Isaac Albéniz (1860-1909): Suite Espanhola para Orquestra

Isaac Albeniz, assim como Mozart, foi uma criança prodígio, aos 4 anos já se apresentava em público, porém, o talentoso espanhol viveu um pouco mais, até os 48 anos. Foi um rapaz muito rebelde. Aos 12 anos embarcou clandestinamente em um navio, fugindo para Argentina. Nesse período, ganhou a vida tocando em bares, até que conseguiu organizar uma série de concertos, o que lhe rendeu uma certa quantia, permitindo-lhe viajar para a Cuba, Porto Rico e Estados Unidos. Nos Estados Unidos batalhou bastante, chegando a trabalhar como porteiro de cais, de forma paralela, continuava tocando piano, ganhando dinheiro suficiente para voltar a Europa. No ano seguinte aos 13 anos, foi aceito no Conservatório de Leipzig.

A maior parte de sua produção musical foi para piano, mas é em transcrição para violão que sua Suite Espanhola é mais ouvida, seja ao vivo ou em gravações.  O grande regente espanhol Rafael de Burgos, compelido pela vivacidade e força da música de Albeniz, pegou sete peças da Suite Espanhola [com exceção de Cuba (Capricho)] e mais a canção espanhola “Cordoba” e arranjou-as para orquestra. Seu sucesso foi total, ao transferir a música de teclado para orquestra, o que nem sempre é uma tarefa fácil – podemos citar como exemplo famoso, o arranjo de Ravel para Quadros de uma Exposição de Mussórgsky. A música de Albéniz está impregnada com o sabor mais forte e mais colorido da música ibérica, nunca soando, nem um pouco, kitsch. Algumas dessas seleções estão impregnadas de uma atmosfera sensual das localidades do sul espanhol, descritas, também, por Debussy em sua Iberia.

Fontes de pesquisa: Wikipédia e Audad

Uma ótima audição!

.oOo.

Albéniz-De Burgos: Suite Espanhola para Orquestra

Suite Espanhola
01 Castilla (Seguidillas) 2:30
02 Asturias (Leyenda) 6:27
03 Aragon (Fantasia) 5:05
04 Cadiz (Cancion) 4:52
05 Sevilla (Sevillanas) 4:15
06 Granada (Serenata) 5:36
07 Cataluna (Corranda) 3:01

08 Cordoba 5:30

New Philharmonia
Rafael Frühbeck De Burgos

BAIXE AQUI / DOWNLOAD HERE

Linda franjinha, não?
Albéniz: desgrenhado sexy

Marcelo Stravinsky

2 comments / Add your comment below

  1. Não conhecia esta versão orquestrada das peças do Albéñiz. A idéia ousada de explorar castanholas, gongos, tímpanos e xilofones nas levadas dançantes de “Córdoba” deu um resultado muito bonito e inspirador ao enfatizar os constrantantes climas e ambientações que a obra propõe, sobretudo numa peça que para piano (sua versão original) está trivialmente posicionada como um típico “Noturno”.

    Tudo isso só enriquece a intenção original do Albéñiz ao compor essa obra-prima que é “Cordoba” (minha música preferida dele, aliás): criar um ambiente musical que contemplasse o visual da famosa mesquita construída nessa cidade pelos mouros e que mais tarde seria transformada em catedral cristã, mesclando assim a musicalidade diluída nesse belo exemplo de sincretismo hispano e árabe.

    Obrigado pela ótima postagem!
    Abraços

Deixe uma resposta