Niccolò Paganini (1782-1840) – Violin Concerto No.1 in D, Op.6, Violin Concerto No.2 in B minor, Op.7

accardopaganini

Provavelmente essa integral deve ser a campeã de repostagens daqui do PQPBach. A primeira vez foi lá nos primórdios do blog, entre 2007 e 2009, depois novamente ali no começo da década passada, repetindo a dose em 2016 e agora, em 2020.

Eram outros tempos, com certeza. A internet era estupidamente lenta, adsl com incríveis 1,5 mb/s de velocidade, cada upload demorava em média 30 minutos, nos dias de boa vontade da operadora. Eu morava em um sítio, hoje  vivo em um apartamente onde a operadora me entrega 240 mb/s … subo um cd em alguns segundos.  Baixo um arquivo de 7 gb em alguns minutos … enfim, tudo evolui.

Andei pesquisando, e não consegui encontrar outra gravação integral dos concertos de Paganini. Se alguém conhecer, me avisa.  Salvatore Accardo sempre será o meu favorito nesse repertório.

Devido ao tremendo sucesso dos Duos para guitarra e violino que postei semana passada (123 downloads indagorinha, em uma semana de postagem, um recorde do blog, creio), vou postar a partir de hoje a integral dos concertos para violino, de Nicolo Paganini.

A interpretação estará sempre a cargo do grande Salvatore Accardo, em minha modesta opinião o maior intérprete destes concertos dos últimos 20 ou 30 anos. A familiaridade que Accardo tem com estes concertos é impressionante, e sua interpretação beira as raias do absurdo. Reza a lenda que o um dos violinos de Accardo (obviamente Stradivarius) pertencera ao próprio Paganini, não sei se essa história é real, mas não importa. O que importa é como ele é tocado.

Muitos consideram Paganini vazio, sem conteúdo, sua orquestração serviria apenas de fundo para a performance do solista. Sua vida, na verdade, era nas salas de concerto, onde reinava absoluto na sua época. Mas não podemos negar que ele desenvolveu uma nova forma de tocar violino, explorando todos os recursos do instrumento ao máximo.

O primeiro cd da série traz os concertos nº 1 e 2.  Accardo é acompanhado pela Filarmônica de Londres, regida por Charles Dutoit.

 Niccolò Paganini (1782-1840) – Violin Concerto No.1 in D, Op.6, Violin Concerto No.2 in B minor, Op.7

1. Violin Concerto No.1 in D, Op.6 – 1. Allegro maestoso
2. Violin Concerto No.1 in D, Op.6 – 2. Adagio
3. Violin Concerto No.1 in D, Op.6 – 3. Rondo (Allegro spirituoso)
4. Violin Concerto No.2 in B minor, Op.7 – 1. Allegro maestoso – Cadenza: Salvatore Accardo
5. Violin Concerto No.2 in B minor, Op.7 – 2. Adagio
6. Violin Concerto No.2 in B minor, Op.7 – 3. Rondo à la clochette, ‘La campanella’

Salvatore Accardo – Violin
London Philarmonic Orchestra
Charles Dutoit – Conductor

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

14 comments / Add your comment below

  1. Olá

    Eu tenho essa coleção do Arccado há algum tempo.
    Realmente a orquestração nas obras de Paganini eram bem pobres e serviam muito mais para completar uma lacuna harmônica na peça (creio que os tuttis são mais para o violinista descansar um pouco!).
    Mas a beleza da obra é incomparável. O desenvolvimento do violino é maravilhoso. Arccado é um dos violinistas de que tenho muito respeito. Esse moço dá-nos uma aula de como tocar a imensa dificuldade de Paganini sem que isso pareça humanamente impossível e mantendo a singular beleza das composições.

    Ouçam atentamente os concertos e perceberam que o violinista não é humano!
    São seis concertos! Aconselho que não ouçam todos de uma vez, porque pode enjoar um pouco!

    Rafs

  2. Caro Nícolas,

    Tenho algumas das obras para harpa mencionadas no outro post.

    Envia-me um e-mail, por favor, para que eu possa alcançá-las a você.

