Antonio Vivaldi (1678-1741) – Concert pour piccolo, P.78, P.83, P.79 e P.77 ; George Phillip Telemann – Sept Fantasies

Img275
Os pedidos para obras para piccolo foram tão insistentes, que resolvi colaborar. Mas que não se pense que o atendimento às solicitações serão tão freqüentes e imediatas. Curiosamente FDP Bach recém havia conseguido este belíssimo e curioso cd com obras para piccolo e orquestra. Por isso resolveu atender á solicitação.
Dentre as inúmeras e infrutíferas tentativas de se tornar músico, ou pelo menos de aprender a tocar um instrumento, FDP Bach se aventurou pelo mundo da flauta. Não a transversal, com a qual nunca conseguiu sequer pegar a embocadura, e sim aquele singelo e equivocadamente considerado simplório instrumento chamado de flauta doce. Se não me engano sua afinação era em Mi. Enfim, aprender até que aprendeu um pouco, graças à insistência de uma freira, professora de música onde FDP estudou em uma época que remete ainda ao século passado… recorrendo a um velho clichê, bons tempos que não voltam mais… enfim, até que chegamos a ensaiar uma apresentação em um evento qualquer, mas FDP não teve coragem, e desistiu… nosso pai deve ter se revirado na tumba, tanto de raiva quanto de vergonha. E por falar em Albinoni, até hoje arrisco assoprar na velha Yamaha (sim, ainda a tenho) aquele tradicional adágio, assim como uma despudorada e desavergonhada versão do Jesus, Alegria dos Homens, a tradicional cantata BWV 140 de nosso pai.. . vergonhoso dizer, mas até que toco direitinho… mas sem público, por favor… a timidez não permite encarar multidões.
Gravação curiosa essa que estou liberando… confesso que fui enganado, mas depois considerei esse equívoco até que compensador. Afinal, o nome que mais chama atenção na capa é o de Jean Pierre Rampal, ao qual já dediquei algumas postagens, mestre soberano deste instrumento tão maravilhoso. Mas o que chamo de equívoco compensador é o fato de que Rampal nessa gravação apenas é o regente da Orchestre National de France. O solista se chama Jean-Louis Beaumadier, do qual nunca tinha ouvido falar até então. E o dito cujo toca muito bem… também, imagina a pressão de tocar flauta ao lado do maior flautista do século XX, um dos maiores instrumentistas do século… e o que é pior, ou melhor, dependendo do ponto de vista, tendo-o como orientador… que moral… sua interpretação, tanto dos concertos para piccolo de Vivaldi, quanto as fantasias para flauta de Telemann, é segura, correta, sem equívocos. Um belo resultado, num cd agadabilíssimo de se ouvir.. FDP espera que seus ouvintes/leitores sintam-se tão recompensados quanto ele ao ouvirem essas obras.
Inicio com esta postagem algo que eu e Clara Schumann nomeamos como Festival Barroco… Vivaldis, Telemanns, Handels, nosso pai Bach, claro, nossos irmãos CPE e Wilhelm, com certeza estarão presentes… mas chega de blá, blá, blá…

Antonio Vivaldi (1678-1741) – Concert pour piccolo, P.78, P.83, P.79 e P.77 ; George Phillip Telemann – Sept Fantasies

