Jaime Zenamon (1953) – O preço da paz

Quase ninguém conhece Jaime Zenamon, violonista e compositor boliviano naturalizado brasileiro que morou vários anos na Alemanha e vive numa granja nas imediações de Curitiba, quando não está em terras germânicas. Ninguém muito menos conhece o filme O preço da paz (2004), com Herson Capri, Giulia Gam, Danton Mello, Camila Pitanga, José de Abreu e Lima Duarte. Eu mesmo nem ouvi falar dessa película, centrada na história do Barão do Cerro Azul, figura de proa da história paranaense.

Mas, gostaria que vocês me dissessem se não estou certo em considerar a trilha de O preço da paz uma das belas do Brasil, nos últimos tempos. Se não de cabo a rabo, pelo menos nos momentos em que o compositor se permitiu elevar a música do mero patamar de plano de fundo sonoro. The end of a film e Sueño, p. ex., são daquelas músicas pra você fazer um apresentação de slides sem igual pra sua namorada. Experimente.

***

O preço da paz

1. The end of a film
2. Vivíssimo
3. Valsinha
4. O preço da paz
5. Marcha fúnebre
6. Ameaça
7. A fuga
8. Gumercindo
9. Passacaglia (Bach-Zenamon)
10. Anésia
11. Sueño
12. Pica-pau
13. Emboscada
14. Aprisionados
15. Catedral de Curityba
16. Maragatos
17. Malambo
18. The end of a film

Orquestra Sinfônica de Berlim, regida por Jaime Zenamon

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

CVL

12 comments / Add your comment below

  1. Looks very interesting… unfortunately link is broken…
    By the way this is an EXCELLENT blog for music lovers.. Thank you so much for what you do here…

    1. Seu PQP, também não vi esse filme, nem pesquisei agora, mas pelos nomes (Gumercindo, maragatos… acho que é sobre o cerco da Lapa, uma belíssima cidade colonial paranaense, comparável às cidades barrocas mineiras, inclusive com um teatro muito parecido com o de Sabará, devidamente prestigiado pelo saudoso D. Pedro II. Gumercindo Saravia cercou a cidade e fez uma carneficina homérica, passou todo mundo no fogo. Hoje, Lapa é um dos principais pólos artísticos da região sul, vale a pena visitá-la. Quanto à música, é bem feita, sim senhor. Um honesto ganha pão do Sr. Zenamon… et?

  2. O filme “O Preço da Paz” é um tanto quanto ruim, pelo menos do ponto de vista de quem aprecia e conhece cinema, pois é uma tentativa (não cumprida) de emular fórmulas de “grandiosidade” de Hollywood a fim de concorrer ao Oscar de Melhor de Filme Estrangeiro.

    Já não falo da música, obviamente. Jaime Zenamon é um grande compositor, ouvi hoje mesmo, num concerto da Oficina de Música de Curitiba, uma obra dele (“Reflexões No. 6 para Violoncelo e Violão”).

    Recomendo tentar assistir o curta-metragem “Osório”, de Heloisa Passos, que também tem trilha do Zenamon. Nesse caso, não só a música é ótima, mas o filme também.

  3. O filme é somente filmado na cidade da Lapa e Irati no Paraná, com cenas belíssimas das duas cidades que são tombadas pelo Patrimônio Histórico, e conta a história do Barão do Cerro Azul que preferiu pagar para as tropas dos Maragatos, quando invadiram a cidade de Curitiba logo após da proclamação da República , em troca de não saquearem a cidade. O filme vale para conhecimento desta parte de nossa história que não existe em nenhum livro.

Deixe uma resposta