César Franck (1822-1890) – Sinfonia em Ré menor, Les Éolides e Le Chausseur Maudit

César Franck é um compositor belga-francês que começou a sua obra tardiamente. Somente depois dos 50 anos é que ele deu início à criação de trabalhos significativos. Chegou a ter um grande conhecimento da obra de Beethoven. Outro importante compositor que o influenciou foi Liszt. Numa época em que a Europa se rendia ao wagnerianismo, Franck seguiu um caminho próprio, singular. Essas inovações foram responsáveis por gerar um estranhamento no público acostumado com as “megalomanias” de Wagner. Mas, como lhe era devido, o compositor encontrou o merecido reconhecimento, por conta do labor de seus discípulos. Como classificar César Franck? Ele não era nem Romântico nem Pós-Romântico. César Franck era César Franck. Este aspecto é importante para compreendermos a obra do compositor. Temos aqui nesta postagem a famosa Sinfonia em D menor, uma das obras mais importantes do século XIX. Ela estreou em 1889, um ano antes da morte do compositor. E quando da estréia, não logrou êxito. Foi mal recepcionada. Julgada como uma obra incompreensível e “espessa”. O mesmo que se deu com a Sinfonia Titã de Mahler, apenas para traçar um paralelo. Carpeaux diz algo importante sobre essa peça peça: “A Sinfonia em ré menor é uma das maiores do século XIX: alguns descobrem nela um programa religioso, outros a expressão de filosofia pessimista e estóica; mas é música absoluta.” O poema sinfônico Les éolides, composto no verão de 1875 é uma espécie de homenagem a Liszt. Por sua vez, a última peça, Le chausseur maudit, foi escrita em 1882. Inspira-se em uma balada e conta a história de um conde que ignora os deveres religiosos e sai para caçar em pleno domingo. Os fiéis ao verem a negligência de Rhin (nome do conde), clamam contra a infração à lei sagrada que manda respeitar o dia dedicado à oração e ao repouso. No meio do caminho, seu cavalo se detém e a trompa de caça fica muda, ao mesmo tempo em que uma voz de além-túmulo o amaldiçoa pelo seu pecado. Ele foge envolto em chamas e é perseguido por um bando de espectros. A obra tem uma forte influência dos poemas sinfônicos de Franz Liszt, como se pode perceber. Não deixe de ouvir este importante registro. Uma boa apreciação!

César Franck (1822-1890) – Sinfonia em Ré menor, Les Éolides e Le Chausseur Maudit

Sinfonia em Ré menor
1. Lento – Allegro non troppo [19:10]
2. Allegretto [10:39]
3. Allegro non troppo [10:45]

Les Éolides
4. Les Éolides [10:50]

Le Chausseur Maudit
5. Le Chausseur Maudit [15:12]

Royal Phialharmonic Orchestra
Raymond Leppard, regente

BAIXAR AQUI

Carlinus

4 comments / Add your comment below

  1. Ufa, só depois de terminar esses dias todos de pesquisas, conversões, preparações & postagem, é que consegui baixar esta sua postagem, Carlinus. Nunca tinha ouvido a Sinfonia em Ré a não ser em vinil, e a engenharia de som desta está primorosa, está uma maravilha de ouvir! MUITÍSSIMO obrigado – de franckiano para franckiano 🙂

    A propósito, no último movimento tem trechos que soam tão posteriores à época dele, uma coisa meio de marcha inglesa, não francesa, mas com um quê sincopado que já sugere uma vaga influência do jazz, que ainda nem havia surgido… Teria ele conhecido algum marinheiro que voltava de New Orleans? hahaha Ou quem sabe todo grande músico tem um lado meio profético!

Deixe uma resposta