Aram Kachaturian (1903-1978) – Concerto para Piano e Orquestra / Johannes Brahms (1833-1897) – Quinteto para Clarinete

Os CDs da gravadora brasileira Imagem eram espécimes muito curiosos. Qual é a relação entre o belo concerto para piano de Kachaturian – ou Khachaturian – e uma das maiores obras já compostas, o quinteto para clarinete de Brahms? (Vocês sabiam que a autobiografia de Erico Verissimo, Solo de Clarineta, tem este nome em homenagem ao quinteto de Brahms? Pois é, vivendo e aprendendo…)

A Imagem talvez comprasse tapes – bons tapes – de gravadoras americanas a fim de distribuí-los no Brasil, mas fazia junções totalmente inusitadas, incluindo em um mesmo CD obras inteiramente diversas com os executantes mais variados. Uma loucura absoluta, não fosse a excelente qualidade das músicas e das interpretações. Grandes interpretações sempre! Sem dúvida, havia alguém lá na Imagem que sabia das coisas.

O Concerto para Piano de Aram Kachaturian é maravilhoso e mereceria maior destaque dentro do enorme – e batido – repertório pianístico. Cercado por dois movimentos de grande brilhantismo, temos um melodioso e original Andante con Anima ao qual você deveria dar sua atenção à altura dos 2min30 até 4min15. Aqui temos uma invenção fantasmagórica que leva a Armênia para bem perto da Transilvânia de Drácula – não da de Bartók!

Não vou escrever sobre o Quinteto de Brahms. Há livros a respeito. É uma das poucas músicas das quais podemos dizer que não possui nenhum momento inferior. São 35 minutos no Olimpo, em dia ensolarado, agradável, sem ventos, céu de brigadeiro, com vitória do Internacional e derrota do Grêmio, com vitória do Boavista e derrota do Porto. Um mundo perfeito.

P.Q.P. Bach.
(Que aproveita para avisar que este blog não tolera insultos)

Concerto para Piano e Orquestra de Aram Kachaturian
1. Allegro Maestoso
2. Andante Con Anima
3. Allegro Brilhante

Peter Katin, Piano
The London Symphony Orchestra
Regência: Hugo Rignold

Quinteto em Si Menor, Op. 115, para Clarinete e Cordas de Johannes Brahms
4. Allegro
5. Adagio
6. Andantino
7. Con Moto

Reginald Kell, Clarinete
The Fine Arts Quartet

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

15 comments / Add your comment below

  1. Acredito que essa será a quarta gravação que tenho desse quinteto. Aliás, Brahms e Beethoven são os únicos dois que estão completos em minha coleção, talvez pela quantidade relativamente menor em comparação aos outros (de Mozart, Bach e Schubert, somados juntos, devem faltar umas 100 ainda).Gostaria de perguntar novamente se algum de vcs irá postar o Concerto para piano No.23, de Mozart, tocado por Brendel. Do 15 ao 25, esse foi o único que ainda não foi postado.

  2. Pato, sem d�vida.Sabes aquele solo do clarinete l� no final da m�sica, bem no finalzinho? Pois � o Alex pensava nele, suponho…P.Q.P. Bach

  3. Esse concerto do Khachaturian e o concerto em sol do Ravel são dois dos concertos para piano mais espetaculares do século XX, sem contar com os do Prokofiev e Rachmaninov.
    É a única gravação que tenho e que já ouvi desse concerto. Já o quinteto, possuo outras versões. Essas gravações satisfazem plenamente meu ouvido nada absoluto.

  4. Caríssimo PQP, só discordo de uma coisa: o Quinteto para Clarinete de Brahms não é nem um pouco olímpico e ensolarado; pelo contrário, eu o achei denso e nublado, com passagens pungentes e cheias de sentimentos e pensamentos profundos. Nada daquele aspecto claro e feliz do Olimpo que encontramos em Mozart e com tão irritante excesso em Haydn, mas sim um romantismo puro em formas consagradas beethovianas, combinando com uma tarde de chuva ou uma noite fresca. Pelo menos foi essa a minha interpretação. Obrigado por essa esplêndida postagem. Já conhecia o Quinteto, mas não o Concerto de Khachaturian, e por isso vou procurar baixá-lo agora.

Deixe uma resposta