Cecilia Bartoli e seus castrati: Sacrificium (2009) – REVALIDADO

1. É CD para ser comprado. Ele vem acompanhado de um livrinho de 108 páginas chamado “A-Z of the castrato”, além de 3 bônus tracks que não tenho aqui. Já encomendei o meu.

2. Cecilia Bartoli não é mais uma dessas divas que ficam pegando repertórios mais ou menos óbvios para (re)lançar em suas coletâneas. Ela transformou tais discos em obras de arte. E de tese.

3. Ela é a campeã dentre as mezzo. Este CD vendeu 500.000 cópias nos primeiros 30 dias depois do lançamento. E ela não está cantando Abba nem Beatles, está cantando música rara, de primeira linha, acompanhada de um conjunto fantástico que utiliza instrumentação original. Ou seja, não há embuste ou concessão.

4. Ela é a campeã porque canta divinamente. Ela não sai em revistas de moda, não mostra o umbigo em decotes e passaria desapercebida na rua (apesar de eu achá-la linda).

5. Ela não canta óperas de Wagner. Alega não ter alcance. Não é a mulher perfeita???

6. Ah, a edição de luxo, a das 109 páginas + bonus CD, só importando. Reclamações noutro guichê.

Deixemo-la explicar o CD:

Vejam a louca entrando no palco… (e depois cantando):

E mais um:

Bem, o CD é sobre os castrati, meninos de boa voz que eram castrados a fim de mantê-la intacta. A esmagadora maioria não vingava e acabava prostituída nas ruas. A igreja, na época, impedia as mulheres de cantarem em seus atos religiosos e, bem, alguém tinha que fazer os agudos, né? Mas a absurda história destes mutilados está disponível em todo o lugar. O que me interessa é dizer que trata-se de mais um esplêndido trabalho da cantora preferida das gentes: Cecilia Bartoli.

IM-PER-DÍ-VEL !!!!

Cecilia Bartoli — Sacrificium (2009)

1. Nicola Porpora – Come nave in mezzo [ 4:05] allonde [Siface] [ ]
2. Antonio Caldara – Profezie di me diceste [ 7:38] [Sedecia] [ ]
3. Francesco Araia – Cadro ma qual si mira [ 6:16] [Berenice] [ ]
4. Nicola Porpora – Parto ti lascio o cara [10:48] [Germanico in Germania] [ ]
5. Nicola Porpora – Unsignolo sventuratom [ 5:12] [Siface] [ ]
6. Carl Heinrich Graun – Misero pargoletto [10:08] [Demofoonte] [ ]
7. Nicola Porpora – In braccio a mille furie [ 2:52] [Semiramide riconosciuta] [ ]
8. Leonardo Leo – Qual farfalla [Zenobia in [ 5:29] [Palmira] [ ]
9. Nicola Porpora – Nobil onda [Adelaide] [ 4:56]
10.Carl Heinrich Graun – Deh tu bel Dio [ 3:43] damore [Adriano in Siria] [ ]
11.Leonardo Vinci – Chi temea Giove regnante [ 6:20] [Farnace] [ ]
12.Antonio Caldara – Quel buon pastor son io [10:29] [La morte dAbel fugura di quella…] [ ]

Cecilia Bartoli
Il Giardino Armonico
Giovanni Antonini

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Apoie os bons artistas, compre suas músicas.
Apesar de raramente respondidos, os comentários dos leitores e ouvintes são apreciadíssimos. São nosso combustível.
Comente a postagem!

PQP

21 comments / Add your comment below

  1. Céus!
    Essa mulher fez-me apaixonar!!!!!
    Estou praticamente em estado de graça. Nunca uma obra assim tinha despertado em mim algum interesse, mas essa….! Fui pega de jeito! ^^

    Muito obrigada!

  2. Cecilia Bartoli deixou uma nova forma de leitura classica conteporania sem fugir do original. Bela e magnifica perfornasse da diva Bartoli como sempre se superando a cada lançamento. Saudações e obrigado pela pela postagem merecedora.

  3. O CD é lindo em todos os sentidos! Ganhei a versão de luxo de uma amiga que mora na Alemanha. Fiquei impressionado com o preço: somente 20 Euros! Imaginem o quanto custaria aqui no Brasil se versão nacional, sem o livro e o CD bônus, custa 34 reais. Os europeus nos mostram que é possível fazer trabalhos de grade qualidade sem extorquir o consumidor. Não é a toa que é um dos maiores sucessos fonográficos de música erudita dos últimos tempos.

    Vale muito a pena comprar!!!!!

  4. Caro PQP,

    Dia desses, vi essa edição de luxo numa loja brasileira. Obviamente, trata-se da Laserland daqui de São Paulo.

    Como isso faz mais ou menos um mês, já deve ter esgotado, mas deve ser tranqüilo ligar para eles e pedir para importar mais um.
    O problema é que sai por 125 reais. O que ferra é que como o negócio é um verdadeiro livro, o frete fica violento.

    De qualquer modo, fica aí a sugestão.

    Aliás, fico tentando imaginá-la cantando Beatles e não consigo… 🙂

  5. Quem encomendou de fora pode me informar quanto ficou? Porque, agora que eu descobri essa edição de luxo, eu quero, eu quero, eu queroooo!!!!

    1. Compra na Amazon. No exterior, SEGUNDO O QUE ME INFORMARAM, só há a edição de luxo. Só cuide para não ultrapassar os US$ 50. A partir disso, há o imposto. Acho que este valor de 20,99 é da edição de luxo.

