Aaron Copland (1900-1990): Concerto for Clarinet, String, Harp and Piano / Igor Stravinsky (1882-1971): Ebony Concerto / Leonard Bernstein (1918-1990): Prelude, Fugue and Riffs / John Corigliano (1938): Concerto for Clarinet and Orchestra

Chamar este CD de The Essential Clarinet é um certo exagero. Talvez este seja o clarinete essencial dos EUA, pois deixar de fora as Sonatas para clarinete e piano de Brahms, o Quinteto Op. 115 e o também Quinteto K. 581 e o Concerto K. 622 de Mozart é falta grave. Talvez o que una estas peças seja a onipresente figura de Benny Goodman, o cara que encomendou peças para clarinete até para Bartók (e recebeu).

Mas aqui temos, certamente, a melhor peça escrita por Aaron Copland, a célebre incursão jazzística de Stravinsky (Ebony Concerto), uma excelente composição de Bernstein e um bom Concerto de Corigliano (prazer em conhecer). Richard Stoltzman não me pareceu um clarinetista tão essencial, mas seu repertório é de primeira linha, sem dúvida.

Richard Stoltzman · The Essential Clarinet

Aaron Copland (1900-1990): Concerto for Clarinet, String, Harp and Piano
1. Concerto for Clarinet, Strings, Harp and Piano 17:53

Igor Stravinsky (1882-1971): Ebony Concerto
2. Ebony Concerto: Allegro moderato 3:11
3. Ebony Concerto: Andante 2:34
4. Ebony Concerto: Moderato; Con moto 3:41

Leonard Bernstein (1918-1990): Prelude, Fugue and Riffs
5. Prelude, Fugue and Riffs 7:24

John Corigliano (1938): Concerto for Clarinet and Orchestra
6. Concerto for Clarinet and Orchestra: Cadenzas 9:18
7. Concerto for Clarinet and Orchestra: Elegy 11:15
8. Concerto for Clarinet and Orchestra: Antiphonal Toccata 9:33

Richard Stoltzman, clarinete
London Symphony Orchestra
Lawrence Leighton-Smith

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE (RapidShare)
BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE (MegaUpload, o lerdo)

Apoie os bons artistas, compre suas músicas.
Apesar de raramente respondidos, os comentários dos leitores e ouvintes são apreciadíssimos. São nosso combustível.
Comente a postagem!

PQP

1 comment / Add your comment below

  1. Esse CD baixei na hora.

    Nota dez. Fora de série! Tanto as obras quanto a interpretação.

    Não conhecia a peça do Bernstein, completamente jazzística (e não um crossover irônico como tem de sobra na Missa), e nunca tinha escutado nada do Corigliano, apesar de toda a sua fama.

    O concerto de Corigliano não poderia ter sido um melhor cartão de visitas (que solos de tímpano desafiadores são aqueles no terceiro movimento!?), diferente de John Adams – do qual saí catando algo que me agradasse e não consegui.

Deixe uma resposta