Pe. José Maurício Nunes Garcia (1767-1830) – Ofício dos Defuntos de 1816 (Officium 1816) – Acervo PQPBach

2d1qkwkPe. José Maurício Nunes Garcia
Ofício dos Defuntos de 1816
Camerata Novo Horizonte de São Paulo – 1998
Maestro: Graham Griffiths

Originalmente postado em março de 2011. 

Esta postagem é dedicada aos valorosos Brasileiros, verdadeiros ratos de museus e igrejas, que dedicaram parte substancial de suas vidas ao trabalho de pesquisa e difusão da Música Colonial e Imperial Brasileira e que têm deixado raízes indeléveis na nossa cultura musical, apesar do profundo desamparo e descaso por parte dos governos.

Tenho procurado CDs esgotados e a resposta que sempre ouço é: “- O convênio que fizemos com a Petrobras (ou Correios, ou outro) somente permitiu imprimir 1.000 CDs e não conseguimos verba para imprimir mais.” CDs esgotados há mais de 10 anos!

Tenho enviado emails a maravilhosos intérpretes brasileiros, graduados na Europa ou Estados Unidos, com diversas apresentações Brasil afora, e a maioria das respostas é sempre a mesma: “- Falta-nos apoio.”

Esta postagem é dedicada a todos esses valorosos Brasileiros.

Mas esta postagem também é dedicada à ‘zelite brasileira’ que permite uma Maria Bethania abocanhar R$ 1.300.000,00, via Lei Rouanet, para publicar poesias num blog. Nosso dinheiro!

Mas esta postagem também é dedicada à ‘zelite brasileira’ que obrigou este site a deletar de suas páginas um dos maiores acervos existentes no mundo sobre o Maestro Villa-Lobos, com comentários e análises que estudantes jamais encontrarão similares.

A essa ‘zelite brasileira’ dedicamos este Ofício dos Defuntos de 1816 e recomendamos que decorem o Responsório 5-01 abaixo, pois dele hão de precisar no último dia:

Hei mihi! Domine, quia peccavi nimis in vita mea. Quid faciam ubi fugiam, nisi ad te Deus meus? Miserere mei dum veneris in novissimo die.

Ai de mim! Senhor, pequei muito em minha vida. Para onde irei senão para vós? Senhor, tende piedade de mim quando vieres no último dia.

Officium 1816
Pe. José Maurício Nunes Garcia (1767-1830, Rio de Janeiro, RJ)
01. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 1-01. Credo
02. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 1-02. Et in carne
03. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 1-03. Quem visurus
04. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 1-04. Et in carne
05. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 2-01. Qui Lazarum
06. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 2-02. Tu eis Domine
07. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 2-03. Qui venturus
08. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 2-04. Tu eis domine
09. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 3-01 Domine, Domine
10. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 3-02. Commissa mea
11. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 3-03. Quia peccavi
12. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 4-01. Memento mei
13. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 4-02. Nec aspiciat
14. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 4-03. De profundis
15. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 4-04. Nec aspiciat
16. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 5-01. Hei mihi
17. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 5-02. Anima mea
18. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 6-01. Ne recorderis
19. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 6-02. Dum veneris
20. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 6-03. Dirige
21. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 6-04. Dum veneris
22. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 7-01. Peccantem
23. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 7-02. Deus in nomine tuo
24. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 7-03. Quia in inferno
25. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 8-01. Domine secundum
26. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 8-02. Ut tu Deus
27. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 8-03. Amplius
28. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 8-04. Ut tu Deus
29. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 9-01. Libera me
30. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 9-02. Tremens
31. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 9-03. Requiem
32. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 9-04. Libera me
33. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 9-05. Kyrie
34. Ofício dos Defuntos de 1816 – Responsório 9-06. Requiest in pace

Camerata Novo Horizonte de São Paulo – 1998
Maestro: Graham Griffiths
.
memoriaBAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
XLD RIP | FLAC 479,2 MB | HQ Scans

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 320 kbps -120 MB

.
powered by iTunes 10.2 | 56 min

 

Visitem o mais completo site sobre a vida e obra do Padre José Maurício, obra de um desses valorosos Brasileiros mencionados! CLIQUE AQUI

.Boa audição.

macaco pensante

 

 

 

 

 

.

.

Avicenna

15 comments / Add your comment below

  1. Manolo … muito bom esse CD.

    Agradeço muito pelo seu esforço de buscar e nos disponibilizar musicas de compositores brasileiros, e de grande qualidade.

    No momento, a unica coisa que importa para o governo é Copa do Mundo e Olimpiadas … a cultura e educação não são prioridade, e se depender deles continuará nao sendo.

    Mas é para isso que existe esse blog … para dar cultura a quem busca…e se depender de mim será conhecido por todos os meus amigos.

    Mais uma vez, parabens pelo esforço!
    E não desanimem, se vocês estão aqui a tanto tempo é por que tem publico que quer.

    Abração!!!

    (PS: tenho alguns cd’s que baixei por aí, talvez interesse a vocês caso queiram disponibilizar no site [concertos para cravo de bach, as 550 sonatas de scarlatti por scott ross e todos os trabalhos de william byrd para virginal]. se quiserem, me deem um toque.)

  2. Já que o assunto é funerário…

    Vou pedir o requiem de Salieri. Isso mesmo, sem enrolação, sem delongas e sem adocicar a demanda… Digo, a exigência. O SAC é malcriado e os leitores também 😛

    P.S.: Você sabem que não vivemos sem vocês … … …

  3. Muito obrigado Lucas. A minha especialidade não é Bach & Scarlatti, porém espero que algum dos companheiros deste blog se interesse.
    Um abraço,

    Avicenna

  4. Cara, eu não tinha parado pra ver que você pela primeira vez fez um texto pessoal em lugar de transcrever o encarte. Tive um acesso de alegria agora, mais acentuado ainda pelo teor do texto. “Ay, que lugar de mierda en que vivimos.”

  5. Valeu, CVL, nem eu tinha notado esse detalhe !!!! Rsrsrs

    Cada um de nós tem que lutar pelo que acha ser justo.
    E uma apreciação sua é outro diploma!
    Putz, estou feliz !!!

    Avicenna

  6. Pois é, Papai faria 261 anos se vivo fosse. Mas bastardos e displicentes que somos, ignoramos a data. Vou pensar em alguma coisa para o final de semana, pois durante a semana será impossível.

  7. A cada ano que vou ficando mais velho, vou me enchendo do Brasil a níveis insuportáveis, esse caso da maria bethania me indignou profundamente, é a legalização do assalto ao cofres públicos,se não é à mão armada é à caneta mesmo, e o ficha limpa? nosso STJ é uma vergonha, e a cultura brasilis? agoniza por falta de aplicação de recursos aonde verdadeiramente é necessário, há tempos, só nos resta curtir a Europa, lá aindaas coisas funcionam!

  8. Meu camarada,

    Jah era fã do blog. Agora, estou “completamente” em função das considerações tecidas sobre a boçalidade oficiosa.
    Pediria mais Satie…………. abç

  9. Caro Avicenna…
    nao sei mesmo como os detentores dos direitos do Villa podem ser tao tacanhos !!!
    sempre achei que para melhorar as vendas era preciso algum marketing… mas acho que essa turma pensa diferente…
    lamento muito que o acervo sobre Villa tenha sido tirado do ar.

Deixe uma resposta