Alberto Ginastera (1916-1983) e Reinhold Glière (1875-1956) – Concertos para Harpa e Orq.

Forte candidato a pior compositor de todos os tempos, Glière talvez não satisfizesse nem aquela sua tia romântica que ouve música só para revirar os olhos. É tudo excessivo, anacrônico, mais parecendo uma antologia de lugares-comuns. A harpa se presta. Já o concerto de Ginastera é aceitável, porém, depois de todo o caminhão de ciclamato soviético despejado por Glière tudo virou uma m..da e não conseguia ver graça em nada. Ô, cedezinho ruim! A tal Coloratura acabou comigo!

Reinhold Glière (1875-1956)
1. Harp Concerto in E flat major, Op. 74: I. Moderato Rachel Masters 10:40
2. Harp Concerto in E flat major, Op. 74: II. Tema con variazioni Rachel Masters 11:06
3. Harp Concerto in E flat major, Op. 74: III. Allegro giocoso Rachel Masters 5:19

4. Coloratura Soprano Concerto, Op. 82: I. Andante Eileen Hulse 8:58
5. Coloratura Soprano Concerto, Op. 82: II. Allegro Eileen Hulse 5:06

Alberto Ginastera (1916-1983)
6. Harp Concerto, Op. 25: I. Allegro giusto Rachel Masters 8:56
7. Harp Concerto, Op. 25: II. Molto moderato Rachel Masters 6:52
8. Harp Concerto, Op. 25: III. Liberamente capriccioso – Vivace Rachel Masters 7:50

Rachel Masters (Harpa)
Eileen Hulse (Soprano-sereia)
London Sinfonia (Orchestra)
The City of London Sinfonia (Orchestra)
Richard Hickox (Conductor)


BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

22 comments / Add your comment below

  1. Dear PQPBACH,

    Greetings rom New Zealand. I am looking for the Complete set of Chopin’s Mazurkas.

    If u have, one could u upload please in the near future.

    I would be most grateful.

    Thanks in Advance,

  2. Dear PQPBACH,

    Greetings from New Zealand. I am looking for the Complete set of Chopin’s Mazurkas.

    If u have, one could u upload please in the near future.

    I would be grateful.

    Thanks in Advance,

  3. PQP Bach, mandei pro seu e-mail links das Sonatas para Violino e Piano e dos Concertos para Violino de Mozart, interpretados por Anne-Sophie Mütter.

    Até mais.

  4. PQP Bach, bem que você poderia nos brindar com esta obra encantadora do Ginastera:

    GINASTERA: Panambi / Estancia (Complete Ballets)

    Panambi, Op. 1 (Complete Ballet)
    Estancia, Op. 8 (Complete Ballet)

    Pense com carinho na sugestão.

    Um P. abraço

  5. olá Pqp, por acaso teria os duos para violino e cello de gliere, estou tocando com meu amigo e gostariamos de ouvir a gravação para termos uma ideia.

    Muito bom seu blog!

  6. Lamentáveis os comentários sobre Gliere (feitos por PQP e por Gilberto Agostinho). Como têm a coragem de denegrir a imagem de um compositor tão engajado para a Música Russa de seu tempo? Só provam não terem entendimento nem compreensão sobre música. Por acaso, analisaram as peças de Gliere por sua escrita musical? Por certo, não, e é quase certo que nem sabem fazer isso. Olhem para si mesmos e revejam suas críticas mal feitas e sem nexo. Gliere foi um excelente compositor, assim como tantos outros, que representam as Músicas Russa e Soviética. Hoje, é um compositor prestigiadíssimo em sua Ucrânia natal, e também em muitos outros países civilizados. É preciso haver entendimento, para, depois, criticar. O concerto para harpa de Gliere é um dos mais destacados no gênero, e o concerto para coloratura soprano é uma peça única, tanto por sua inovadora proposta, como, também, pelo destaque das convincentes melodias típicas usadas pelo grande compositor. Existem duas ‘coisas’ que deveriam estar presentes: educação e modos – sem isso, só teremos a incivilidade sobrepujando o bom senso, como tem sido a tônica no Brasil… Gliere para sempre!!! Viva a música de Gliere!!! Obrigado pela atenção.

  7. Sorry, Gilère é um horror. Escrevia como um sub-Tchaikovsky em pleno pós-guerra – os concertos são das décadas de 30 e 40. Inacreditável!

    O concerto para harpa é clichê do início ao fim. Aquelas variações do segundo movimento são de amargar. E o concerto para soprano coloratura é de um kitsch de corar Rachmaninoff de vergonha.

