Ludwig van Beethoven (1770-1827) – Sinfonia nº 9, em D Menor, op.125

51dczkaUYZLEm minha busca do Santo Graal das versões disponíveis e indisponíveis no mercado da Sinfonia nº 9 de Beethoven, trago uma séria concorrente para ocupar tal posto: eis então a já tão comentada em minha postagem anterior, versão da 9ª SInfonia de Beethoven na elogiada versão de Ferenc Fricsay à frente da FIlarmônica de Berlim. Repetindo as palavras do mano PQP, é música para se ouvir de joelhos, ainda mais  com um timaço de solistas como esses, se destacando o então jovem Dietrich Fischer-Dieskau, um dos maiores barítonos do século XX, além de um Ferenc Fricsay inspiradíssimo.
Ah, já ia esquecendo de agradecer à gentileza da nossa colega Laís Vogel, que disponibilizou o link,

Ludwig van Beethoven – Sinfonia nº 9, em D Menor, op. 125

1 – Alegro ma non troppo, un poco maestoso
2 – Molto vivace
3 – Adagio molto e cantabile
4 – Presto – Presto Assai – “O Freunde, nicht diese Töne”

Irmgard Seefried – Soprano
Maureen Forrester – Contralto
Ernst Haefigler – Tenor
Dietrich Fischer-Dieskau – Barítono
Chor der St. Hedwigs-Katedrale
Berliner Philharmoniker
Ferenc Fricsay – Direktor

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

(LINK CORRIGIDO)

FDP Bach

25 comments / Add your comment below

  1. Agradeço, sinceramente, ao FDP e a Laís por essa gravação maravilhosa.

    FDP, será que você consegue alguma gravação da Nona Sinfonia pelo Klemperer?

  2. Não sabia que Fricsay era capaz disso. Extraordinário!

    Eu o conhecia das gravações de Bartók com Géza Anda. São o máximo. Desconhecia o resto, vou procurar mais coisas.

    Agradeço ao FDP por ter nos mostrado essa gravação efetivamente notável.

    Abraços.

  3. De fato, como dito pela Laís, essa gravação prima pela precisão e equilíbrio. Especialmente esse último. Porém, achei o “Molto Vivace”, “Molto Moderato”. Poderia ser um tantinho mais impetuoso.

  4. Nossa!
    Que super seleção!
    Irmgard Seefried! M. Forrester! E. Haefigler! D. Fisher-Diskau! …solistas incríveis em tudo o que fazem!
    O Coro da Catedral de St. Hedwigs e Filarmônica de Berlim …é preciso comentar?
    E todo esse time, comandado por Ferenc Fricsay. …mais alguma coisa?
    É, Laís! Essa turma, toda junta e mais à Nona, não é de brincadeira mesmo!!
    Parabéns, Laís!
    Parabéns FDP!
    Parabéns a todos nós!
    Um grande abraço!
    Edson

  5. PQP, se você se interessar, tenho do Fricsay a “Grande Missa em Dó menor” K427, de Mozart já postada aqui no Blog em outra interpretação!

  6. Eu não conhecia essa interpretação. Ouvi uma vez, apenas, e gostei muito, muito. Mas, não sei por que, a do Bohm ainda me soa mais, não sei, intensa. Será que é pela primeira audição?

  7. ué? o arquivo foi removido?

    desde ontem não conseguia baixar e agora que vim para casa cheio de expectativa, vejo que o arquivo não está mais lá…será repostado?

    abraço,

    rodrigo

  8. Tentei baixar esse arquivo e fui alertado que o mesmo foi removido do servidor … snif

    Será que alguém pode me dizer como posso baixar o mesmo ?

    Grato

    Zig

  9. Ué… na verdade, usei o mesmo link que a Laís tinha me passado.. sei lá o que houve.. vou subir para o rapidshare na minha conta.. aí saberei que não vou ter maiores problema.

