Antonio Vivaldi – 11 Concerti

Acho verdadeiramente estranho que ninguém tenha reclamado de meu recente barroquismo. Já disse que vou postando o que vou ouvindo e costumo por passar fases em que parece que apenas um tipo de sonoridade me satisfaz. O que fazer? A Tafelmusik é uma orquestra atlética e alongada. Todos tem abdômen de tanquinho. Tem ritmo, imposição e força; mas não chega a um grau de sensibilidade e sutileza que agrade a este experiente ouvinte. Seu som é redondo, talvez demais. O que quero dizer é que a Tafel é ótima para Vivaldi. Os movimentos rápidos são arrebatadores, nos lentos falta aquela delicadeza que só os verdadeiramente grandes conseguem. A presença de Anner Bylsma é – sempre e sempre – muito bem-vinda. O cara é um monstro. Que violoncelista!

Vivaldi – 11 Concertos

1. Concerto for Strings in G minor, RV 157 (Instrumental) Jeanne Lamon;Tafelmusik 5:51
2. Concerto for Violoncello in D Major, RV 403 (Instrumental) Anner Bylsma;Jeanne Lamon;Tafelmusik 6:52
3. Concerto for Strings in G minor, RV 152 (Instrumental) Jeanne Lamon;Tafelmusik 5:21
4. Concerto for Violoncello in B minor, RV 424 (Instrumental) Anner Bylsma;Jeanne Lamon;Tafelmusik 9:21
5. Concerto for Strings in D minor, RV 127 (Instrumental) Jeanne Lamon;Tafelmusik 3:58
6. Concerto for 2 Violins, 2 Violoncellos and Strings in D Major, RV 564 (Instrumental) Anner Bylsma;Jeanne Lamon;Tafelmusik 9:47
7. Concerto for 2 Oboes and Strings in D minor, RV 535 (Instrumental) Tafelmusik;John Abberger;Washington McClain 8:54
8. Concerto for Violoncello in A minor, RV 419 (Instrumental) Anner Bylsma;Jeanne Lamon;Tafelmusik 7:56
9. Concerto for Violoncello, Bassoon and Strings in E minor, RV 409 (Instrumental) Anner Bylsma;Jeanne Lamon;Tafelmusik 5:56
10. Concerto for 2 Oboes, 2 Violins and Strings in C Major, RV 557 (Instrumental) Jeanne Lamon;Tafelmusik 8:42
11. Concerto for Strings in G Major “alla rustica”, RV 151 (Instrumental) Jeanne Lamon;Tafelmusik 3:56

Tafelmusik
Jeanne Lamon, musical director
Anner Bylsma, cello

BAIXE AQUI (Parte 1) – DOWNLOAD HERE (Part 1)

BAIXE AQUI (Parte 2) – DOWNLOAD HERE (Part 2)

10 comments / Add your comment below

  1. Parabens pelo blog…Teremos algum post para alimentar nossas almas famintas de luz nesta Semana Santa? Que tal as paixões de Cristo por Karl Richter?

  2. Você é ateu, PQP Bach? Pois seu pai era um luterano ortodoxo, cuja música é uma oferenda a Deus.

    Assusta-me ver alguém tão erudito, musicalmente falando, mas que, em matéria de filosofia/teologia seja tão pequeno. O imponente Olavo de Carvalho não hesita em dizer que ateismo é pequenez intelectual.

    Acho que você bem que poderia ler as cinco vias para a existência de Deus de Sto. Tomás de Aquino, ou ler o livro “Um ateu garante: Deus existe”, editado aqui no Brasil pela Ediouro.

  3. O facto de ser ateu não significa que se seja pequeno em filosofia ou teologia. Para lhe dar um exemplo, sou Artista Plástico, e licenciado em História da Arte. Estudei filosofia, teologia entre outras matérias e continuo a não acreditar em Deus. O que não me impossobilita de ouvir as magnificas obras musicais barrocas. E não se pode quase obrigar ninguem a ler bibliografia sobre a existência de Deus, pois tambem existe vários livros sobre inexistência deste.

  4. não sei nem quero saber, certo? ou melhor: eu já sei tudo que preciso saber e me basto a mim mesmo, sou auto-suficiente.
    é isso aí cumpadi… um efusivo abraço procê e pra todos aí de seu mundo paralelo!
    a propósito, lembrei agora do “jejum do coração” taoísta (i.e. ir ao mundo dos homens sem os perturbar ou entrar em conflito com a imagem que eles fazem de si mesmos):
    “é fácil permanecer quieto sem deixar vestígios; o difícil é caminhar sem tocar no chão” ehehe sério agora:
    “a grande sabedoria vê tudo num só. a pequena sabedoria multiplica-se entre as muitas partes”
    e também:
    “o tao se obscurece quando os homens compreendem apenas um, dentre um par de opostos, ou se concentram apenas num aspecto parcial do ser. e, depois, a expressão clara perde-se no mero jogo de palavras, afirmando este aspecto, e negando todos os outros” (fonte: thomas merton, “a via de chuang tzu”, ed. vozes – saiu pela pensamento também)

  5. pessoal vamos falar de musica e nao de fé e religiao o.k somos todos ser humanos e todos conhecem para onde cada um vai seja ateu ou nao os “atoas” ja estao se garantindo com base na ciencia . li a historia de antonio vivaldi e suas composiçoes era sibre uma mulher ( passo o site depois de duvidarem ) o concerto in a minor voces ja tocaram ?! toco violino mas essa musica me quebrou literalmente

  6. pqp bach, o fato é que seu blog é magnífico, meus sinceros agradecimentos! (faltou esse comentário)
    Deus dê-lhe sorte e saúde!

    vinicius:
    cada qual se aferra ao esnobismo que pode.
    se não se suicida, o ateu não tem direito a crer-se lúcido.

Deixe uma resposta