluição sonora crescente.

    “Não tinha tempo para ficar cumprindo a pena. Decidi apenas pagar a multa”

    Time is money, baby!

    E sobre não aguentar ouvir Bach, Beethoven e Chopin. Imagine se ele ouvisse um Schoenberg, Ferneyhough ou Xenakis! Ou até (se escondendo das pedradas) um Wagner!

  3. Houve um caso parecido aqui no Brasil. Não em relação a música, mas a literatura. O juiz ao invés de prender os ladrões obrigou-os a ler Vidas Secas de Graciliano Ramos e outros livros, para mostrar como a vida é dura, etc, etc…

  4. Isso me lembra uma antiga novela da Globo, cujo nome não lembro, e que passou nos anos 80, creio. O personagem era punk, e não sei por qual motivo ele é obrigado a ficar trancado num quarto ouvindo Menudo. Aí já é questão de suicídio, não acham?

  5. O cara teve a pena melhor num caso desses.
    Eu sou muitas vezes obrigado a prejudicar a minha audição quando quero ouvir uma musica e um mané liga o som dele no maximo. Ou seja entre meus ouvidos e meu cérebro, prefiro os ouvidos.

  6. Po a juíza foi brutal com ele, pelo – serviu pra mostrar o quão é ridículo as pessoas ter q ouvir certas coisas q ñ gostam , foi uma excelente visão dela :P. Apesar de que ela queria dar esperança de ele ouvir coisa melhor pensar diferente, mas o bom rapaz quer msm ser ignorante fazer o q continue a ouvir poluição sonora para pagar + multas hahahahaha.

  7. Interessante post.

    O filme Laranja Mecânica tem cenas curiosas, nas quais o protagonista foi condenado a ouvir música como punição judicial. Quem viu, se lembra.

    A meu ver, punição mais interessante seria obrigar o cidadão a ouvir Rap durante o mesmo período – mas um só Rap, pode ser até o que ele mais aprecia, repetindo sem parar. Na terceira hora, garanto que iria pedir pra pagar a multa.

Deixe uma resposta