Antonio Vivaldi (1678-1741): Juditha Triumphans

Link revalidado por PQP no dia do 6º aniversário de nosso grande, imenso blog

A música sacra barroca está muito bem representada nesta obra prima de Vivaldi, o oratório “Juditha Trimphans”, curiosamente o único oratório de Vivaldi que chegou até nós, os restantes teriam sido perdidos. Belíssimos corais, solistas inspiradíssimos, principalmente Ann Murray, e Robert King e seu King´s Consort perfeitos, o resultado só poderia ser uma excelente gravação, nos proporcionando momentos mais que prazerosos.  Também tenho a versão da Kozèna, musa de meu irmão PQP Bach, mas sinto esta gravação do King´s Consort mais leve e solta.

Este cd faz parte de uma coleção de 10 cds da gravadora inglesa Hyperion chamada “Antonio VIvaldi Sacred Music”, e pretendo postar outros volumes desta série até o Natal.

Este oratório é baseado na história bíblica de Judite. Juntamente com o cd 2 estará seguindo o texto explicativo que acompanha esta edição da Hyperion. Eis o comentário do editor da amazon.com:

Vivaldi is best known for his instrumental music–concertos and concerti grossi–but perhaps his most-performed work, the Gloria, is for chorus and vocal soloists. This rarely recorded oratorio, “Juditha Triumphans,” combines all of Vivaldi’s favorite compositional mediums–solo instrumental, orchestral, solo vocal, and choral–in a work of impressive scope brimming with wonderful melodies and irresistible rhythms. Telling the story of the Jewish heroine Judith, who single-handedly saves her people from certain destruction by Nebuchadnezzar’s army, Vivaldi’s oratorio offers plenty of virtuoso music for soloists, which these performers, especially soprano Maria Cristina Kiehr, handle brilliantly. The action is fast-paced, the period instruments sound wonderful. And if the idea of an oratorio by Vivaldi scares you a little, have no fear; instead, prepare to be pleasantly surprised, amazed, and hooked. –David Vernier

Antonio Vivaldi (1678-1741) – Juditha Triumphans

CD 1

1. Overture. Allegro
2. Overture. Largo
3. Part 1. Coro. Arma, caedes, vindictae, furores
4. Part 1. Recitativo. Felix en fausta dies
5. Part 1. Aria. Nil arma, nil bella
6. Part 1. Recitativo. Mi Dux, Domine mi
7. Part 1. Aria. Matrona inimica
8. Part 1. Recitativo. Huc accedat Matrona
9. Part 1. Aria. Quo cum Patriae me ducit amore
10. Part 1. Recitativo. Ne timeas non
11. Part 1. Aria. Vultus tui vago splendori
12. Part 1. Recitativo. Vide, humilis prostrata
13. Part 1. Coro. O quam vaga, venusta, o quam decora
14. Part 1. Recitativo. Quem vides prope, aspectu
15. Part 1. Aria. Quamvis ferro et ense gravis
16. Part 1. Recitativo. Quid certno! Oculi mei
17. Part 1. Aria. Quanto magis generosa
18. Part 1. Recitativo. Magna, o foemina, petis
19. Part 1. Aria. Sede, o cara
20. Part 1. Recitativo. Tu Judex es, tu Dominus, tu potens
21. Part 1. Aria. Agitata infido flatu
22. Part 1. Recitativo. In tentorio supernae
23. Part 1. Aria con Coro. O servi, volate
24. Part 1. Recitativo. Tu quoque hebraica ancilla
25. Part 1. Aria. Veni, veni, me sequere fida
26. Part 1. Recitativo. Venio, Juditha, venio: animo fave
27. Part 1. Aria. Fulgeat sol frontis decorae
28. Part 1. Recitativo. In Urbe interim pia
29. Part 1. Coro. Mundi Rector de Caelo micanti

CD 2

1. Part 2. Recitativo. Summi Regis in mente
2. Part 2. Aria. O Sydera, o stellae
3. Part 2. Recitativo. Jam saevientis in hostem
4. Part 2. Recitativo. Nox in umbra dum surgit
5. Part 2. Aria. Nox obscura tenebrosa
6. Part 2. Recitativo. Belligerae meane sorti
7. Part 2. Aria. Transit aetas
8. Part 2. Recitativo. Haec in crastinum serva: Ah, nimis vere
9. Part 2. Aria. Noli, o cara, te adorantis
10. Part 2. Coro. Plena nectare non mero
11. Part 2. Recitativo. Tormenta mentis tuae fugiant a corde
12. Part 2. Aria. Vivat in pace, et pax regnet sincera
13. Part 2. Recitativo. Sic in pace inter hostes
14. Part 2. Aria. Umbrae carae, aurae adoratae
15. Part 2. Recitativo. Quae fortunata es tu vaga Matrona
16. Part 2. Aria. Non ita reducem
17. Part 2. Recitativo. Jam pergo, postes claudo
18. Part 2. Accompagnato. Summe Astrorum Creator
19. Part 2. Accompagnato. Impii, indigni Tiranni
20. Part 2. Recitativo. Abra, abra, accipe munus
21. Part 2. Aria. Si fulgida per te propitia caeli fax
22. Part 2. Recitativo. Jam non produl ab axe
23. Part 2. Aria. Armatae face, et anguibus
24. Part 2. Recitativo. Quam insolita luce
25. Part 2. Aria. Gaude felix
26. Part 2. Accompagnato. Ita decreto aeterno
27. Part 2. Coro. Salve, invicta Juditha, formosa

