Arnold Schoenberg (1874 – 1951) – Quartetos de Cordas n.1 e n.2

Como fiquei responsável pela música moderna, trazendo aos ouvintes algo um pouco mais radical, cerebral e às vezes indigesto, começo minha participação com um disco mais ou menos óbvio, pois foi a partir do segundo quarteto de Schoenberg que o mundo tonal foi perfurado.

Mas o sistema tonal já estava há algum tempo sofrendo uma série de ataques, diria até que o ínicio do quarteto dissonante de Mozart pode ser visto como um pequeno exemplo dessa procura do novo mundo. As fantásticas “monstruosidades” sonoras de Wagner e Strauss que deixaram o sistema tonal esgotadíssimo. O Adágio da Décima de Mahler. As últimas sonatas de Scriabin…Mas foi realmente Schoenberg quem atravessou a barreira. O sistema tonal é quebrado no último movimento do quarteto n.2, nele uma voz feminina inicia seu canto (texto do poeta Stefan George) com as célebres palavras: “Ich fuhle luft von anderem planeten…” (Eu sinto o ar de um novo mundo…). Não dá para ouvir isso sem ficar arrepiado. Todo o quarteto é belíssimo, um mundo se misturando com outro.

Mas devo confessar que minha maior paixão é mesmo o quarteto n.1. Aqui o sangue fervilha. Apesar de ter quatro movimentos (todos os quatro quartetos de Schoenberg tem 4 movimentos), o quarteto não tem pausa, um movimento conectado ao outro, temas iniciais que vão sendo revisitados até o fim. Nesta época (1905) Schoenberg estudava a sinfonia Eroica. Com Beethoven “eu aprendi como evitar a monotonia e o vazio, como criar variedade fora da unidade…”.

A interpretação do “arditti string quartet” é excelente. E a voz que sai da soprano Dawn Upshaw é assombrosa.

Disco: 1
1. Quarteto n.1, Op. 7: I. Nicht Zu Rasch (Pas Trope Vite)
2. Quarteto n.1 , Op. 7: II. Kraftig (Energique)
3. Quarteto n.1, Op. 7: III. Massig (Modere)
4. Quarteto n.1, Op. 7: IV. Massig (Modere)
5. Quarteto n.2, Op. 10: I. Massig (Moderato)
6. Quarteto n.2, Op. 10: II. Sehr Rasch (Tres Rapide)
7. Quarteto n.2, Op. 10: III. ‘Litanei’ Langsam (Lent) – Dawn Upshaw
8. Quarteto n.2, Op. 10: IV. ‘Entruckung’ Sehr Landsam (‘Eloignement’ Tres Lent) – Dawn Upshaw

BAIXE AQUI (PARTE 1) – DOWNLOAD HERE

BAIXE AQUI (PARTE 2) – DOWNLOAD HERE

7 comments / Add your comment below

  1. Até hoje vim sendo um mero aproveitador silencioso deste magnífico blog. Pretendo continuar aproveitando, porém rompo a barreira do silêncio (das esferas digitais): a faixa 4 dos quartetos de Schoenberg (parte 1) parece estar corrompida. Há meios de corrigi-la?
    Gostaria de fazer uma sugestão: há material do grande Perosi, que Villa-Lobos considerava como referência para a música sacra?
    Abraços,
    Cori.

  2. Caro Coribante, creio que não existe nenhuma faixa corrompida. Poderia ser mais específico? Quero dizer, em que momento da faixa?

  3. Olá caríssimos,
    Descobri esse blog por acaso.. quem sabe do destino ou um desatino qualquer da vida. O fato é que o cardápio do que vocês servem tratou de me desviar do caminho da depressão. Muito obrigado.
    À próposito da postagem acima, tenho que confessar que fiquei amedrontado. Não é fácil escutar música de vanguarda.. mesmo em sendo um ouvindte voraz de tudo que se crie como som, no ocidente ou oriente. Entretanto, essas peças de Schoenberg são comoventes e testemunhais. Mas, a faixa 1 está com um pequeno problema as 6 segundos; pequeno pulo. Se for possível corrigí-la.. ficaria muito grato.

    Abraços,
    Chet.

  4. Prezado CDF, na verdade ao descomprimir o arquivo surge uma msg informando a corrupção do arquivo. Desse modo, a faixa nº 4 não é sequer aberta, enquanto as demais procedem normalmente.
    Abraço,
    Cori

  5. Amigos, para mim a descompressão funciona perfeitamente, mas existe um erro nos primeiros segundos da primeira faixa. A música some por alguns instantes e retorna em seguida. Já baixei o arquivo em três computadores diferentes e o mesmo erro acontece sempre, parece que é no arquivo mp3 mesmo.

Deixe uma resposta