John Zorn (1953): Chimeras (Edição revista, 2010)

Li em alguns lugares que este trabalho seria o melhor de John Zorn até hoje. Não consigo concordar de modo algum. Pode ser o mais erudito de seus trabalhos, nunca o melhor, na minha opinião. A sonoridade é muito, muitíssimo Pierrot Lunaire — a instrumentação é a mesma, apenas com mais percussão — e Zorn deve e fica devendo bastante a Arnold Schoenberg.

Recentemente revista, esta parece ser a versão definitiva de Chimeras. Dizem maravilhas deste disco, repito, mas algo trancou e não entrou direito na minha cabeça. Falem em violência, perversão, feminilidade, inocência e beleza… Juro que ouvi pouco disso na obra. Ouvi mesmo foram os ecos saudosos da Segunda Escola de Viena que, para Zorn, parece não ser apenas um importante período histórico no desenvolvimento da linguagem musical.

De qualquer maneira, é bom conferir, John Zorn é um sujeito talentoso. Faz e já fez coisas muito maiores e melhores do que Chimeras.

John Zorn: Chimeras (Edição revista, 2010)

1. John Zorn – One (1:50)
2. John Zorn – Two (2:42)
3. John Zorn – Three (2:04)
4. John Zorn – Four (1:24)
5. John Zorn – Five (3:16)
6. John Zorn – Six (4:16)
7. John Zorn – Seven (3:10)
8. John Zorn – Eight (2:48)
9. John Zorn – Nine (2:39)
10. John Zorn – Ten (0:55)
11. John Zorn – Interlude (2:54)
12. John Zorn – Eleven (1:44)
13. John Zorn – Twelve (2:55)
14. John Zorn – Postlude (0:16)

Ilana Davidson, soprano
Elizabeth Farnum, soprano
Tara O’Connor, flautas
Mike Lowenstern, clarinete
Jennifer Choi, violino
Fred Sherry, violoncelo
Stephen Drury, piano, orgão e celesta
William Winant, percussão

Bradley Lubman, regência

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE (RapidShare)

Apoie os bons artistas, compre suas músicas.
Apesar de raramente respondidos, os comentários dos leitores e ouvintes são apreciadíssimos. São nosso combustível.
Comente a postagem!

PQP

7 comments / Add your comment below

  1. Será que algum de vcs tem alguma gravação de Rothko Chapel do Morton Feldman? Ou alguma indicação para baixar ou comprar? Valeu desde já.

  2. Desculpem meus ouvidos de iniciante, mas achei muuuuuito esquisito. Trilha sonora perfeita para os sonhos nos filmes de David Linch.
    Me lembrou o “Two Virgins” de John e Yoko e o “Music from the Body” de Gessin e Waters.
    Não posso dizer que não gostei, mas é muito esquisito. E quando começam a aparecer as sopranos, então, fica assustador. Ouvi ontem de noite, sozinho, fiquei arrepiado. Deu medo mesmo.

    Só tenho uma reclamação:
    CADÊ AS VIOLAS????????????

  3. Conheci John Zorn há pouco tempo, mas ouvi bastante coisa nas últimas semanas. Eu aqui na minha ignorância não sabia desse caráter mais “erudito” dele… Fino, muito fino.

  4. Engraçado… A capa do disco do Zorn tem o mesmo design da capa do disco Adult Themes for Voice, do Mike Patton. A gravadora é a mesma, mas fora isso, haveria alguma conexão? Sei que o John Zorn produziu o primeiro disco do Mr. Bungle, banda do Patton nos anos 90… Será que ele produziu Adult Themes também?

Deixe uma resposta