  10. Discordo em parte da LAIS VOGEL quando a mesma fala que esta versão prima pelo equilíbrio. De fato, se tomarmos cada movimento individualmente há sim muito equilíbrio. O grande problema que eu vejo, e devo salientar que não entendo absolutamente nada de técnica musical, é quando as peças se juntam. FDP Bach disse uma coisa muito interessante sobre a melhor interpretação do concerto nº 2 de Brahms. Seu ouvido, ou seu cérebro, acostumara-se tanto com uma determinada passagem, na interpretação de KOVACEVICH, que ele acabou por não aceitar outra imagem dela. Conseqüentemente, como esse pianista foi o único a “acertar” essa passagem, naturalmente acertou todas as outras. Então, esta versão será seu modelo ideal. Isso acontece não porque KOVACEVICH é o melhor dos pianistas, ou quem mais entende de Brahms, mas simplesmente porque foi a única versão que FDP teve durante muitos anos. E, escutando tanto assim a mesma coisa, sentia cada momento da peça como sendo o melhor possível para ela. Quem desde o princípio acostumou-se a ouvir as sonatas de Beethoven com ARRAU ou BARENBOIM dificilmente assimilará com facilidade GULDA ou BACKHAUS. Assim, quem conheceu a nona pela primeira vez com FURTWANGLER, e se acostumou a ela, achará TOSCANINI estranho.
    Quebrar esse tipo de amarra talvez seja um dos nossos maiores desafios, nós que somos amantes da música clássica. Habituei-me tanto com o Concerto para violino de Beethoven com PERVOMAISKY e ADRIAN BOULT que passei a amá-lo acima de qualquer outra composição. Custou-me anos para reconhecer que existem outras versões melhores.
    A nona sinfonia é uma obra que eu dificilmente escuto, simplesmente porque acho que Beethoven tem obras boas demais, mais do que qualquer outro compositor. Ficar escutando essa obra, que todo mundo fala e ouve incansavelmente é, de certa forma, “perda de tempo” (com muitas aspas). A experiência que tive ouvindo a integral de suas sonatas com mais de quinze pianistas diferentes, a ponto de escolher a melhor versão para cada uma das 32 foi trinta e duas vezes mais gratificante. Para desespero de alguns amigos desse blog, POLLINI só ganhou com a HAMMEKLAVIER, mas isso é opinião pessoal, só interessa a mim. Beethoven é um universo a ser desvendado.
    Meu Beethoven ideal precisa ter impacto. Nos allegro a força. Nos adágios precisa tocar meu coração. Dos três movimentos instrumentais dessa sinfonia, considero o primeiro o mais importante. Costumo me aborrecer com muitos regentes justamente nessa parte. Dificilmente alguém acerta o ponto. O ponto que eu gosto, claro. Esse movimento é meio misterioso, interrogativo, de uma carga emocional intensa e impactante. GARDINER o toca rápido demais, descaracterizando-o. FRICSAY, com força e expressão, mas lento. ERICH LEINSDORF e sua BOSTON SYMPHONY são outra história.
    Essa versão de FRICSAY é sim uma das melhores, mas não me satisfaz inteiramente. Ele acerta nos movimentos pares (considere as quarta e quinta partes um movimento só). Mas “erra” também no terceiro. Talvez, se este fosse de BRAHMS ficasse ótimo assim. LEINSDORF é muito mais cantabile, as melodias estão mais realçadas.
    Tiro meu chapéu também para o último movimento. FRICSAY escolheu um grupo de solistas muito bom, melhor inclusive que o de LEINSDORF, mas a massa coral deste o supera. FRICSAY atingiu o ponto expressivo da obra, igualando-se a LEINSDORF. É difícil dizer qual o melhor. Mesmo que um dia eu chegue a preferir FRICSAY para o quarto movimento, a diferença é muito pequena. Ambos me realizam plenamente. No conjunto da obra, no entanto, Incontestavelmente ERICH LEINSDORF e sua BOSTON SYMPHONY têm a melhor versão, muito mais beethoveniana

