Franz Joseph Haydn (1732-1809) – Die Jahreszeiten – The Seasons

FDP Bach traz neste sábado chuvoso e triste uma de suas obras favoritas, o oratório ” Die Jahreszeiten “, ou “As Estações”, de Haydn. Eis o comentário do editor da amazon sobre esta gravação::

Amazon.com
The Seasons was Haydn’s followup to his successful The Creation. In four parts, each musically depicting a season, it offers plentiful opportunities for all the participants to shine and conductor Jacobs, his splendid orchestra and chorus, and three outstanding soloists deliver a committed performance that’s a delight from the first note to the last. Jacobs is known for his gutsy interpretations and this set is no exception; tempos are lively, the few passages of second-drawer Haydn (still preferable to most composer’s top-drawer stuff) retain interest, and the period orchestra delivers crisp, lively playing. Haydn’s genius transforms many genre scenes: a summer storm, hunting episodes, daybreak, the gloomy winter fog, peasant dances, and imitations of nature, like frog croaks that will bring a smile to your face. Special kudos for the RIAS singers, who bring a finely blended sound and colorful word painting to the choral numbers. Güra’s mellifluous tenor makes his solos a joy, but Petersen’s light soprano and Henschel’s firm baritone are as effective. This is The Seasons to get if you’re having only one. –Dan Davis

Esta gravação de Jacobs é absolutamente magnífica. Desde que a ouvi pela primeira vez foi paixão à primeira audição. Excelentes solistas, uma orquestra inspiradíssima e um Jacobs simplesmente perfeito. Confesso que meu único parâmetro para esta obra até então era Neville Marriner, numa velha fita cassete, mas que ouvia maravilhado.

Desde o coral inicial até o final, são quase duas horas de puro êxtase. Deleitem-se, meus caros, aproveitando este dia que promete continuar sendo obscuro e triste (pelo menos aqui em minha cidade, no interior de Santa Catarina). Quem sabe esta música magnífica possa vir a alegrá-los.

Franz Joseph Haydn (1732-1809) – Die Jaherszeiten (As Estações)

CD 1

1. Die Jahreszeiten. Der Frühling: “Seht, wie der strenge Winter flieht!”
2. Die Jahreszeiten. Der Frühling: Komm, holder Lenz!
3. Die Jahreszeiten. Der Frühling: Vom Widder strahlet jetzt
4. Die Jahreszeiten. Der Frühling: Schon eilet froh der Ackersmann
5. Die Jahreszeiten. Der Frühling: “Der Landmann hat sein Werk vollbracht”
6. Die Jahreszeiten. Der Frühling: “Sei uns gnädig, milder Himmel!”
7. Die Jahreszeiten. Der Frühling: “Erhört ist unser Flehn”
8. Die Jahreszeiten. Der Frühling: O wie lieblich ist der Anblick
9. Die Jahreszeiten. Der Frühling: “Ewiger, mächtiger, gütiger Gott”
10. Die Jahreszeiten. Der Sommer: Im grauen Schleier rückt heran
11. Die Jahreszeiten. Der Sommer: “Der munt’re Hirt versammelt nun”
12. Die Jahreszeiten. Der Sommer: Sie steigt herauf, die Sonne
13. Die Jahreszeiten. Der Sommer: “Nun regt und bewegt sich”
14. Die Jahreszeiten. Der Sommer: Die Mittagssonne brennt jetzt
15. Die Jahreszeiten. Der Sommer: “Dem Druck erliegt die Natur”
16. Die Jahreszeiten. Der Sommer: Willkommen jetzt, o dunkler Hain
17. Die Jahreszeiten. Der Sommer: Welche Labung für die Sinne
18. Die Jahreszeiten. Der Sommer: O seht! Es steiget in der schwülen Luft
19. Die Jahreszeiten. Der Sommer: Ach, das Ungewitter naht
20. Die Jahreszeiten. Der Sommer: “Die düst’ren Wolken trennen sich”

