Clara Wieck Schumann (1819-1896): Piano and Chamber Music

Um belo CD. Se você não é familiarizado com a música de Clara Schumann, esta coleção de obras para piano solo e de câmara fornece uma boa visão geral de quem era a esposa de Robert Schumann e possível amante de Brahms. A pianista Micaela Gelius é muito boa intérprete e enfatiza a poesia da música ao invés de cintilar vaidosamente como costumam fazer os intérpretes de Rachmaninov. Ela parece Arrau tocando Bobby Schumann.

Da mesma forma, Gelius e seus colegas chegam a um desempenho soberbo no Trio. O violinista Sreten Krstic é especialmente bom e isto já se nota nos Romances. É boa música romântica. E honesta.

Clara Wieck Schumann (1819-1896): Piano and Chamber Music

1 Scherzo for piano No. 2 in C minor, Op. 14 4:32

2 Romance for piano in A minor, Op. 21/1 5:16

Soirées Musicales, 6 pieces for piano, Op. 6
3 Toccatina 2:29

Romances for piano, Op. 11
4 Romance No. 1 3:39
5 Romance No. 2 5:48

Variations on a Theme by Robert Schumann, for piano in F sharp minor, Op. 20
6 Variation 1 1:01
7 Variation 2 0:48
8 Variation 3 1:02
9 Variation 4 1:11
10 Variation 5 0:49
11 Variation 6 1:10
12 Variation 7 1:05
13 Variation 8 3:40

Romances for violin & piano, Op. 22
14 Romance No. 1 3:17
15 Romance No. 2 2:40
16 Romance No. 3 3:48

Piano Trio in G minor, Op. 17
17 I 10:33
18 II 4:47
19 III 5:24
20 IV 7:45

Micaela Gelius, piano
Sreten Krstic, violin
Stephan Haack, cello

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

My name is Schumann, Clara Schumann
My name is Schumann, Clara Schumann

PQP

10 comments / Add your comment below

  1. “Amante de Brahms” é algo questionável. Não digo isso porque acho impossível de ter acontecido. É que me impressiona quão poucos documentos históricos comprovam essa tese, sendo que deve ter havido uns 300 zilhões de musicólogos curiosos minuciosamente retro-investigando as vidas de ambos.

    No mais, é lamentável que essa dona tenha tido de interromper a carreira para poder sustentar o maridão, que estava perdido demais em devaneios românticos para se preocupar com coisas terrenas e inferiores como… pôr comida na mesa! Quer dizer, por que ELE não ficou cuidando da casa e das crianças enquanto ela tocava e compunha?

    Ah, sim, porque a sociedade da época era machista. Ups. Mal aí.

    1. Clara Schumann era uma senhora compositora. Não sei dizer se acho sua música parecida com a do marido Robert, já que raramente ouço. Agora, de qualquer maneira, Robert Schumann também tinha de compor, sem, é claro, deixar de lado suas obrigações familiares. Mas dizer que ele devia ter deixado Clara compondo enquanto ele fazia tudo, amigo… aí já é pegar no pesado… Assim você acaba inferiorizando-o ainda mais.
      Sem falar que Clara já tinha mais destaque do que ele mesmo, tanto é que isso o chateava.

        1. Sociedade da época? Patriarcalismo impera até hoje na sociedade ocidental, mas os homens mal percebem isso, pois quem se beneficia desse comportamento social são eles; acho que o Schumman ficar em casa para ela compor não seria demérito algum.

  2. Sobre esse papo de Clara “amante de Brahms”, o pessoal da Wikipedia tem um recado importante para vocês:

    [carece de fontes]

  3. Esses pintores de antigamente sempre deixavam os olhos para o fim do quadro, o remate da pintura. Daí, quando traçavam os glóbulos oculares incrivelmente gigantescos e indecentes, ficavam com pena de destruir toda a obra: dane-se quem teve de passar à posteridade como portador de olhos centos de vezes mais grandotes do que realmente eram!

  4. Haveria uma coleção similar com as obras de Fanny Mendelssohn?Penso em como seria legal um recital com os trios para piano de ambas as compositoras.

  5. thanks for renewing this beautiful album,
    love this Toccatina opening: sounds like the rythm of a children play,,, wondering if this is what she meant, who knows,,,

Deixe uma resposta