Robert Schumann (1810-1856)- Piano Concerto in A Minor, op. 54, Johannes Brahms (1833-1896) – Piano Concerto nº 1, in D Minor, op. 15

Esta é a melhor gravação que já tive oportunidade de ouvir do Concerto para piano de Schumann. Pollini, Abbado e a Filarmônica de Berlim estão perfeitos, nada a acrescentar, nada a reclamar. Aliás, o mano PQP está aguardando ansioso esta gravação, já que é com seu ídolo Pollini. E o Concerto de Brahms também está impecável.

Não estou colocando o link da amazon por questões técnicas. Existe algum problema mal resolvido entre o WordPress e o meu computador que tem me deixado muito aborrecido ultimamente. Cada vez que coloco o link e mando salvar a postagem, o dito cujo do link desaparece. Para quem se interessar, este CD faz parte da “Pollini Collection”, coleção de 13 CDs que a Deutsche Grammophon lançou em homenagem aos 60 anos do ilustre italiano.

Espero que apreciem.

Robert Schumann – Piano Concerto in A Minor, op. 54, Johannes Brahms – Piano Concerto nº 1, in D Minor, op. 15

01 – Schumann – Concerto for Piano and Orchestra in A minor, Op.54 – Allegro affet
02 – Intermezzo. Andantino grazioso
03 – Allegro vivace

04 – Brahms – Concerto for Piano and Orchestra No.1 in D minor, Op.15 – Maestoso
05 – Adagio
06 – Rondo. Allegro non troppo

Maurizio Pollini – Piano
Berliner Philharmoniker
Claudio Abbado – Conductor

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

FDP Bach

14 comments / Add your comment below

  1. Boa postagem FDP! Tenho um carinho muito especial por este concerto de Schumann, e ainda não o ouvi nas mãos de Pollini. Por enquanto, conheço apenas Perahia com o Abbado e com o Colin Davies.

    Agora, FDP, se você me permitir tentar a sorte com o SAC do blog, gostaria de fazer um pedido. Ouvi hoje, em um programa de rádio aqui de Belo Horizonte, os concertos para órgão e orquestra nº 1 e 2 de Handel. Se fosse possível postá-los, em homenagem aos 250 anos da morte de Handel (ontem, dia 14), ficaria agradecido. Um abraço!

  2. Ciço, já foram vários os meus problemas com o wordpress e eles são antigos, desde que começamos com o blog aqui no ops e desde o começo ele apresenta este problema. Não quero sobrecarregar nosso mano PQP com estas questões.
    Mateus, os concertos para Órgão de Handel estão na minha lista de futuras postagens, numa belíssima versão do Simon Preston com o Trevor Pinnock, Aguarde, que logo, logo estas gravações irão pintar por aqui.

  3. FDP:

    Outra sugestão para o SAC do blog: eu li em um outro blog (argentino) sobre uma sinfonia muito bela de um compositor pouco conhecido (Vasily Kalinnikov): A Sinfonia nº 01. Baixei e fiquei fascinado!! É incrível a quantidade de músicas belas e de qualidade que desconhecemos.

    No referido blog (www.elcuervolopez.blogspot.com) existe ela para baixar, mas gostaria que vcs a encontrassem e disponibilizassem aqui para os leitores do blog. No referido blog argentino há um “buscador” interno e será fácil localizar a postagem. A gravação é com o Neeme Jarvi.

    Eu realmente recomendo!!!! É uma obra belissima, típica do romantismo russo (com leves influências de Tchaikovsky, por exemplo) e muito bem composta.

  4. O Schumann do Pollini é maravilhoso mesmo. Já o Brahms me emociona menos – de repente é porque eu não sou tão fã assim do Primeiro Concerto, sei lá…

    Concertos para órgão de Handel com Preston e Pinnock…! Putz! Eis algo absolutamente sensacional.

  5. Também achei o Brahms menos inspirado, Exigente. O próprio Pollini tem gravações superiores deste concerto, inclusive com o próprio Abbado.

  6. Olá, pessoal.
    É mesmo!
    O Pollini, aqui, está bem “melhor do que ele mesmo”. Ele voltou a conseguir nos fazer distinguir o “ritmo de seus fraseados” da “métrica metronômica” de seu discurso musical, coisa que ele fazia as mil maravilhas na época em que foi o ganhador do Concurso Chopin, lá se vão décadas.
    No entanto, ele não conseque abandonar totalmente o “tique” de fazer freqüentes acentuações métricas pouco felizes ao invés de inflexões ritmicas mais expressivas (o que continua ocorrendo, também e por óbvio, com a dinâmica de seu discurso).
    Assim,para mim, ele deixou de figurar entre os grandes músicos que era quando mais jovem, continuando, contudo, a ser um excelente pianista nesta sua fase mais madura (intelectualmente eu suponho).
    Já o Wilhelme Kempff, madurão, sempre excelente em todos os sentidos musicais com os quais se faz ouvir.
    Grande Kempff. Grande Músico.
    Sempre um grande intérprete e um grande pianista.
    Então… …um grande abraço.
    Paz e Luz para todos.
    Edson

  7. `Peço-lhe desculpas amigo, mais discordo de você, penso que existem gravações do cincerto de Schuman que mereçam melhor louvor, como a de Marta Argerich e Nelson Freire por exemplo, Martha conseguiu me fazer chorar………….

Deixe uma resposta