Wilhelm Richard Wagner (1813-1883) – Tannhäuser

Gostaria de fazer algumas considerações à respeito desta postagem de Wagner. Estou começando por Tannhauser, talvez por ser mais conhecida, com o famoso “coro dos peregrinos”, além de outras passagens memoráveis. Consegui-a, como não poderia deixar de ser, com a Comunidade Richard Wagner Brasil, do Orkut. Wagnerianos apaixonados, eles fazem o possível e o impossível para conseguir gravações fantásticas, como essa que ora disponibilizo, e onde se discutem temas os mais variados sobre as óperas em si.

A parte as discussões mais acaloradas como as que suscitaram o texto do Milton Ribeiro, minha preocupação com estas postagens é simplesmente estética e musical… não me interessam debates sobre sua influência no pensamento nazista, etc., etc, etc. Quero apenas que se preocupem com a música… estarei me esforçando em disponibilizar as gravações mais famosas, com seus melhores intérpretes… se Windgassen é o melhor Tannhauser, ou Siegfried, ou se Nilsson é superior à Flagstad, são discussões que deixo à cargo de quem conhece. O que vale na postagem é o que mais vier a me emocionar.

Esta gravação que estou postando de Tannhäuser é especial em diversos aspectos. Começando pelo elenco, com um Wolfgang Windgassen em plena forma como Tannhäuser, e Dietrich Fischer-Dieskau como Wolfram von Eschenbach, além de termos a grande Victoria de Los Angeles como Elizabeth. A regência é do grande Wolfgang Sawallisch, à frente da Bayreuth Festival Chorus and Orchestra, gravado ao vivo, em pleno festival de Bayreuth de 1961. Ou seja, a gravação terá todos os ruídos, tosses, ranger de cadeiras, etc., que caracterizam estas gravações ao vivo. À seu favor, um time de primeiríssima, no apogeu de sua forma,e o que é o principal, gravado no templo wagneriano por excelência.. a emoção de ouvir uma gravação dessas é indiscritível.

Estou me propondo a fornecer a sinopse das óperas a partir do livro “História das Grandes Óperas e de Seus Compositores”¹, de Ernest Newman, em seu primeiro volume, inteiramente dedicado à Wagner. Neste livro, as óperas são analisadas minuciosamente, cena a cena, ato a ato. Newman tem seus críticos, mas ainda é a melhor opção que temos em português para conhecermos melhor essas obras. Portanto, escaneei e transformei em arquivo .pdf o capitulo referente à Tannhäuser. O farei com todas as outras que vier a postar.

Não encontrei na Internet uma tradução do libretto de Tannhäuser. O incrível trabalho de Luiz de Lucca (http://www.luiz.delucca.nom.br/wep/wagneremportugues.html) ainda não tem à disposição a tradução desta ópera, mas para compensar, todo o ciclo do Anel dos Nibelungos se encontra ali devidamente analisado e traduzido, além do “Parsifal”, além de outras discussões pertinentes à questão.

Wilhelm Richard Wagner (1813-1883) – Tannhäuser

Libretto by the composer

First performance: Königlich Sächsisches Hoftheater, Dresden, 19 October 1845

Hermann, Landgrave of Thuringia ………………… Josef Greindl
Tannhäuser ……………………………………… Wolfgang Windgassen
Wolfram von Eschenbach ……………. Dietrich Fischer-Dieskau
Werther von der Vogelweide ……………………… Gerhard Stolze
Biterolf ……………………………………………………………. Franz Crass
Heinrich der Schreiber ………………………………. Georg Paskuda
Reinmar von Zweter ……………………………………….. Theo Adam
Elisabeth, niece to the Landgrave ….. Victoria de Los Angeles
Venus …………………………………………………………. Grace Bumbry
A shepherd boy …………………………….. Else-Margrete Gardelli

Bayreuth Festival Chorus and Orchestra
Wolfgang Sawallisch, conductor
Recorded live, Bayreuth 1961

CD 1 – BAIXE AQUI

CD 2 – BAIXE AQUI

CD 3 – BAIXE AQUI

SINOPSE DA ÓPERA – BAIXE AQUI

27 comments / Add your comment below

  1. Concordo contigo!Wagner é o meu compositor clássico preferido, sou tupiniquim, odeio o nazismo e toda politicagem estúpida e criminosa, não tenho nada contra os judeus…… e adoro as óperas de Wagner!Mais Wagner por favor!Edson.

