J. S. Bach (1685-1750): Variações Goldberg (versão para harpa)

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Catrin Finch, harpista galesa, é um verdadeiro fenômeno, sendo hoje talvez o principal nome de seu instrumento. Aqui está uma estreia de gala na Deutsche Grammophon ao abordar as Variações Goldberg.

As Variações Goldberg são um ícone no mundo da música clássica. Foi o desafio mais do que qualquer coisa o que primeiro me atraiu. Não sabia se ia dar certo ou não. Foi muito emocionante fazer a adaptação, era como montar um imenso e perfeito quebra-cabeça. Quando cheguei à última parte e vi que podia ser feito, tinha que aprender a tocar a peça. Há milhares de pessoas ao redor do mundo que são loucos pelas Goldberg. Espero que meu trabalho abra portas a ainda outros. A ária é muito famosa. Serviu de tema até para Hannibal Lecter… Sinto que vou desenvolver a interpretação das Goldberg pela vida inteira. Mesmo assim, estou muito feliz com meu trabalho. É a coisa mais importante que fiz até agora na minha carreira.

EU, PQP BACH, SOU LOUCO PELAS GOLDBERG. É a música que mais ouço e portanto posso dizer que é a que mais gosto dentre todas, pois não sou masoquista. Esta deve ser a quinta ou sexta postagem desta obra no blog. Acho que vocês aguentam.

Bach: Aria mit 30 Veränderungen, BWV 988 “Goldberg Variations”

Arranged for Harp by Catrin Finch

1 Aria [3:33]
2 Var. 1 a 1 Clav. [1:27]
3 Var. 2 a 1 Clav. [1:59]
4 Var. 3 Canone all’Unisono a 1 Clav. [1:26]
5 Var. 4 a 1 Clav. [1:17]
6 Var. 5 a 1 ovvero 2 Clav. [0:48]
7 Var. 6 Canone alla Seconda a 1 Clav. [1:25]
8 Var. 7 a 1 ovvero 2 Clav. [2:19]
9 Var. 8 a 2 Clav. [1:00]
10 Var. 9 Canone alla Terza a 1 Clav. [1:34]
11 Var. 10 Fughetta a 1 Clav. [1:01]
12 Var. 11 a 2 Clav. [0:58]
13 Var. 12 Canone alla Quarta [2:11]
14 Var. 13 a 2 Clav. [2:47]
15 Var. 14 a 2 Clav. [1:12]
16 Var. 15 Canone alla Quinta in moto contrario [3:48]
17 Var. 16 Ouverture a 1 Clav. [3:38]
18 Var. 17 a 2 Clav. [1:35]
19 Var. 18 Canone alla Sesta a 1 Clav. [1:19]
20 Var. 19 a 1 Clav. [1:17]
21 Var. 20 a 2 Clav. [1:19]
22 Var. 21 Canone alla Settima [2:12]
23 Var. 22 Alla breve a 1 Clav. [1:31]
24 Var. 23 a 2 Clav. [1:13]
25 Var. 24 Canone all’Ottava a 1 Clav. [3:12]
26 Var. 25 a 2 Clav. [7:13]
27 Var. 26 a 2 Clav. [1:24]
28 Var. 27 Canone alla Nona [1:54]
29 Var. 28 a 2 Clav. [1:10]
30 Var. 29 a 1 ovvero 2 Clav. [1:09]
31 Var. 30 Quodlibet a 1 Clav. [2:06]
32 Aria [2:53]

Catrin Finch, harpa

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Catrin Finch, uma versão surpreendente das Goldberg
Catrin Finch, uma versão surpreendente das Goldberg

PQP

24 comments / Add your comment below

  1. Olá,suas postagens são ótimas,o unico problema é o servidor,será que você não poderia utilizar outro?
    Muito obrigada,excelente blog.

  2. Hum… Eu não vejo nada de mau no Rapidshare. Ele trata muito bem quem vai lá e lhe dá uns trocados. Dia desses baixei um arquivo no Mega. Erro de CRC. Baixei de novo. Erro de CRC, mas outro.

    Por essas é que abraço o diabo, isto é, o Rapid.