  11. A quem interessar possa: Já que o assunto é a Nona (Mamma mia)… coloco a disposição de quem desejar, as seguintes versões:André Cluytens,George Szell,Schuricht,Mackerras, Barenboim,Harnoncourt, Gardiner,Hogwood, Pletnev, Colin Davis,Toscanini,Böhm, Bernstein(2),Karajan(2),Herreweghe,Furtwängler,Klemperer, Solti
    Se não for pedir demais…cada um poderia eleger a sua favorita e, em poucas palavras, justificar sua escolha?…
    Karajan tem sido unanimidade para o pior(atentem para Nelson Rodrigues)…muito “pasteurizado”; “viva o tecnicismo, abaixo o sentimento”…”quando gravou Beethoven ele estava num péssimo dia”… etc…Fricsay está quase ao mesmo nível de Furtwängler, Berstein, Böhm e Klemperer (não necessariamente nessa ordem)…
    Com os distintos cavalheiros e damas, a palavra…..

    1. Confesso que daria tudo que sei sobre Beethoven pela metade do que não sei…mas, sou um garimpador de raridades e afirmo:já tenho a versão com Leinsdorf em minha alça de mira….assim que localizá-la, mando notícias…isso pode durar décadas … grato pelo voto

  12. Saavedra, qual a gravação do Klemperer vc tem? Poderia dizer os interprétes? A do Szell me interessou: sendo um dos meus regentes preferidos, gostaria de conhecer a Nona regida por ele.

    1. Caro amigo Sander:A versão que possuo de Klemperer é a que se segue (mp-3):
      Aase Nordmo Lövberg, soprano – Christa Ludwig, mezzo
      Waldemar Kmentt, tenor – Hans Hotter, barítono
      Philharmonia Orchestra & Philharmonia Chorus – Otto Klemperer, director

      George Szell – Performed by Cleveland Orchestra
      with Richard Lewis – tenor, Jane Hobson – mezzo-soprano, Donaldson Bell – baritone, Adele Addison – soprano

      Teria imenso prazer em disponibilizá-las (o cd de Klemperer possui uma capa roxa – caixão de defunto de ótimo gosto)mas confesso-lhe, a música te faz refém já no primeiro acorde…O problema grave,mas contornável,é que sou analfabeto de pai e mãe em postagens pela net…se tiver paciência, posso tentar…

      1. Caro Saavedra, obrigado por responder. Essa gravação do Klemperer eu tenho. Quis saber qual era, pois se não me engano ele fez outro registro com a Elizabeth S. a frente da mesma Philharmonia. Fiquei curioso para saber qual era.
        A do Szell me interessa. Não tenha pressa, amigo. Não estou precisando imediatamente. Assim que vc puder, vc disponibiliza o link aqui, ou me manda o arquivo por mail.
        Grato desde já.

  13. Olá pessoal…quem deseja um Furtwängler, aqui vai o link:

    http://avaxhome.ws/music/classical/Beethoven_Symphony_9_Furtwangler_BF.html

    Beethoven: Symphony no 9 / Furtwängler, Bayreuth Festival
    Classical | APE, CUE | 1 CD, Covers | 338 Mb | TT: 74:04 min
    Date: Mar 25, 2008
    Performers
    Elisabeth Schwarzkopf (Soprano)
    Otto Edelmann (Bass)
    Hans Hopf (Tenor)
    Elisabeth Höngen (Alto)

    Conductor
    Wilhelm
    Ensembles
    Bayreuth Festival Chorus
    Bayreuth Festival Orchestra

  14. Siegfried, as sinfonias com o Harnoncourt já foram postadas em outra ocasião por mim mesmo, porém tivemos problemas com o rapidshare, e acabamos perdendo aquela conta antiga. Infelizmente, no momento, não tenho como postar esta série, quem sabe mais para a frente.

  15. siegfried, ignore a mensagem acima. Os links das sinfonias de Beethoven com o Harnoncourt estão Ok. Basta procurar em Beethoven nas categorias ai ao lado, e ir direto à página 5.

  16. Boa noite. Poderia repostar essa 9ª do Ludwig Van? Se não me engano foi uma das versões utilizadas na trilha sonora de Laranja Mecânica.

Deixe uma resposta