Frei Manuel Cardoso (Portugal, 1566-1650): Missa de Requiem – The Tallis Scholars

2e4e0zbMissa de Requiem
Frei Manuel Cardoso 

The Tallis Scholars

 Frei Manuel Cardoso é o principal compositor do grupo de polifonistas de Évora, os maiores expoentes do período áureo da música religiosa portuguesa. A música que compuseram caracteriza-se pela inexistência de acompanhamento de qualquer instrumento.

Foi professor de Frei Manuel Cardoso, Manuel Mendes (1547–1605), nomeado Mestre de Claustra da Sé de Évora, cargo que desempenhou até 1589.

Entre os quatro nomes de compositores que mais se salientaram – Estêvão de Brito (c.1575-1641), Filipe de Magalhães (c.1571–1652), Duarte Lobo (1565–1646) e Frei Manuel Cardoso (c.1566–1650), foi este último quem conseguiu misturar com maior sucesso o antigo e o novo, produzindo um estilo pessoal muito característico.

Frei Manuel Cardoso passou a sua vida como frade carmelita no Convento do Carmo em Lisboa. Antes de fazer os votos em 1589, praticara como menino do coro na Catedral de Évora. Entre 1618 e 1625, esteve ao serviço do Duque de Barcelos, mais tarde, D. João IV, um utilíssimo patrono, ele mesmo músico distinto e compositor de mérito.

As obras de Frei Manuel Cardoso que chegaram até nós estão imprimidas em cinco colecções, das quais duas foram pagas por D. João IV. Destas, a primeira e a última (1613 e 1648) incluem motetos e Magnificats, ao passo que as outras três (1615, 1636 e 1636) contêm Missas.

Não podemos saber se Cardoso experimentou outros tipos de música barroca, porque o resto das suas obras (como as de tantos outros músicos) foi destruída pelo terramoto de 1755.

A sua obra mais conhecida é a missa de Requiem, para seis vozes (SSAATB), que está incluída no livro de Missas de 1625. O “Libera me” a final é para quatro vozes (SATB).

Existem muitas edições internacionais em disco das suas obras, em especial, da missa de Requiem.

(Nicolau António Bibliotheca Nova, 2.º vol., pags. 44-45)

Um belo trabalho sobre a vida e a obra do Frei Manuel Cardoso, publicado pelo Instituo Camões, de Portugal, pode ser baixado aqui em .PDF

.

Frei Manuel Cardoso (Portugal, 1566-1650)
01. Requiem – 1. Introitus
02. Requiem – 2. Kyrie
03. Requiem – 3. Graduale – I. Requiem aeternam – II. In memoria
04. Requiem – 4. Offertorium – Domine Iesu Christe
05. Requiem – 5. Sanctus & Benedictus
06. Requiem – 6. Agnus Dei I, II & III
07. Requiem – 7. Communio – Lux aeterna
08. Requiem – 8. Responsorium – Libera me
09. Motet: Non mortui
10. Motet: Sitivit anima mea
11. Motet: Mulier quae erat
12. Motet: Nos autem gloriari
13. Magnificat (Secundi Toni 5vv)

Requiem – 1990
The Tallis Scholars
Peter Phillips, regente

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 320 kbps – 161,9 MB -1,1 h
powered by iTunes 10.3.1

Boa audição.

caravela 1

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Avicenna

12 comments / Add your comment below

  1. Caro Avicenna:

    Ao ouvir este requiem tive a impressão de estar ouvindo uma composição mais antiga, uma missa que bem poderia figurar entre os cantos gregorianos dos primeiros volumes da “Sacred Music” aqui postada pelo caro C.V.L.. E qual foi minha surpresa, ao ler que fora composta no séc. XVII em Portugal!

    Creio que esta impressão se deve à mistura “do antigo com o novo” na qual Frei Cardoso obteve sucesso. Seria o mesmo que “chover no molhado” falar da beleza desta composição, qualidade de todas as suas postagens, mas eu insisto em apontar a delicadeza desta música polifônica. Deixo aqui os meus cumprimentos ao Frei e a você, Avicenna, por mais esta bela postagem.

    Espero ver mais obras dos Polifonistas de Évora por aqui!

  2. Obrigado, mais uma vez, Adriano!

    Quando comecei a ouvir esse Requiem fiquei tão encantado com a delicadeza da obra e de sua interpretação e execução que quando terminei de ouví-la, já tinha postado (e era de madrugada!).

    E, para minha surpresa, esta postagem está batendo todos os meus recordes de downloads.

    Um grande abraço!

    Avicenna

  3. O tamanho do OBRIGADO por esta passagem de cosmonave bloqueou quaisquer outras palavras, caro colega. Que venha mais, muito mais, dessa fonte de beleza esquecida!

  4. Obrigado, Ranulfus.

    Estou pensando em postar mais alguns CDs sobre a polifonia portuguesa, mas a tradução para o português dos respectivos encartes demanda alguém com muita competência para fazê-la.

    Esta gravação bateu todos os recordes de postagens minhas.
    Incrível sucesso de uma obra pinçada ao acaso!

    Um grande abraço,

    Avicenna

Deixe uma resposta