    Talvez menos terrível seja a Terceira Sinfonia, dita “Ilya Muromets”, de 1911. Mas é obra que não faz, imagino eu, grande diferença no repertório sinfônico do século 20.

    1. Lamentáveis são as suas palavras, Mister Jose ‘Sorry’ Eduardo, que, em compasso desafinado com as dos outros dois, destróem a imagem de um grande compositor. É uma pena que sua opinião também seja tão desvirtuada. Creio que, neste espaço, eu não deva mais participar, visto que a visão embaçada de seus membros causa-me terrível desgosto. Assim, decidido está. Despeço-me deste blog de mentes insensatas, com grande constrangimento, por conta das injustas críticas a uma grande personalidade musical, que foi o compositor Reingold Gliere. E só para encerrar: a Terceira Sinfonia desse autor é considerada como um marco inigualável entre todas as sinfonias eslavas compostas na História da Música; logo, além da mencionada insensatez, há a plena e total ignorância alastrando-se por estas plagas virtuais, por culpa de pessoas que ‘acham’ (só acham) que sabem apreciar música. Para a ‘satisfação’ de vocês, não voltarei mais, pois não desejo ter de ler tantos barbarismos, ignomínias e palavras desprovidas de bom senso… Прощайте.

      1. Caro Iuri, não leve em consideração essas opiniões e comentários pessoais, pois eles não revelam nenhuma verdade absoluta sobre o assunto em questão. A propósito, existem várias verdades e ,eu, sem dúvida nenhuma, não compartilho da mesma verdade que eles. De certa forma, entendo os seus pensamentos e a necessidade de mensagens de cunho “doa a quem doer” ou “doa em quem doer”. O desejo de chocar vai além de suas vontades.
        Um abraço!

      2. Eu jamais postaria algo, ainda que a pedidos, que considerasse uma porcaria, baseando-me nisso, vejo o comentário do autor da postagem, como uma maneira de auto-defesa, ou seja, uma certa tentativa de previsibilidade de não aceitação ou de não valorização da mesma, mas não do seu real e mais íntimo pensamento.

  8. Pena que hei chegado vários meses tarde para dar minha opinião ao respeito do que aqui se trata.
    Glière me parece excelente, uma orquestração maravilhosa e verdadeira inspiração melódica.
    Acho absurdo pensar que a música boa tenha que pertencer a uma época determinada segundo seu estilo. Existem inúmeras obras primas às quais se poderia aplicar o epíteto de anacrônico,pejorativo por certo, pois a música tem a magia de se tornar atemporal.
    Então, Purcell foi anacrônico nas duas Fantasias para violas que remetem à renascença?
    Os concertos para piano de Rachmaninoff e sua segunda sinfonia valem menos por terem sido compostas no século XX?
    Que bobagem!!!

    E o concerto de Ginastera, está muito melhor estruturado que o de Villa-Lobos, mas como este último é brasileiro, parece que já é indiscutivelmente genial!!! Hahahaha.

  9. Caraca!!! que briga hilária !!!!

    O que defende Gliére, se pudesse mandaria todo mundo que não gosta deste autor pra Sibéria (lá pra casa dos mortos).Realmente divertido.

    Eu respeito todos os compositores,indepedente de gostar deles ou não.Um Zé ruela pode compor um pagode ou um roquinho,mas quem estudou e se propos a escrever música erudita, no meu entender merece respeito.Até mesmo aqueles que não tem talento, o que não é o caso de Gliere.
    Em todo caso,que bom que cada um pode ter sua opinião e expressá-la.
    A propósito,achei muito engraçado o “melhor estruturado” que o de Villa-lobos.Pobre Villa! se soubesse que ia ser tão incompreendido, teria escrito diversas sonatas.Que lindo seria o Noneto,Choros 10, e todas aquelas maluquices que ele escreveu,em um estilo mais Mozartiano.Emfim,toda a sua obra deveria ser MOZARTIANAS BRASILEIRAS.

  10. pessoal do pqp…
    o link ainda esta quebrado!
    gostaria muito mesmo de ouvir!
    eu sei que vocês tem a sua opinião, mas eu gosto do Glière.
    se puder ativar o link novamente ficarei muito agradecido!
    abraços

  11. Acredito que jamais vi absurdo igual em toda a minha vida… Criticar assim, com tanta falta de conhecimento, o trabalho de qualquer compositor, é algo baixo demais. Que Glière perdoe tanta idiotice!

Deixe uma resposta