  3. Olá,PQP!
    Imagino a dificuldade de transcrever e tocar uma música tão
    complexa num instrumento bem mais limitado que um piano, e á
    sombra imensa de Glenn Gould.Todas as interpretações desse
    alumbramento em forma de música encaram este desafio.
    A primeira vez que ouvi as Variações,foi nas mãos do canadense
    maluco,e talvez isto tenha “estragado”o meu gosto para sempre.
    Ela toca muito e é magrelinha como uma roqueira!
    Bela postagem.

  4. Caro PQP, bem sei de sua predileção pelas gravações das Golderg no cravo original, mas gostaria de saber, de qualquer forma, de qual das gravações de Gould você prefere. Grande abraço e muito obrigado pelo maravilhoso blog.

    1. É uma competição de semideuses, mas acho que Gould só poderia figurar nas semifinais ou nas quartas de finais com sua SEGUNDA versão.

      Se a pergunta fosse sobre quem revolucionou as interpretações de Bach, dando ênfase a coisas (e maravilhas) antes desconhecidas eu responderia: Gould! Mas ele já foi há muito superado no quesito qualidade.

      É apenas minha opinião. Sinceramente, não acho que tenha grande valor.

      Abraços.

  5. Prepare-se, caro PQP, pois em julho apresentaremos as Variações Goldberg, de fio a pavio, no StudioClio, com JM.

    Prepare-se antes, pois celebraremos o aniversário do velho, dia 21/03, domingo, com um belo sarau e vários iluminados tocando suas favoritas.

    ATENÇÃO MELÔMANOS, POIROTs e LUPINs: quem tem a gravação dos concertos Brandenburgueses ao Koto? Uma vez o Maestro Walter Lourenção mostrou (logo, existe) e nunca mais achei sequer uma pista.

  6. PQP Bach, eu tb amo de paixão as Goldberg, já peguei a versão para cordas e agora estou levando essa, valeu por sustentar o meu vicio 😀

    Nem vou comentar que estou me acabando nesse blog.. ah se eu tivesse banda larga em casa, tenho que fazer usn downloads na surdina no trampo rs

    Abraçao

  7. Caramba, PQP, não coloque essas coisas na página inicial…

    Fiquei uns bons meses sem escutar música, e, voltando com essa bela interpretação, não consigo senão me sentir culpado e com remorso, como quem abandona o lar e depois volta.

  8. Caros PQP e família,
    Não tenho o hábito de fazer comentários de qualquer tipo em lugar algum, mas há um bom tempo acompanho o blog, e ele é fantástico, só tenho a agradecer o que você e os demais fazem para mim e muitos outros.
    Quanto ao post, desde o dia em que está aqui só ouço as Goldberg, comparando versões em diversos instrumentos e esta me deixou muito intrigado e fascinado, até o momento só a tinha visto neste vídeo http://www.youtube.com/watch?v=H3nhBXD1Fbs .

    Grato,
    C. Henrique.

  9. Meu caro, alguém é ainda mais louco pelas Goldberg que você. Tem um torrent circulando pela internet com cerca de OITENTA versões dessa obra prima. Além de muitos cravos e pianos, tem várias de cordas, sopros, sanfona, harpa…

    Ah, parabéns pelo blog, e muito grato!!

  10. Quando Elisabeth Bach estava dando a luz a J.S. Bach, Deus estava presente na hora do parto. Deus disse:
    ” Este que acaba de nascer vai transformar minha palavra em música. ” E assim foi feito.

    Bach um espírito eterno…

  11. As Variações Goldberg fazem parte do núcleo mais criativo e extraordinario de Johann Sebastian Bach. De fato, o aficionado, o que sente com a alma não só aguenta como está sempre no aguardo de mais novidades. A cada interpretação, um mundo diferente a ser assimilado. Vejamos o que temos: Hantai, Andreas Schiff, Glen Gould, Karl Richter, Simone Dimmerstein e agora Catrin Finch com a Harpa – maravilhoso!
    obrigado!
    abraços

  12. Assim como você é louco e fanático pelas Variações Goldberg de Johann Sebastian Bach(1685-1750),eu também gosto bastante e admiro muito os vinte e quatro estudos de Frédéric François Chopin(1810-1849),doze do Opus 10 e doze do Opus 25,assim como os vinte e quatro prelúdios de Claude Achille Débussy(1862-1918).Eu sou fã número um dessas obras admiráveis e sensíveis.

Deixe uma resposta