Disc 2

1. Die Jahreszeiten. Der Herbst: Was durch seine Blüte
2. Die Jahreszeiten. Der Herbst: Den reichen Vorrat führt er nun
3. Die Jahreszeiten. Der Herbst: So lohnet die Natur den Fleiß
4. Die Jahreszeiten. Der Herbst: Seht, wie zum Haselbusche dort
5. Die Jahreszeiten. Der Herbst: “Ihr Schönen aus der Stadt”
6. Die Jahreszeiten. Der Herbst: Nun zeiget das entblößte Feld
7. Die Jahreszeiten. Der Herbst: Seht auf die breiten Weisen hin
8. Die Jahreszeiten. Der Herbst: Hier treibt ein dichter Kreis
9. Die Jahreszeiten. Der Herbst: Hört, das laute Getön
10. Die Jahreszeiten. Der Herbst: Am Rebenstocke blinket jetzt
11. Die Jahreszeiten. Der Herbst: Juchhe, der Wein ist da
12. Die Jahreszeiten. Der Winter: Einleitung
13. Die Jahreszeiten. Der Winter: “Nun senket sich das blasse Jahr”
14. Die Jahreszeiten. Der Winter: Licht und Leben sind geschwächet
15. Die Jahreszeiten. Der Winter: Gefesselt steht der breite See
16. Die Jahreszeiten. Der Winter: Hier steht der Wandrer nun
17. Die Jahreszeiten. Der Winter: Sowie er naht, schallt in sein Ohr
18. Die Jahreszeiten. Der Winter: Knurre, schnurre, knurre
19. Die Jahreszeiten. Der Winter: Abgesponnen ist der Flachs
20. Die Jahreszeiten. Der Winter: “Ein Mädchen, das auf Ehre hielt”
21. Die Jahreszeiten. Der Winter: Vom dürren Osten dringt
22. Die Jahreszeiten. Der Winter: Erblicke hier, beetörter Mensch
23. Die Jahreszeiten. Der Winter: “Die bleibt allein und leitet uns”
24. Die Jahreszeiten. Der Winter: Dann bricht der große Morgen an

Marlis Petersen – Soprano
Werner Güra – Tenor
Dietrich Henschel – Barítono
RIAS Chammerchoir
Freiburger Barockorchester
René Jacobs – Direktor

CD 1 – BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
CD 2 – BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
BOOKLET – BAIXE AQUI

20 comments / Add your comment below

  1. FPD,
    Blumenau não é tão interiorana assim. Aqui em Florianópolis sob alguns aspectos é atrasada se comparada com a sua cidade. Nas vezes que fui aí, vi uma cidade limpa e organizada, pela o clima que é abafado devido ao vale. No mais, é um pouco longe do mar. O dia por aqui também está chuvoso, mas a metereologia diz que na tarde de domingo começa a melhorar.
    Luciano
    Quanto a gravação, ainda estou baixando!

  2. Sobre expressões estéticas referentes às estações, engulo a modéstia para sugerir a litura da monografia As Quatro Estações: Mimeses cujo link está acima. Abraços. Essa obra de Haydn conhecerei agora…

  3. Luciano,

    Interiorana não é sinônimo de atrasada.

    Blumenau é uma bela, civilizada e atualizada cidade, mas situada no interior, o que não é nenhum demérito.

  4. SoyGardel,
    concordo que cidade interiorana não é sinônimo de atrasada.
    Quando li a frase do FDP “Deleitem-se, meus caros, aproveitando este dia que promete continuar sendo obscuro e triste (pelo menos aqui em minha cidade, no interior de Santa Catarina)”. Me pareceu um lamento não só pelo dia chuvoso, mas também pelo fato de Blumenau ficar no interior, longe de grandes centros e acesso a mais recursos disponíveis em cidades maiores.
    Foi essa a impressão que ele me passou.
    Luciano

  5. Luciano, conheço bem sua ilha.. vivi aí durante 25 anos de minha vida. E saí daí antes que se transformasse no caos urbano em que se transformou.
    Este meu desabafo refere-se mais a um lamento pelos acontecimentos ocorridos nos últimos dias (dois falecimentos em 3 dias) do que ao fato de estar longe dos recursos das grandes cidades. Vivo em um sítio,distante 8 quilômetros do centro de Blumenau, onde ainda consigo dispor de uma paz de espírito que me auxilia a descansar do stress semanal.
    Públio Athayde, agradeço muitíssimo teres disponibilizado sua monografia aqui para o público leitor do blog. Espero que aprecies esta gravação.

  6. PÚBLIO!

    Sou bastante avesso à leitura de trabalhos acadêmicos e, por isso, talvez consideres mais este elogio: fiquei quase duas horas lendo e examinando a monografia, todo curvado na frente do notebook. É belíssimo, belíssimo. Deu-me vontade de repostar aquele CD das 4 Estações de Vivaldi + as 4 Estações Porteñas de Piazzolla indicando a leitura de teu deslumbrante trabalho.

    Fico feliz de te receber em nosso blog.

