Robert Schumann (1810-1856): Konzertstück para 4 trompas e orquestra, Op. 86 / Sinfonia Nº 3, Op. 97, Renana / Sinfonia Nº 4, Op. 20 (1851 Version)

Esta gravação valoriza o trabalho sinfônico de Schumann, que deve ser conferido e apreciado. O fato é que durante muito tempo, as sinfonias de Schumann tiveram muito má repercussão. Dizia-se que eram mal construídas, mal orquestradas e que eram um híbrido entre a sinfonia e o poema sinfônico. Aparecem nesta postagem, o Konzertstück para 4 Horns e Orquestra in F major Op. 86, uma obra demasiado curta, mas bastante boa. Aparece, ainda, a Sinfonia No. 3 em Mi bemol maior, Op. 97 – “Renana”, uma obra pela qual possuo grande admiração. Está repleta de uma sofisticação ensolarada. O título “Renana” supõe, mais que um preciso programa musical, um testemunho de fidelidade ao Romantismo alemão, para qual a figura do Reno tinha um valor simbólico fundamental; e surge ainda a Sinfonia No. 4 em D menor, Op. 120 que já apareceu aqui na última postagem. Fica aqui a certeza de um notável, um excelente registro, digno da magnitude do compositor alemão. Aprecie sem moderação!

Gente, eu não tenho os dois primeiros CDs desta coleção. Se alguém tiver e quiser mandar, basta avisar nos comentários, tá?

Robert Schumann (1810-1856): Konzertstück para 4 trompas e orquestra, Op. 86 / Sinfonia Nº 3, Op. 97, Renana / Sinfonia Nº 4, Op. 20 (1851 Version)

Konzertstück for 4 Horns and Orchestra in F major Op. 86*
01. I. Lebhaft = Vivo
02. II. Romanze – Ziemlich langsam, doch nicht schleppend = Bem lento, mas sem se arrastar
03. III. Sehr lebhaft = Muito vivo

Sinfonia No. 3 in E flat major Op. 97 – “Renana”
04. I. Lebhaft = Vivo
05. II. Scherzo – Sehr maessig = Muito moderado
06. III. Nicht schnell = Moderado, andante
07. IV. Feierlich = Majestoso
08. V. Lebhaft = Vivo

Sinfonia No. 4 in D minor Op. 120 (1851 Version)
09. I. Ziemlich langsam – Lebhaft = Bastante lento – Vivo
10. II. Romanza – Ziemlich langsam = Bastante lento
11. III. Scherzo – Lebhaft = Vivo
12. IV. Etwas zurueckhaltend = Contido
13. V. Lebhaft = Vivo

Roger Montgomery, Gavin Edwards, Susan Dent, Robert Maskell, trompas
Orchestre Révolutionaire et Romantique
John Eliot Gardiner, regência

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Schumann: doido como só ele
Schumann: doido como só ele

Carlinus / PQP

5 comments / Add your comment below

  1. Gosto muito destas duas sinfonias de Schumann, a terceira e a quarta. Gardiner faz uma leitura diferente da do Karajan, por exemplo, sugiro a comparação. Claro que são propostas diferentes, visto Gardiner ser um intérprete que se considera, antes de tudo, fiel aos desejos do compositor, enquanto que Karajan sempre tentava dar sua visão pessoal à obra.

  2. Konzertstück for 4 Horns and Orchestra in F major Op. 86*
    01. I. Lebhaft = Vivo
    02. II. Romanze – Ziemlich langsam, doch nicht schleppend = Bem lento, mas sem se arrastar
    03. III. Sehr lebhaft = Muito vivo
    Sinfonia No. 3 in E flat major Op. 97 – “Renana”
    04. I. Lebhaft = Vivo
    05. II. Scherzo – Sehr maessig = Muito moderado
    06. III. Nicht schnell = Moderado, andante
    07. IV. Feierlich = Majestoso
    08. V. Lebhaft = Vivo
    Sinfonia No. 4 in D minor Op. 120 (1851 Version).
    09. I. Ziemlich langsam – Lebhaft = Bastante lento – Vivo
    10. II. Romanza – Ziemlich langsam = Bastante lento
    11. III. Scherzo – Lebhaft = Vivo
    12. IV. Etwas zurueckhaltend = Contido
    13. V. Lebhaft = Vivo

  3. Grande José Eduardo, agradecemos a gentileza. Nosso tradutor oficial do alemão, Ranulfus, anda meio sumido, sobrecarregado de serviço.

  4. Ah, sim, insisto: a Sinfonia no. 4 não tem cinco movimentos, mas uma pequena – e linda – transição entre o terceiro e o quarto. 🙂 Dane-se a divisão de faixas da DG. A introdução lenta da obra, por exemplo, não é um movimento separado. Por que a transição do final seria? Nonsense.

    Belo exercício: comparem esta “Renana” do Gardiner com a “Renana” do Herreweghe, também “historicamente informada”. Muitas diferenças!

    PQP responde: texto corrigido.

Deixe uma resposta