Como se não bastasse, mais um bastardo

Este fim-de-semana será diferente para os pequepianos por três ou mais motivos, mas vamos aos três que conhecemos:

– A postagem que Bluedog fez ontem de um CD que amo.
– Este extraordinário CD que acabei de postar e, last but not least…

Tcham, tcham, tcham, tcham.

(Música de metais em brasa e violinos ardentes! … apesar de que ouço mais violoncelos… Fanfarras!)

Tchárammmm!

– Pela chegada de um novo “postador” ao P.Q.P. Bach. Seu nome é Cícero Villa-Lobos, ou Ciço VL para os íntimos, o Prático filho bastardo de Heitor, que veio a se juntar ao 21º, 22º e 23º filhos de J.S. Bach, à esposa de Robert Schumann, Clara, e a um maravilhoso, pulguento e jazzístico cão sem dono. Nosso trabalho de polinização cultural dará espaço à música erudita brasileira e a de todas as Américas, todas tão esquecidas. Não é por acaso. Diz a história deste blog que os 3 CDs das Bachianas e um dos de Choros são os 4 CDs mais baixados e, sempre que postamos coisas próximas a nós, há interesse imediato.

Nosso SAC é uma merda, mas a gente tenta agradar nossos amados clientes corrigindo a orientação equivocada de quem pensa distribuir curtura. Então, durante a próxima semana, sem maiores avisos, o cabra Ciço VL estará aqui.

PQP

10 comments / Add your comment below

  1. Ahá!

    Quando o CDF chegou, eu escrevi ao SAC de vocês, falando que faltava alguém da música erudita brasileira e das Américas… fico muito feliz que mais um bastardo tenha entrado na turma.

    Bem-vindo, Cícero Villa-Lobos!
    Sinta-se em casa!

    Inté
    Rafs

  2. SORRY – no idea, where I can reach the author…
    So I try just here… 🙂

    hi,
    WHAT a PITY with the marvellous WALKÜRE: on CD3 track 7 (and more ???) is missing. this is the battle between Hunding and Siegmund….! there you cannot say that it can be left out because it’s not important… !
    maybe You will find this (or those ?) track(s) anywhere?

    thanks a lot for all Your fantastic work here!

    Yours Berni (Graz, Austria)

  3. Oi pessoal.
    Acho muito bom enchermos os céus de cores pela vinda de um filhos bastardo de um grande brasileiro que,com certeza, será o primeiro de uma série de bastardos ainda viventes nas Américas Latinas (é no plural mesmo).
    Isto é ótimo e eu aplaudo com entusiamo, o nosso Villa que, com toda a certeza, diminuirá a tal “curtura” que tanto mal pode estar causando.
    Mas… …tem um coisa na qual continuo pensando…
    Bem… …por que será que a receptividade da Ane Raffaelle, que em 26 de agosto teve a simplicidade de mostrar-se,uma única vez, de maneira despojada e simpática, tenha gerado a velada reprimenda que me foi feita(o que, talvez, deve tê-la assustado, pois,depois disto ela sumiu)?
    Há algum mecanismo de recuperação de pessoas mais simples e não tão ilustres quanto o Villa?
    Pergunto isto porque, pelo que tenho visto, o Pqp e o Fdp são professores.
    Sendo professores, compreendem muito bem que os filhos bastardos desses grandes personagens do Reino da Música têm cultura de sobra para não necessitarem das luzes desse blog a lhes iluminarem a mentes
    Sabem, também, que a procura da “curtura” pode ser uma forte necessidade de pessoas como a Ane que, com tanta confiança, mostrou-se em sua unica intervenção por aqui.
    Bem, como eu sou (igualmente e de vez em quando)professor, sempre recebendo de braços abertos aqueles que buscam aprimorar-se ou mesmo iniciar-se, não vejo o porque de Ane não haver sido recebida com a mesma festa, já que ela necessita muito mais desse “blog” do que os nossos estimados filhos de nossos luminares.
    Sei que cometi um equívoco ao tentar dar a Anne mais confiança para que estivesse sempre e cada vez mais presente nete “blog”.
    Afinal, o “blog” tem normas e elas devem ser aplicadas.
    É justamente por me sentir, em parte, o responsável pela “estória”, que me incomoda o afastamento da mesma.
    Não me sinto bem contribuindo para que os que anseiam por enriquecerem seu “saber” não tenham todas as portas abertas.
    É! …sera que isto é factível?
    Bem… …de qualquer forma, continuo admitindo que o Pollini é um grande pianista!
    Mas… …musicista..?
    Existem muitos e muitos os quais eu ouço com maior prazer.
    Mas, ele é, sim, um grande pianista.
    Porque estou tocando neste assunto do Pollini?
    Porque me chamou a atenção esse desejo de “Polinização cultural” expresso lá em cima.
    Pessoalmente, eu veria melhor várias ações de polen-nização cultural, pois, quem sabe, que belos frutos poderiam brotar das mesmas?
    Como o Pollini deve tocar poucos latino-americanos (não sei, apenas suponho), talvez seja a missão do bemvindo Villa-Lobos a de semear o polen da cultura latino-americana, mesmo que, no fundo, tenha as minhas dúvidas de que tal semeadura possa começar com grande vulto.
    Aliás, eu preferiria sim, que, ao invés de nos fecharmos em nós mesmos, nos abríssemos ainda mais para a milenares culturas asiáticas, árabes e de outros povos que têm muito a nos ensinar em matéria de estética e percepção musical…
    …não?
    Um grande abraço a todos e os mais brilhante votos de sucesso ao Villa
    Edson

  4. Edson, é sempre um grande prazer ler os seus comentários, eles sempre conseguem complementar nossas postagens.
    Realmente, sou professor, mas não é o caso do mano pqp, que está envolvido na área de informática.
    Não sei o que aconteceu com a jovem Ane Raffaelle. Apenas repassei a informação que ela pediu, não sei o por que dela não ter se manifestado mais. Outra questão, não estou sabendo desta reprimenda velada que você teria recebido, nem consigo imaginar o por quê dela, mas falo por mim, e não pelos outros membros do blog.

  5. sabe que até imaginei que não houvessem outras áreas da música clássica a serem cobertas aqui? bem, pensei parecido quando CDF chegou. isso bem mostra o meu lugar. auf, auf! bem-vindo Ciço VL!

Deixe uma resposta