  2. Esse negócio de associar Wagner ao nazismo é uma bobagem monumental. É a mesma coisa de associar as Bachianas do Vila Lobos ao assassinato de Olga Benário, apenas porque o bom Vila regeu aqueles horrendos orfeônicos na época da dita-dura do Vargas. Certa feita assisti um filme de quatro horas no Instituto Goethe onde o autor procurava mostrar que o Prelúdio do Parsifal continha em embrião toda a doutrina nazista. Nunca vi um filme tão chato em toda a minha vida. O Nazismo foi o maior pecado da história da Humanidade, só comparável a Guerra do Vietnam, e procurou, sim, estetizar o genocídio, inclusive recorrendo à obra de Wagner, como pode ser visto em Arquitetura da Destruição. Mas culpar o próprio Wagner por isso e, mais ainda, encontrar nazismo na obra de Wagner, é um despautério.Além disso, Richard era um tremendo boa praça, uma alma generosa, como pode ser visto no monumental filme Ludwig, do Visconti, embora gostasse de pular a cerca aqui e acolá.Postando esse monumento, PQP Bach presta um grande serviço aos seus próprios fãs, e também aos fãs não orkutianos de Wagner. Heil Wagner!

  3. Que idéia fantástica essa de postar as sinopses das óperas; que venham muitas outras!Aproveitando o ensejo, teria como o amigo postar uma BOA gravação de O Messias de Handel? Faz tempo que procuro por uma boa gravação.Desde já agradeço!Abraços!

  4. Eduardo A postagem do Messias está sendo discutida entre os colaboradores do Blog… estou pensando em postá-la mais próximo do Natal, assim com outras obras do repertório barroco dedicadas á essa época, como as cantatas de Bach para o período do Advento, etc. em minha opinião, uma das melhores versões que existem na atualidade é a do Harnoncourt, e é bem possível que seja essa a versão a ser postada. A seu dispor, FDP Bach.

  5. Caramba, o SAC de vocês funciona bem demais, sô! hehehehe…Então! É que já tou em clima de Natal, daí a procura por O Messias. O Oratório de Natal de Bach já achei-o por aqui; a propósito obrigado pelo mesmo!Por fim, adoraria essa versão do Harnoncourt. O que devo fazer pra que ela entre? Mais e-mails para o excelente SAC deste blog? hehehe…Aguardo ansioso pelas postagens do período Natalino. Só espero que elas surjam antes do 24 de dezembro 🙂

  6. Acho o Messiah regido por Sir Hogwood, com Kirkby, Thomas et. al. a melhor gravação do oratório jamais gravada. Se for postar alguma, sugiro esta, que aliás sumiu das lojas já há algum tempo. Att,

  7. Braga, Esta versão do Hogwood também é meu sonho de consumo… e a Kirkby, ah, a Kirkby… já declarei minha paixão por ela inúmeras vezes aqui no blog… preciso consultar PQP e Clara para verificar quais versões eles possuem… a do Harnoncourt é garantida.. A seu dispor FDP bach.

  8. Wagner era anti-semita, e a gravação desse cd tá muito ruim (apesar da interpretação ser muito boa, quase tanto quanto a do Toscanini).

  9. Tá. Todo mundo tem direito de ser fã, de gostar, e Wagner teve uma importância indiscutível para a Música, era um compositor genial e coisa e tal. Mas que era anti-semita e um esnobe insuportável, era.
    Tentar inocentar sua personalidade doentia por causa da sua obra é que é uma bobagem monumental.

  10. Hola de nuevo!

    Si alguien está interesado, puedo subir la pista que falta en el CD 2.

    Por cierto, en mi opinión, se trata de una versión excelente, con el encanto que tienen las tomas en directo, y además desde Bayreuth. También me permito recomendaros la versión de Solti, ésta última en estudio.

    Un saludo a todos.

  11. Oi a todos!Recentemente encontrei esta mesma ópera na versão de Solti, mas o preço era muito elevado…. 🙁 Será que alguém poderia disponibIlizar a obra na integra? Obrigada!

  12. MAB,

    No blog classicalheaven.blogspot.com vais encontrar uma infinidade de versões de óperas de Wagner, com todas as possibilidades…
    O link está aí ao lado… o paracelsius, nickname do dono do blog, é um atacadista de cds..

    1. Oi fdpbach!

      Obrigada pela dica,já fiz o download….mas infelizmente algumas das faixas estão danificadas…Seria perfeito se algum dos utilizadores deste blog pudesse disponibilizar essas faixas com defeito…de momento ainda ñ tenho a lista, mas caso tenha uma resposta positiva, posso colocá-la aqui. Obrigada!

  13. Maurício, agradeço o envio do site com as traduções. Com relação ao Solti também o tenho entre meus favoritos, mas postei esta versão do Sawalish devido à facilidade de se encontrar na rede esta gravação do Solti. Preferi disponibilizar uma versão mais “difícil” de se encontrar.

  14. Hitler ouvia Wagner, talvez por isso seja associado…
    E nao tem nada a ve com nazismo, e al[em do mais fo iusado e mApocalipse now, se nao me engano…

  15. Boa noite.

    Preciso de sua ajuda. Não conheço a obra “Tännhauser” de Wagner – é provável que já a tenha ouvido, mas sem associar o nome à ópera – e preciso, para um trabalho de musicoterapia, de uma parte da peça que me disseram chamar-se a “Marcha da Festa”.

    Se houver como me indicar essa passagem, agradeço.

    harriete

Deixe uma resposta