Sergei Rachmaninov (1873 – 1943): The Isle of the Dead, Op.29 / Symphonic Dances, Op.45

Eu não gosto de Rachmaninov. Sofri silenciosamente enquanto mano FDP publicava seus Concertos para Piano, Variações sobre Paganini (ESSES DOIS SE MERECEM), Sinfonias e outros horrores. Mas, sabe como é, eu respeito meu irmão. Rach é um romântico tardio, um chato, um mela-cueca, um discursivo, um pentelho. Só que nesta semana ele se de mim vingou com juros.

Um pouco surpreso com os elogios histéricos que este CD de Ashkenazy e do Concertgebouw recebia por todos os cantos, resolvi voltar a enfrentar o ogro pegajoso. Deu tudo errado. Eu simplesmente amei! Como o ouvi tarde da noite, fui dormir com a perturbadora sensação de ter recebido FDP em meu corpo — nada físico, bem entendido; tudo espiritual. Achei que uma noite de sono me curaria da tragédia de ter gostado de obras de Rach. No outro dia, de estômago cheio e em CNTP, ouvi novamente a coisa. Olha, não cheguei a desmilingüir (essa trema some na unificação ortográfica), mas… É muito bom. É tri bom. Bom demais. Que maravilha.

Se vocês quiserem ler elogios mais abalizados, cliquem sobre o selo da Amazon acima. Há nove caras babando ali.

Vá lá, é imperdível.

Rachmaninov: The Isle of the Dead, Op.29 / Symphonic Dances, Op.45

01 – Die Toteninsel
02 – Symphonische Taenze – Non Allegro
03 – Symphonische Taenze – Andante Con Moto [Tempo Di Valse]
04 – Symphonische Taenze – Lento Assai – Allegro Vivace

Vladimir Ashkenazy
Concertgebouw Orchestra Amsterdam

BAIXE AQUI -DOWNLOAD HERE

PQP

13 comments / Add your comment below

  1. Minha próxima missão é fazer o mano pqp gostar de Dvorak…
    Mas a minha briga com o Rach é mais ou menos parecida, existem certas interpretações absolutamente aborrecidas. Não conheço essa do Ashkenazy, mas irei logo, logo, postar os concertos para piano com ele, então, poderemos ver PQP se render definitivamente..

  2. PQP, leia este fragmento sobre Rachmaninov:

    “Em nenhuma hipótese pode-se acusá-lo de oportunismo, por ter composto música tipicamente romântica, do século 19, no mesmo momento histórico em que outros russos como Scriabin, Prokofiev e Stravinsky escreviam música mais agressiva e contemporânea. […]

    Seu pai era um alcoólatra viciado no jogo, que se separou de sua mãe quando ele ainda era criança; a irmã, Sofia, morreu de difteria. Sergei conviveu sempre com a angústia, o medo de não agradar, uma insegurança crônica que o fazia revisar várias vezes suas obras. Tchaikovsky prometeu reger seu poema sinfônico “O Rochedo” em 1893, mas morreu em seguida. Às vezes ele tinha vontade de desistir de compor diante das ousadias de contemporâneos como Scriabin e Prokofiev.”

    Fragmento do texto de João Marcos Coelho

  3. Oi meus amigos!
    Eu gosto muito de ler esses comentários que acompanham os DVD, CD e outros “depositórios musicais” que viciam o cidadão a gostar de música “digital”.
    Quando a gente ouve música acústica, de verdade, a gente leva até um susto…
    Mas, imaginem!
    O Rafael nos informa que em uma desse comentários está escrito que nós não podemos, em hipótese alguma, acusar um compositor de ser orportunista por ele escrever aquilo que lhe ditam seus “insigth” (“insight” para agradar ao 21º, já que “inspiração” é meio “mela cueca”)mesmo se aquilo que
    lhe for ditado não seja tão “agressivo” e “contemporâneo” quanto o que vier a passar pela mente se seus agressivos contemporâneos…
    Bem… …então é citado o nome de Scriabini… …agressivo?…ma no troppo… …e não aparece o de Tchaikovsky… …bem, Tchaikovsky era… …bem… deixa prá lá, pois vem, logo a seguir e de enfiada, todas as dores qua abalaram Rachmanninof e que fizeram dele uma compositor, pelo menos “demodé”, assim como o são… …bem… …é melhor deixar mesmo prá lá… …eu entrei aqui mais para desejar a todos vocês, amigos deste fabuloso blog, os meus votos de Boas Festas e que a alvissareira crise, histórica e histericamente planejada, não os afete muito.
    O blog vai entrar de férias ou vai participar da festança da crise?
    Um abração csríssimos amigos e amigas.
    Felicidade para todos, quer acreditem ou não em Papia Noel!
    Edson

  4. Bachiano que é bachiano DETESTA tudo que não combine com a doutrina musical do supra-sumo da música ocidental, quiçá mundial. Rachimaninov não é um dos meus compositores preferidos, porém suas sinfonias e concertos para piano são dignos de nota, ainda que cronologicamente deslocados no tempo. Seu romantismo meloso é mais convincente que o de Dvorak, mais “duro e classudo”, e preferivel a um Richard Claydman ou Kenny G da vida.

  5. Quem gosta de piano, não tem como passar batido pelos Étude-Tableaux… Simplesmente fenomenais! Talvez o ponto máximo de sua obra pianística. Não falta agressividade. Têm aquela verve rítmica engajadora! De um romantismo – que eu não considero demodé, mas revisitados – de um contemporâneo do Bartók! Existe alguma ousadia harmônica século-vinteana… É inevitável! Fica como sugestão os estudos referidos para discussões posteriores… Tenho algumas gravações muito boas!

    Abraços renovadores de fim…

    …e começo de ciclo

    Bruno

  6. Fiquei empolgado com os elogios, mas quando fui baixar:

    This file is neither allocated to a Premium Account, or a Collector’s Account, and can therefore only be downloaded 10 times.

    This limit is reached.

    To download this file, the uploader either needs to transfer this file into his/her Collector’s Account, or upload the file again. The file can later be moved to a Collector’s Account. The uploader just needs to click the delete link of the file to get further information.

    Mas, mesmo assim, valeu!

  7. Rachmaninov é um excelente compositor, principalmente seus Concertos para Piano, gostaria de ouvir essa obra, mas infelizmente é apenas para usuarios premium, e só pode ser baixado 10 vezes.

  8. Por favor, é possível colocar o arquivo disponível novamente? Eu queria muito ter esta obra, mas creio que o link expirou… Grata, Helena

  9. Um caro amigo me recomendou esse site, dizendo que eu deveria ouvir a gravação de “Isle of the Dead”, de Rachmaninov. Tentei com vários Browsers, mas toda vez que clico no link “Baixe Aqui”, recebo a msg: “ERROR: file deleted R3”. Alguém pode me informar o link correto para essa peça do Rach?

  10. O arquito foi excluído. Seria possível ativá-lo novamente? São duas obras importantes de Rachmaninov. Todos contamos com sua atenção e desde já agradecemos por dar outra vida ao link.

Deixe uma resposta