Quinteto Villa-Lobos de graça em Porto Alegre

O Quinteto Villa-Lobos traz de volta seu amor, desata macumbaria, doenças mandadas e da carne. Traz seu emprego de volta — assim como o desejo –, cura doenças e faz com que ela chame seu nome mesmo que esteja junto de outro homem. Faz tudo ao contrário e vice-versa se você for mulher.

Não perca, imbecil!

PQP

11 comments / Add your comment below

  1. Descobri este blog enquanto procurava uma versão em mp3 dos quartetos de Vill-Lobos (12 ao 17), uma vez que a gravadora Kuarup encerrou suas atividades. Baixei o arquivo do volume IV (12,13 &14) mas não consigo abrir, só vejo uma mensagem de que oarquivo é incompatível. Haverá algo que eu possa fazr para resolver esse problema? Se possEivel, mandem uma resposta direta para meu email.
    Quanto ao blog: já é incrível um blog sobre música entre nós, ainda mais nessa qualidade! Vou conferir a indicação de Berwald.
    Um Abraço.
    Marcelo

  2. Mais uma vez uma ajuda filantrópica para auxiliar nossos amigos blogueiros (vou começar a cobrar pelo serviço. A moeda corrente são postagens especiais):

    Os arquivos do blog estão gravados em um formato de compactação “.rar”, formato reconhecido por praticamente todos os descompactadores que existem, menos (é claro) o oficial do Window$ que só aceita “.zip”. Vá no baixaki (ou outro site de downloads) e digite “rar” que aparecerão diversos descompactadores que aceitarão esse formato (winrar ou 7z, por exemplo). Aí é so baixar, instalar, abrir o pacote de músicas que você baixou com o descompactador que voce acabou de instalar, descompactar (do mesmo geito que o “.zip”) e (a menos que você tenha desistido no caminho) ouvir.

    OBS (para o pessoal do blog):Acho que dava para colocar um link no canto “faça você mesmo”. Acho que já expliquei isso aí para umas quatro pessoas diferentes nesse blog, e muitas outras devem ficar com dúvida e desistir antes de se manifestar.
    Abraço.

  3. Para o público, música de graça é (ou parece ser) uma beleza. Para o artista (mesmo com cachê pago) e o sistema das artes, é um inferno… como explicar que a música tem valor?
    Se alguém quiser apresentar música de graça na periferia da cidade, junto ao público pobre… eu ajudo a carregar o piano e ainda pago bolsa para o povo, do meu salário de professor. Mas para oferecer música de graça para público burguês no centro da cidade, não contem com meu apoio. Acho que era a isso que se referia Villa-Lobos.

    Todavia, se não tivesse uma perna de cabrito pela frente, eu iria ver o quinteto, graciosamente.

Deixe uma resposta