Georg Philipp Telemann (1681-1767) ∾ Suítes Orquestrais (Aberturas) ∾ Cappella Coloniensis – Hans-Martin Linde ∾∾

Telemann

Aberturas

Cappella Coloniensis

Hans-Martin Linde

 

Esta é a minha primeira postagem de um disco só com música do George Felipe e a escolha me fez pensar bastante sobre música, talento e coisas do gênero.

A pergunta que martelei estes dias, por conta disso, vai mais ou menos assim: Pode um talento a um só tempo ser prêmio e castigo? Pode o afortunado portador de um talento assombroso acabar, de certa forma, sucumbindo a ele?

Telemann, Handel e Bach nasceram próximos uns aos outros tanto do ponto de vista cronológico como geográfico e foram músicos de imenso talento (dããã…). Mas cada um deles usou seus talentos de maneira bastante diversa, como podemos observar nas obras destes três compositores que chegaram até nós.

Em seus dias, Telemann era mais famoso do que Bach e, de certa forma, Handel também. Este era cosmopolita, um verdadeiro cidadão do mundo.

Bach nos legou uma música ‘definitiva’, mais profunda, se pudesse aplicar este adjetivo para algo tão efêmero como música. Certamente isto se deve ao seu talento, mas também à sua atitude ao preparar seu legado, aperfeiçoando sua música de forma intensa, especialmente na fase final de sua vida. Os outros dois talentosos compositores desta já um pouco estranha conversa produziram em profusão, aspergindo sobre tudo que escreviam seus abundantes atributos, sua imensa facilidade musical, sua fluência no trato com a composição musical. Mas certamente tinham uma atitude mais pragmática em relação à sua obra.

O tema deste disco são as suítes orquestrais e já falei um pouco sobre elas em postagem dia destes. Pois enquanto Bach nos deixou quatro delas, Telemann, dito por ele mesmo, deitou pena em mais do que duzentas, das quais umas 134 foram preservadas. Assim, não foi difícil escolher mais duas para acompanhar neste álbum a mais famosa das três, a Wassermusik.

Vista do Elba atual com o Elbphilharmonie (https://www.elbphilharmonie.de/en/)

Com uma orquestração rica, dois piccolos, duas flautas doce, oboés, fagote, cordas e contínuo, esta suíte foi apresentada em 6 de abril de 1723 nas comemorações do Centenário do Almirantado de Hamburgo. Fez tanto sucesso que foi repetida pelos seguintes quatorze anos e ganhou nome: ‘Hamburger Ebb und Fluth” ou ‘Musica maritima’. Impossível não pensar em um paralelo com a Música Aquática de Handel. Há inclusive uma gravação que reúne as duas peças. A suíte composta para o Almirantado leva em conta o fato de Hamburgo ser um importante porto no rio Elba. Assim, figuras mitológicas relacionadas às águas são aludidas nos movimentos que a compõem. Deusas e deuses, ninfas, o movimento do mar e até os felizes (por estarem enfim em um porto) marinheiros.

Telemann deixou-nos tanta música que é preciso uma forma de catalogação científica, para distinguir as peças. As outras duas suítes são mais simples na orquestração e no escopo, mas adoráveis a seu próprio mérito. Veja, a Ouvertüre (Orchestersuite) C-dur, TWV 55: C6 foi composta para três oboés, cordas e contínuo, enquanto a Ouvertüre e-moll, TWV 55: e5 apenas para cordas e contínuo. É simples, C-dur é dó maior na notação germânica. TWV 55 atende ao grupo de suítes de Telemann. C6 quer dizer que esta é a de número 6 das suítes em dó maior. A Wassemusik é a TWV 55: C3. Isto é, a terceira suíte em dó maior catalogada. A e5 então é qual?

Este disco foi gravado entre 1985 e1987 e a edição que ouvi é de 1992. A Cappella Coloniensis é da cidade de Colônia e foi fundada em 1954 na Nordwestdeutscher Rundfunk (Radio Alemã), inspirada na Orquestra da Corte de Dresden, famosa na Europa no século 18 e alcançava cerca de 40 músicos. A Cappella Coloniensis é um grupo pioneiríssimo na prática de música com instrumentos e técnica de época. Aqui eles estão sob a regência de Hans-Martin Linde, um virtuose da flauta doce que fundou também uma orquestra – Linde Consort – e gravou inúmeros discos. Ele hoje está com 90 anos.

Georg Philipp Telemann (1681 – 1767)

Abertura (Suíte Orquestral) em dó maior, TWV 55: C6

  1. Ouverture
  2. Harlequinade
  3. Espagnol
  4. Bourree en trompette
  5. Sommeille
  6. Rondeau
  7. Menuet I-II
  8. Gigue

Abertura (Suíte Orquestral) em dó maior, TWV 55: C3 ‘Wassermusik’ – ‘Hamburger Ebb’ und Flut’

  1. Ouverture: Hamburger Ebb und Fluth
  2. Sarabande: Die schlaffende Thetis
  3. Bouree: Die erwachende Thetis
  4. Loure: Der verliebte Neptunus
  5. Gavotte: Die spielenden Najade
  6. Harlequinade: Der schertzende Tritonus
  7. Der sturmende Aeolus
  8. Menuet: Der angenehme Zephir
  9. Gigue: Ebbe und Fluth
  10. Canarie: Die lustigen Bots-Leute

Abertura (Suíte Orquestral) em mi menor, TWV 55: e3

  1. Ouverture
  2. Rejouissance
  3. Air
  4. Gigue
  5. Menuett
  6. Forlane

Cappella Coloniensis

Hans-Martin Linde

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

FLAC | 310 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

MP3 | 320 KBPS | 144 MB

Se você gostou deste disco, poderá também verificar as postagens a seguir:

Georg Philipp Telemann (1681-1767) – Overture & Concerti – Holland Baroque Society, Alexis Kossenko

G. P. Telemann (1681-1767): Water Music / Alster Overture

Albinoni (1671-1751) & Telemann (1681-1767): Oboe Concertos – Han de Vries

Georg Philipp Telemann (1681-1767): Suites & Concertos para Flauta Doce

Aproveite!

René Denon

Deixe uma resposta