Ann Murray – Mezzo Soprano
Maria Cristina Kiehr – Soprano
Susan Bickley – Mezzo-Soprano
Sarah COnnoly – Mezzo-Soprano
Jean Rigby – Mezzo-Soprano

The Chor of The King´s Consort
The King´s Consort
Robert King – Conductor

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

FDP

14 comments / Add your comment below

  1. FDP, PQP, Clara, CFD e Ciço,
    desculpem mudar o tópico, mas vocês já ouviram as ditas peças “eruditas” do Paul McCartney?
    A seara do Macca é o pop, mas o moço já tem várias incursões fora do pop, e então, ele tem futuro?
    Luciano

    1. Luciano,

      Eu acompanho o lado erudito de Paul McCartney e tenho todas as obras dele nesse campo, que inclusive pretendo postar. Ele é bem ladeado por amigos maestros e orquestradores, que fazem as orquestrações dentro das idéias gerais que lhes são passadas por Paul. Daqui a algum tempo (bote alguns meses), escreverei um bocado a respeito.

      Se ele tem futuro? Difícil dizer ainda. Paul “brinca” de compor e está sujeito a resultados instáveis, mas posso dizer que sua última obra, o oratório Ecce Cor Meum, pode não ser nada original, mas é muito atrativo.

      Abraço.

  2. Prezados,

    Obra fantástica de Vivaldi. Como assumidamente amante incondicional desse compositor veneziano, devo prostrar-me diante de sua magnitude, que permaneceu por muito escondida. Tenho a interpretação deste Oratório com a Academia Monte Regalis sob a regência de Alessandro de Marchi, com Magdalena Kozená e Marina Comparato, com suas técnicas e resultados inigualáveis de interpretação, os quais considero referências da obra. Estou agora me deleitando com essa postagem, que interpreta a obra com relevante leveza e elegância. Potentosos coros, árias inspiradíssimas, e a clara visão do paraíso com a melodia simples e divina do coro Mundi Rector de Caelo micanti, o que considero ser minha música de recepção na minha entrada no paraíso.
    Postagens como essas me deixam cada vez mais viciado no blog PQP Bach, e me fazem sentir uma criança numa loja de brinquedos, na dúvida de qual o próximo a escolher. Essa certamente passou na frente de muitas outras escolhas.

    Infinitamente grato pela suas atenções desmedidas em semear o mundo com essas jóias raras e especiais, do eterno admirador pequepiano,

    Felipe|M.

  3. Meu caro amigo:

    Desde já, muito obrigado por esta postagem magnífica, pois trata-se de uma interpretação que há muito desejava escutar. Sou grande fã do King’s Consort e do Robert King (que já tive o prazer de ouvir ao vivo por 2 vezes na companhia de James Bowman), e julgo que esta é uma das melhores formações barrocas de sempre.
    Bem-haja por toda esta difusão cultural que tem feito, e desejo que assim continue por muito muito tempo, dando-nos o gosto de escutar peças de qualidade única.

    Com um abraço de Portugal,

    José Carlos

  4. FDP, sensacional, nunca tive a oportunidade de ouví-lo.
    Os intérpretes, que me são desconhecido estão muito bem.

    Gostou das nonas?

    abraços

    obs.:interessante aquele mapa para ver de onde são as pessoas que acessam o blog, só reparei hoje.

  5. Exigente, infelizmente não tive a oportunidade de ouvir ainda as nonas que você gentilmente me mandou, mas já estão na lista do meu player de mp3. Estive baixando também via avaxhome uma integral do Klemperer para as sinfonias de Beethoven, ainda não as ouvi, mas imagino que também sejam de altíssimo nível.
    Felipe, também tenho a versão da Kozena, musa do mano PQP, mas por algum motivo obscuro, optei pela versão do King, pois também gosto muito daquela gravação. Talvez a escolha tenha sido aleatória, mesmo.

  6. Prezado FDP,
    A Kozaná também é uma de minhas preferidas, sua textura de voz é única. Mas também uma interpretação que gosto é do Il Giardino Armonico, com Cecilia Bartoli encarnando Vagaus (não sei se existe a gravação, ainda não achei). É um tanto quanto impetuosa, ficando próximo das interpretações da Europa Galante. Mas fica aí outra possibilidade de leitura da obra.

  7. Meu Deus!! Toda vez que ouço “Arma, caede”, acredito que o mundo acabará em tímpanos!
    Essa é, sem dúvida, uma das suas melhores postagens. Álbum de qualidade incomparável.

  8. Desculpe, mas gostaria muito que se possível fosse, vocês pudessem dar uma olhada no link desse Álbum, pois estou muito afim de baixá-lo. Favor dá uma olhada e se não for pedir muito uma resposta. Valeu, Ótimo trabalho esse de vocês, Ótimo Site.

Deixe uma resposta