    2. Item(s) Subtotal: $19.99
      Shipping & Handling: $5.48
      —–
      Total Before Tax: $25.47
      Sales tax: $0.00
      —–
      Total for this Shipment: $25.47
      —–

      Pechincha, né não? Ainda mais com este dólar de menos de R$ 1,80!

  6. Crítica do The Guardian

    Martin Kettle guardian.co.uk, Wednesday 25 November 2009 22.15 GMT Article historyA Cecilia Bartoli concert is a package deal. You get a big personality, an extrovert show, a still-remarkable voice, and a lot of technically difficult vocal music on the margins of the repertoire from her latest CD. Plenty of people have had it with the Bartoli phenomenon. But a lot of others can’t get enough. She packs a hall and they adore her.

    Bartoli made a great entrance dressed like a pantomime principal boy. But this offering was not for the squeamish, especially if you buy the extravagantly illustrated CD. It’s a celebration, if that is the word, of arias written for 18th-century baroque castratos, mainly by the Neapolitan composer and teacher Nicola Porpora, whose many pupils included the famous Farinelli. Most of the pieces chosen by Bartoli were either dazzlingly fast, enabling her to show off her coloratura, or spun out in the minor key, showcasing her often ravishing, but thinning, legato. Occasionally there was a novelty, like Porpora’s nightingale aria from his opera Siface, complete with bird song accompaniment, and, more interestingly, a harmonically imaginative aria by the German composer Carl Heinrich Graun. In the end, though, most of these pieces merged into one another. And since Bartoli is anything but a castrato, the insights into the vocal art of this brutal tradition were necessarily limited. One spent a lot of the evening longing for some Handel, which only arrived in the encores.

    The issue with Bartoli comes down to a clash between two things. On the one hand, she remains a brilliant vocal technician with an unusually rich if small mezzo soprano. On the other, in her later career she increasingly avoids singing anything of great musical significance, or anything in which she can be compared with others. She is a special and disturbingly evasive artist.

  7. Cecilia Bartoli uma mezzo que nos faz uma concessão neste trabalho maravilhoso. algo maravilhoso, único, sem palavras, para se ouvir de joelhos e agradecer a Deus a existência de alguém com tamanho talento. COmo bem foi dito por pqpbach
    ela transforma tudo em obra de arte que será lembrado – senão venerado – nas gerações futuras como exemplo de honestidade musical. Uma diva no melhor sentido da palavra.

  8. Talvez vocês tenham notado que ela, curiosamente, não fala “castrati”, plural em italiano, mas sim “castrados”, o que talvez seja uma variante dialetal napolitana, com influéncia ibérica. Eu não conhecia esta inflexão.

    Outra coisa: os números dela são questionáveis. Acho que correspondem ao quesito de feitos “admiráveis” (thaumá), com que Heródoto abre sua obra, e aí vem muita lotora sensacionalista. Diz ela:
    “In the middle of the XVIII century, more than 4.000 boys where castrated in Italy, every year.”
    O dado vem de H. Pleasants, “The Castrati”, in: Stereo Review, luglio 1966, p. 38. (apud wiki italiana).

    Acabo de baixar (via jstor) e ler o artigo de John Rosselli, The Castrati as a Professional Group and a Social Phenomenon, 1550-1850, in Acta Musicologica, Vol. 60, Fasc. 2 (May – Aug., 1988), pp. 143-179.

    É interessantíssimo e produto de pesquisa profunda.

    Após conceder que estimativas precisas são impossíveis para este assunto, faz uma série de aproximações e conclui, à página 157:
    “We might therefore hypothesise a total (and probably an historical maximum) of 120 or so castrati in the Rome of about 1650. ”
    E logo:
    ” In spite of the uncertainties already mentioned, this suggests that, on a conservative estimate, some 100 or so castrati were then living in Rome, of whom 80 or 90 were active.”

    Seu apogeu foi entre 1710 e 1730, especialmente em Napoli. Mesmo considerando-se que lá se castravam meninos até mesmo em barbearias (que portavam o reclame “Qui si castrano ragazzi”), e mesmo considerando-se que apenas um pequeno percentual dos “castrados” logravam sucesso na carreira musical, o número de 4.000 por ano é insustentável.

    Arremata Rosseli (p. 158):
    “There is no point in attempting a precise calculation. At any time between about
    1630 and 1750 there must have been living several hundred castrati, nearly all Italians,
    with a marked decline setting in about the mid eighteenth century. In Naples, Rome,
    Bologna, and Venice especially (all but the first with less than 160,000 population in
    the seventeenth and eighteenth centuries) and in some smaller towns (Padua,
    Assisi, Loreto) there were groups of castrati large and stable enough to be a feature
    of everyday life.”

    Aqui há uma gravação histórica do último castrado, Alessandro Moreschi:
    http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/7/7b/Alessandro_Moreschi.ogg

    Acho que podiam retomar essa prática; eu tenho uma lista de candidatos que, conquanto já adultos, poderiam receber o corte e ir cantar na igreja.

  9. Sou estudante (não estudioso, não ouso dizê-lo) de tal tema há algum tempo, e um dos artigos mais surpreendentes que achei, justamente na internet foi o dos links abaixo (a 1ª é mais informativa), por conta da 2ª parte, que torço muito para que não seja verdadeira!!! Leiam e fiquem pasmos também…
    História dos Castrati – Parte 1
    http://mol-tagge.blogspot.com/2009/05/historia-dos-castrati.html
    Surpresa dos Castrati – Parte 2
    http://mol-tagge.blogspot.com/2009/05/surpresa-dos-castrati.html

  10. olá, caro senhor, poderia fazer a enorme gentileza e o grande favor de revalidar esse link para nós? quero muito baixar esse álbum e não consigo encontrá-lo.
    muito obrigado!

Deixe uma resposta