    1. As 4 Estações de Vivaldi e as 4 Estações Porteñas de Piazzolla foram recentemente interpretadas em concerto único na minha terra, Ouro Preto; desgraçadamente não as pude ouvir. Segundo me lembro, foi Rufo Herrera que conduziu a orquestra local, da UFOP. Vou tentar obter alguma gravação, que terá sido feita, espero.

  7. Embora um silente frequentador diuturno do blog, é-me imprescindível sair do total e confortável anonimato virtual – pelo que peço licença aos irmãos Bach, em primeiro lugar – para cumprimentar o Públio por sua bela monografia. Gostei muito, ótimo trabalho.
    Aproveito, neste arroubo de auto-exposição, para elogiá-los (agora, os Bach) pela divertida erudição com que nos brindam diariamente. É uma grata satisfação visitá-los. Abraços.

  8. FDP,
    a ilha [e a grande Florianópolis], estão um caos urbano, é verdade, e em proporção pequena se comparados a grandes centros. Este problema na verdade, decorre não só da afluencia de gente de pessoas de outros lugares, mas também e principalmente da forma errada como estão largadas as áreas públicas. Quanto as pessoas, Florianópolis é um local de serviços públicos, com um comércio reduzidissimo, sendo que a força de tal comércio decorre quase que por completo de funcionários públicos como consumidores. Não bastasse isso, por ser capital do Estado ainda recebe [não acolhe] pessoas, a maioria das quais sem qualificação profissional em busca de uma vida melhor e que nem sempre encontrarão aqui. Tudo isso gera o tal caos urbano.
    Sorte sua não precisar morar tão próximo ao centro, mas deve ser incômodo sair de casa diariamente uma penca de livros e material didático para dar aula em local que não deve ser próximo a sua casa, para alunos sem educação [minha esposa é professora de 5ª e 8ª séries, e reclama muito disso], e o salário Ó!
    Abraços,
    Luciano

  9. Gente, fico realmente envaidecido com seu comentário. Um dos rumos que posso dar à minha vida é fazer um doutorado em que analise as múltiplas representações do fenômeno das estações. Considero seu comentário forte estímulo á idéia. Obrigado.

  10. Olá Athayde.
    Um abraço por sermos conterrâneos e outro pelo seu trabalho. Muitos de seus enfoques podem ser aplicados aos comentários, muitas vezes divergentes, que postamos aqui.
    Mas o que eu desejo, mesmo, é fazer-lhe uma pergunta:

    Você conhece “The Four Seasons Mosaic”?

    Se você tem a intensão de fazer um doutorado com os enfoques que você listou ai em cima, talvez fosse proveitoso um olhar acurado sobre esta obra.
    Como sugestão coloco,a seguir,o resumo da obra e de seus objetivos.
    Um grande abraço esperando econtrá-lo semrpre por aqui:

    “The Four Seasons Mosaic is a documentary about an extraordinary collaboration between some of classical music’s most respected musicians. In 2004, composer Mychael Danna joins forces with the world-acclaimed Tafelmusik Orchestra, as well as top performers from India, China, Italy and the Canadian Arctic, to create a spectacular concert performance that celebrates the music of a global village. It is a bold orchestral undertaking that re-imagines Antonio Vivaldi’s The Four Seasons for the 21st century.”
    Abração.
    Edson
    PS- Se quiser encontrá-lo na internet o fará facilmente através do iTunes, ou simplemente digitando, como pesquisa,
    “Tafelmusik Baroque Orquestra”
    ou, melhor, provavelmente, em
    “The Four Seasons Mosaic”
    ou através do link:
    http://www.telefilm.gc.ca/data/production/prod_3121.asp?lang=en&cat=tv&g=doc&y=2004

  11. Meu caro, o Jacobs está ótimo nessa gravação, mas eu ainda fico com o Gardiner, que nas missas de Haydn deixou a desejar, mas em As estações: o gardiner ganha por uma cabeça…

  12. Olá pessoal, se alguem tiver a partitura desse oratório do Haydn, ou se poder enviar o link do lugar onde tiver para baixar, ficarei muito grato, muito mesmo.
    Há muito tempo estou procurando a partitura desse bendito oratório.

  13. Olá!
    Belíssimia postagem essa!
    Quero saber se você tem previsão de colocar aqui “As Sete Últimas Palavras de Cristo”, que junto com as “As Estações” esteve entre as obras do auge de Haydn. Seria uma forma de lembrar desse músico único, que morreu há exatos 200 anos.

    Abração!

Deixe uma resposta