    Um abraço!

    1. Ola td bem?
      Olha ok eu mais procura é um cd ou dvd de
      Paganini q tem o concerto 1 op 6, por acaso vc tem?
      por favor vc poderia me enviar?Obrigada…..

  3. MUCHAS GRACIAS POR ESTE EXELENTE ALBUM ESPERO PUEDA SUBIR LOS DEMAS CONCIERTOS Y SUS CAPRICHOS ES UNA EXELENTE INTERPRETACION ACARGO DEL MAESTRO SALVATORE GRAZIEEEEEEEEEEEEEEE SALUDOS DESDE MEXICO ADIOS

  4. A questão ao meu ver é o conceito de genio. Realmente tudo o que disseram é verdade, inovações tecnicas, aprofundamento no violino. Porem pra mim a genialidade não passa por ai, a genialidade de um compositor é aquilo que faz voce ouvir um preludio do villa e ficar arrepiado ate o ultimo fio de cabelo. Mesmo que a partitura desse preludio seja confusa, ou que a escrita seja meio incomum, ou a tecnica utilizada parcialmente ineficiente. Para mim arte e tecnica são dois campos razoavelmente desconexos, a tecnica ajuda no desenvolvimento da arte, porem musicalmente, mais vale uma obra de arte sem tecnica do que uma obra tecnica sem arte. Ficou confusa a mensagem??

  5. Ivan Cerkov traz uma aproximidade a Salvatore Accardo,quebrando um pouco as normas paganista q Salvatore mantem.Bela interpretação com a Munich synphony orchestra, sob a batuta de Kurt Cepek. Muito bom

  6. Estava a procura na internet de obras do meu compositor favorito, BACH. Quando fiz a busca no google encontrei esse fenomenal blog, fiquei muito feliz. Gosto de todas as obras de BACH, quando ouço sinto que estou perto do céu.

    Fiquei feliz também porque agora terei oportunidade de ouvir outros compositores que ainda não conhecia, como tem uma vasta biblioteca, peça a ajuda de vcs para indicar por onde devo começar, claro que já estou baixando tudo de BACH.

    Outra coisa, que concerto de guitarra e violino é esse que estão falando, podem me enviar o link para que eu possa ouvir?

    Obrigado a todos os colaboradores e idealizadores desse blog por dividir seu conhecimento musical comigo. PARABÉNS!

  7. Gente, por favor. A senha, prá que eu possa extrair as músicas.
    Estaria escrito em algum lugar e não observei ?
    Estou aguardando.
    Grato,

    A. Carlos

  8. maravilha de post!!!! concordo em gênero, número e grau!!!! assim também é com Christus am Ölberge, op. 85 de beethoven com bernhard klee, elisabeth harwood, james king e franz crass!!!! uma gravação sem igual. por favor postem essa gravação que está contida no número 19 da integral de beethoven da deustche grammophon, que contém peças corais do mestre de bonn. vocês não irão se arrepender! outra gravação que vale a pena é a dos quartetos de cordas de verdi, tchaikovsky e smetana, feita pelo amadeus quartet, também pela deutsche grammophon. há a alternativa pelo amadeus com os quartetos americano e o from my life, deutsche grammophon igualmente. ainda indico la cenerentola com tereza berganza, luigi alva e abbado. uma gravação deliciosa (deutsche grammophon) que cai bem para esses dias melancólicos. e para quem quiser o tchaikovsky de lennie, um tchaikovsky à flor da pele, há a integral das sinfonias pelo próprio lennie. e claro há karajan, com uma leitura também de tirar o fôlego. e o que dizer dos quartetos de bartok com o hungarian string quartet, com o emerson e com o tokyo? a leitura do tokyo é uma leitura estética. a do emerson, uma aula de como se toca – e ouve – bartok. e a do hungarian é a reflexão do próprio compositor sobre guerra, esperança e o desaparecimento da mesma. fica a dica aqui também. bem, desculpem por eu ser tão chato, mas vocês me estimulam. muito obrigado!

Deixe uma resposta