01 Antonio Vivaldi – Concerto pour piccolo en do majeur P.78- 1. Allegro
02 Antonio Vivaldi – Concerto pour piccolo en do majeur P.78- 2. Largo
03 Antonio Vivaldi – Concerto pour piccolo en do majeur P.78- 3. Allegro molto
04 Antonio Vivaldi – Concerto pour piccolo en la mineur P.83- 1. Allegro
05 Antonio Vivaldi – Concerto pour piccolo en la mineur P.83- 2. Larghetto
06 Antonio Vivaldi – Concerto pour piccolo en la mineur P.83- 3. Allegro
07 Antonio Vivaldi- Concerto pour piccolo en do majeur P.79- 1. Allegro non molto
08 Antonio Vivaldi – Concerto pour piccolo en do majeur P.79- 2. Largo
09 Antonio Vivaldi – Concerto pour piccolo en do majeur P.79- 3. Allegro molto
10 Antonio Vivaldi – Concerto pour flute en la mineur P.77- 1. Allegro molto
11 Antonio Vivaldi – Concerto pour flute en la mineur P.77- 2. Largo
12 Antonio Vivaldi – Concerto pour flute en la mineur P.77- 3. Allegro molto
13 George P. Telemann – Fantaisie No.1 en la majeur (Vivace-Adagio-Allegro)
14 George P. Telemann – Fantaisie No.2 en la majeur (Grace-Vivace-Adagio-Allegro)
15 George P. Telemann – Fantaisie No.4 en si bémol majeur (Andante-Allegro-Presto)
16 George P. Telemann – Fantaisie No.5 en do majeur (Presto-Largo-Presto-Largo-Allegro-Allegro)
17 George P. Telemann – Fantaisie No.8 en mi mineur (Largo-Spirituoso-Allegro)
18 George P. Telemann – Fantaisie No.9 en mi majeur (Affettuoso-Allegro-Grave-Vivace)
19 George P. Telemann – Fantaisie No.12 en sol mineur (Grave-Allegro-Grave-Allegro-Dolce-Allegro-Rondeau (presto)

Orchestre National de France
Jean-Pierre Rampal – Conductor
Jean-Louis Beaumadier – Flute, picollo Haynes

BAIXE AQUI

10 comments / Add your comment below

  1. Irmão FDP!Assim, nossa clientela ficará mal-acostumada. Clientes precisam ser amaciados sob porradas enérgicas, ditas com voz macia… Hay que ser duro, pero sin perder la ternura jamás. Experiência própria! Senão passam a achar que têm direitos!E eu sou culpado por ter postado o Quantz rapidinho, só para me pavonear. Ingenuidade a minha!Abraços.P.S.- Que acervo, hein, meu chapa? Realmente, não esperava que tivesses essas coisas de piccolo! O meu é avantajado… (Puf, propaganda enganosa, claro)PQP Bach.

  2. Irmão FDP!Li agora teu texto confessional – muito bom. Mas essa coisa de embocadura ficou meio estranha após meu comemtário acima.Esqueça, por favor! Mil desculpas. PQP Bach.

  3. FDP, muito obrigado por postar estes concertos. E… Se serve de consolo, não tenho coragem de tocar flauta doce. Tenho uma Yamaha contralto (em fá) e sempre que a toco fico horrorizado com minha incompetência… Flauta transversal é moleza!

  4. outro dia tava lendo um texto sobre compositores italianos, e descobri que Vivaldi e Albinoni escreveram sinfonias.Nunca as ouvi, vc poderia postá-las?

  5. Prezado Pedro Paulo, Infelizmente não posso lhe ajudar com relação à esta solicitação (claro que falo por mim, não saberia responder por PQP ou por Clara Schumann). Mas sugiro dares uma olhada no excepcional blog http://www.avaxhome.org, once creio ter visto algo parecido. A seu dispor, FDP Bach

  6. Que coisa, PP… Tenho em vinil as de Vivaldi. Não é nada de excepcional.Bach transcreveu 4 para órgão. Tenho a gravação com Karl Richter… em vinil.Vou me suicidar.PQP Bach.

  7. Tenho uma pergunta a fazer… Essas tais sinfonias de Vivaldi e Albinoni seriam mais ou menos como aquelas que vemos aparecer durante o classicismo ou são peças orquestrais que fazem parte de óperas? O oratório “O Messias” tem como introdução uma peça orquestral denominada sinfonia…

  8. Quantos movimentos possuem essas sinfonias? Se for só um, é bem provável que sejam “sinfonias” nos moldes antigos. Tenho a impressão de que a sinfonia só foi individualizada e dividida em movimentos ( pois uma audição revela que as “sinfonias” que fazem parte de outras peças são “divididas” internamente em rápido-lento-rápido ou lento-rápido-lento, dependendo se é o modelo francês ou alemão) durante o classicismo. Antes disso elas possuiam (todas) um significado diferente do moderno.
    É claro que posso estar enganado :-S
    Aron “deixapralá”

Deixe uma resposta