Gustav Mahler (1860-1911): Sinfonia Nº 4

A Quarta Sinfonia em sol maior de 1899-1900 pode ser considerada um epílogo para as três primeiras sinfonias. É a sinfonia mais intimista e em menor escala de Mahler, com orquestra reduzida e virtualmente nenhum efeito grandioso. É também a mais curta da série. Não se pode falar em ingenuidade em relação a uma composição tão sutil, mas a atmosfera é certamente infantil, de modo sumamente apropriado. Não admira que seja a mais popular e acessível sinfonia de Mahler, e é a primeira em que ele se conservou fiel aos quatro movimentos do modelo clássico. Pensou em chamá-la de Humoresque. Os movimentos estão tematicamente inteligados à maneira usual de Mahler. “Eu queria realmente escrever um humoresque sinfônico que acabou se convertendo numa sinfonia completa, enquanto que antes, quando quis escrever a Segunda e Terceira sinfonias, acabei escrevendo cada uma delas com o tamenho de três.”

Sua composição demorou muito tempo para os padrões de Mahler: o quarto movimento Das Leben Himmlische (Vida Celestial) foi tomado do Des Knaben Wunderhorn, ciclo de lieder escrito em 1892. Este movimento deveria ser parte, inicialmente, da Terceira Sinfonia. Como esta já estava imensa, Mahler então decidiu colocá-lo no final da sua Quarta Sinfonia e escreveu seus três primeiros movimentos.

Gustav Mahler (1860-1911): Sinfonia Nº 4

1. Bedächtig, nicht eilen
2. In gemächlicher Bewegung, ohne Hast
3. Ruhevoll, poco adagio
4. Sehr behaglich

Sylvia McNair
Berlin Philharmonic Orchestra
Bernard Haitink

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

mahler2

PQP

4 comments / Add your comment below

    1. Não, é quinta vez que postamos, sempre em gravações diferentes. Já houve Haitink com o Concertgebow e com a Berliner.

  1. Aproveito a postagem de um compositor que admiro para elogiar este espaço maravilhoso de uma maneira geral, pois mesmo tendo me alimentado por muito tempo do conteúdo que aqui encontrei, nunca me manifestei nos comentários – afinal, com ouvido e conhecimentos amadorísticos, me envergonhava de falar entre peritos.
    Penso que, em tempos de total comercialização da arte e insuficiência plena dos aparelhos públicos de cultura, o site se faz absolutamente necessário e, por isso, desejo saúde eterna ao P. Q. P. Bach!

    Aproveito para dizer que há 7 meses mantenho um blog dedicado à poesia chamado Vade Mecum (http://viktorschuldtt.blogspot.com.br/) e, desde sempre, mantenho o P. Q. P como uma referência na lista de sites que propagandeio.

    Um abraço a todos,
    não desistam desse trabalho primoroso!

    Viktor

Deixe uma resposta